Maria Graça
Maria Graça
18 Out, 2022 - 15:06

Avis: a Ordem de Portugal no coração do Alentejo

Maria Graça

Avis é um vila repleta de história e beleza natural. Uma jóia no coração do Alto Alentejo que não vai querer perder.

Vila de Aviz

A charmosa vila de Avis, em pleno coração alentejano, merece certamente a sua visita. Além da história e tradição que a caracterizam, a gastronomia, arquitetura e beleza natural não o vão deixar indiferente.

Mas antes, mergulhe connosco nas suas ruas estreitas com casas caiadas e descubra os seus encantos. É no coração de um Alentejo cada vez mais procurado para momentos de descanso ou diversão. E é também uma lição de história, que remonta há muitos séculos e que faz de Aviz um dos mais espetaculares cenários da planície alentejana.

Aviz: vila de mil e uma histórias

A vila de Avis, no distrito de Portalegre, ergue-se no alto de um monte granítico alentejano, com 201 metros de altitude.

Terá surgido no século XII, durante a reconquista cristã, em redor do seu castelo. No entanto, tornou-se importante para o reino português no século XIII, ao acomodar a importante Ordem Militar de Avis.

Atualmente, a vila conserva três das suas seis torres originais: Rainha, Santo António e S. Roque, bem como algumas partes da muralha medieval, que ainda seguram muitas das casas de Avis.

O que não pode deixar de visitar em Avis

Vista aérea de Avis
Avis reflete a grande beleza do Alto Alentejo
1

Castelo de Avis

Esta fortificação terá sido construída por volta de 1214, no reinado de D. Afonso II, pelos membros da Ordem de Avis. O mestre da Ordem, subiu ao trono de Portugal em 1385, passado à história com nome de D. João I. 

Uma curiosa lenda está associada ao nome da Ordem de Avis e a este castelo. Esta conta que alguns frades procuravam o local ideal para a construção de uma fortaleza.

Num monte, frente ao território ainda sob domínio muçulmano, viram duas águias pousadas num sobreiro. Aquela imagem que presenciaram foi considerada como um sinal favorável, decidindo que a construção do castelo seria naquele local, a que chamaram Avis, que em latim significa ave.

As águias vieram a tornar-se parte integrante do símbolo da Ordem. Hoje em dia, o pouco que resta desta fortificação, que está classificado como Monumento Nacional. 

2

Igreja Matriz

Também conhecida como igreja da Nossa Senhora da Orada, esta construção trata-se na realidade de um templo erguido durante o século XV, que veio a sofrer diversas renovações e reconstruções já no século XIX.

O exterior apresenta uma fachada no estilo clássico e duas torres sineiras. Já no interior do templo, encontramos uma nave com um teto revestido a madeira e duas pequenas capelas nas laterais da igreja. A igreja apresenta também uma imagem da Virgem e alguns painéis de azulejo.

3

Convento da Ordem de Avis

Este complexo monumental, que reunia a igreja, sacristia, sala do capítulo, refeitório, claustro e torre sineira, está repleto de vida e história.

A entrada para o convento, que mantém a sua traça medieval, faz-se por um majestoso portal em mármore. No seu interior, iremos encontrar vestígios de fantásticos azulejos amarelos e azuis.

Os detalhes não nos deixam indiferentes e ainda é possível ver traços de retábulos de talha barroca, na capela-mor. A sacristia data do Renascimento, apresentando uma abóbada com arranques suportados por mísulas em pedra gravada.

A igreja guarda o túmulo em mármore de Fernão Rodrigues de Sequeira, último dos mestres de Avis.

4

Museu do Campo Alentejano

No antigo dormitório do Convento, encontramos o atual Museu Municipal de Avis, ou Museu do Campo Alentejano, que conta a história da região através de achados arqueológicos, peças de artesanato e réplicas de monumentos.

Situado na Sala do Capítulo e a Sala de Leitura dos Monges, no cimo de um monte, o Convento é um edifício imponente e majestoso que se destaca da vila, avistando-se a vários quilómetros de distância.

Foi classificado como Imóvel de Interesse Público em 1949 e abriu as suas portas ao público no verão de 2014.

5

Barragem do Maranhão

Nos arredores desta pequena vila, não deixe de visitar a barragem do Maranhão, obra dos anos 1950, destinada a rega, e onde hoje é possível praticar vários desportos.

Com uma vista de cortar a respiração, entre azuis e verdes, a barragem merece certamente a sua visita.

Vista do Castelo de Belver
Veja também Belver: um segredo cravado em pleno Alto Alentejo

Aviz: paraíso da gastronomia alentejana

E é também pela boca que a vila de Avis nos convida.

Entre os muitos produtos que não pode deixar de provar, destacam-se os doces, azevias, filhoses e broas produzidos de forma artesanal. Outro produto típico da região são os licores nos mais diversos sabores: canela, mirtilo, framboesa, bolota são apenas alguns exemplos.

Não deixe de experimentar também o mel, o pão e o vinho.

Como viu, motivos não faltam para visitar esta vila cheia de história e a sua imensa planície. Deixe-se apaixonar pelo encanto das ruas de sabor medieval e pela beleza das pequenas casas caiadas, imagem da típica arquitetura alentejana.

Veja também

Artigos Relacionados