Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
17 Set, 2020 - 17:30

Acha possível que um carro possa consumir mais do que um avião?

Marvin Tortas

Sabe qual o consumo de combustível de um avião em altitude cruzeiro? Será que consome mais ou menos que um automóvel, considerando os mesmos passageiros? Fique a saber.

Rolls Royce Wraith

O avião e o carro são os meios de transporte mais utilizados em todo o mundo. Com a aviação a atingir o seu pico de popularidade em 2019, mais de 30 milhões de pessoas levantavam voo por dia, ao passo que no mundo existem 1,4 mil milhões de automóveis em circulação.

É frequente pensar-se que os aviões consomem muito combustível, o que de facto não está longe da verdade. Porém, em comparação com o carro, transportando o mesmo número de passageiros, será que o avião é mais eficiente?

Saber a resposta a esta questão não é tão linear como, simplesmente, olhar para o ponteiro da gasolina de um e de outro meio de transporte, até porque os combustíveis utilizados pelo carro e pelo avião não são iguais.

Saber exatamente quanto consome um avião implica vários cálculos e conversões. Contudo, e tendo em conta dados reais de telemetria de uma viagem entre São Paulo e Miami num Boeing 777, conseguimos calcular as diferenças entre este modelo e um carro familiar a gasolina. Pronto para conhecer as conclusões?

Será afinal um avião mais eficiente do que um carro? Conheça a resposta

avião a sobrevoar estrada

Antes de mais, é importante frisar que o combustível utilizado na aviação é totalmente diferente do combustível utilizado num automóvel desenhado para circular na estrada.

Na aviação comercial, é utilizado um tipo de combustível chamado querosene de aviação, o qual é também conhecido como Jet A-1. Na aviação ligeira, é utilizado Aviation Gás. Este último já se assemelha mais ao combustível utilizado nos automóveis, ainda assim tem uma percentagem muito maior de octanagem, a qual jamais deve colocar no seu carro. Este é, aliás, um dos maiores mitos da indústria automóvel.

Devemos salientar novamente que este exemplo que vamos utilizar não é cientificamente rigoroso e pode ser aplicável em todos os casos, uma vez que um avião nunca apresenta os mesmos consumos, pois aspetos como o vento, a temperatura, a densidade do ar, o peso e a velocidade afetam drasticamente o consumo de um avião e estes fatores nunca são constantes.

Consumo do Boeing 777 (São Paulo – Miami)

avião
Boeing 777, o modelo de avião usado para este comparativo e um dos maiores aviões do mundo, com 74 metros de comprimento.

Neste caso, o Boeing 777 fazia uma viagem entre São Paulo, no Brasil, e Miami, nos Estados Unidos da América, e circulava a uma altitude cruzeiro de 34.000 pés, ou seja, 10.363 metros de altura, e Mach 0,844, ou seja, 84,4% da velocidade do som.

No momento em que foram levantados os dados de telemetria, cada um dos 2 motores do Boeing 777 estava a consumir 8400 libras de combustível por hora, ou seja, 3810kg. No entanto, quando falamos de combustível de aviação, 3810kg não são 3810L. Em condições normais, 1L de água corresponde a 1kg, mas o Jet A-1 é mais leve do que a água.

O volume do querosene de aviação varia consoante a densidade do ar a qual, por sua vez, varia consoante a temperatura. Neste caso, a densidade do ar estava a 6,812 libras por galão, o que convertido para kg por litro dá aproximadamente 0,816kg/l.

Dividindo o peso pela densidade, cada motor estava a consumir, aproximadamente, 4762L de combustível por hora. Como o Boeing 777 tem dois motores, isto significa que o consumo do avião em velocidade e altitude cruzeiro era de 9525L. Como referimos, este avião voava a Mach 0,844, que é 84,4% da velocidade do som. Convertido em km/h, tal corresponde a, aproximadamente, 1042 km/h.

Assim, dividindo os 9525L por 1042 km/h, conclui-se que o Boeing 777 estava a consumir 9,14 L/km, o que traduzido para o mundo automóvel, seriam 914 L/100km.

Consumo de um automóvel

Renault Espace

À primeira vista, pode parecer um absurdo, certo? Mas não nos precipitemos na resposta.

Um carro familiar equipado com um motor a gasolina consome perto de 7,5L/100km, em auto-estrada, mas leva no máximo 5 passageiros. O Boeing 777 tem capacidade para levar até 442 passageiros, numa configuração de duas classes (executiva e económica). Porém, neste caso em particular, apenas circulava com 392 passageiros. Assim, para transportar o mesmo número de passageiros em carros, seriam precisos 79 automóveis.

Deste modo, se cada carro consumisse 7,5L, estaríamos a falar de 593 litros de combustível. No entanto, 5 pessoas num automóvel não conseguem viajar com grande conforto, ao passo que num avião todos os os assentos são individuais e existe espaço para se circular em pé dentro da cabine.

Conclusão

Existe uma diferença de 321 litros a cada 100 quilómetros a favor do carro em relação ao avião, mas um automóvel circula, no máximo, a 120 km/h, ao passo que este avião circulava praticamente 10 vezes mais rápido, a mais de 1000 km/h.

O desfecho não é imprevisível, mas estava à espera de números assim tão próximos? Tendo em conta os números, o avião não só é o meio de transporte mais seguro do mundo, mas também é um dos mais eficazes a transportar pessoas de A para B, da maneira mais rápida possível, e fruto das melhorias de performance dos novos motores, consegue ser bastante poupado.

Importa ter em conta que, caso este avião viajasse totalmente lotado, os números seriam bastante mais próximos. E caso as condições sejam totalmente favoráveis ao avião (isto é, viajar com lotação máxima e vento de cauda), o consumo por passageiro do avião poderia mesmo ser inferior ao do carro.

No entanto, o carro continuará sempre a ser imprescindível e é o melhor meio de transporte para chegar ao local que queremos, à hora que queremos.

Veja também