Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luana Freire
Luana Freire
19 Set, 2018 - 11:50

Bolas de pelo de gato: quais as causas, como evitar e como tratar

Luana Freire

Os bichanos adoram lavar-se e isso pode causar problemas no trato gastrointestinal. Saiba como evitar e tratar os sintomas das bolas de pelo de gato.

Bolas de pelo de gato: quais as causas, como evitar e como tratar

Não é segredo para ninguém: os felinos adoram lamber-se. Se somarmos isso ao facto de terem uma língua áspera, temos consequências no que diz respeito ao aparelho digestivo dos bichanos. Sabia, por exemplo, que a origem das dores de estômago, dos vómitos e, até, do mau humor pode estar nas bolas de pelo de gato? Descubra como pode prevenir o surgimento deste problema, afastando o risco de mal-estar do seu gato.

Bolas de pelo de gato: como se formam?

bola de pelo

Se tem um gato em casa, é certo que já o apanhou a lavar-se vezes sem conta – uma tarefa que pode levar algumas horas por dia, já que o felino não pára de lamber-se até ter a certeza de que está impecavelmente penteado e limpo. Há mesmo casos em que as lambidelas provocam lesões na pele, uma vez que a sua língua é áspera. Ora, é exatamente esse hábito que faz com que se formem as bolas de pelo no organismo.

Durante todo o tempo em que o seu bichano está a lavar-se engole parte do pelo – e o dono nem consegue dar conta. Os primeiros sintomas aparecem quando o gato força o vómito e insiste em cuspir, despertando a atenção. Muitas vezes, o dono percebe também que o bichano consegue eliminar os pelos pelas fezes – e este é o melhor cenário. No entanto, como nem sempre o seu felino consegue expulsar as bolas de pelo do organismo, as mesmas ficam presas no estômago ou nos intestinos, causando mau humor e mal-estar.

Se, em casa, observar que o seu bichano está mal-disposto, com náuseas, sintomas de fraqueza e abdómen inchado, e estes sintomas persistirem por mais de um dia, o mais certo é que se tenha formado uma bola de pelo no aparelho digestivo. Nessas situações, o ideal será consultar um médico veterinário.

Quando o dono deve preocupar-se com as bolas de pelo de gato?

Uma informação interessante a reter é que, ainda que ideal, o facto de o felino vomitar bolas de pelo não é de todo tão normal quanto possa parecer. Isso porque as bolas não deveriam formar-se no interior do seu organismo, mesmo que estejamos a falar de um animal apaixonado pela própria higiene. Quando este tipo de situação acontece, o dono deve estar atento, pois algo não está a funcionar bem no seu sistema digestivo – mais concretamente nos intestinos. Um exemplo de possível causa: o bichano não está a defecar como deveria e as bolas de pelo são formadas pelo acúmulo dos mesmos, junto com outros dejetos.

Como evitar que se formem as bolas de pelo de gato?

Uma das primeiras coisas a qual o dono deve estar atento é à alimentação do animal, analisando se está a ingerir a quantidade ideal de todas as proteínas de que necessita para estar saudável. A dieta do bichano deve, idealmente, incluir carne e peixe, além da ração. As carnes e peixes devem ser oferecidos frescos e crus.

Além desses alimentos, o dono pode oferecer ração húmida ao gato, ajudando assim a lubrificar o seu trato digestivo. Esse passo simples evita, ainda, a doença inflamatória intestinal, uma patologia cada vez mais comum e que é provocada pelo excesso de ingredientes secos que o felino consome – tais como cereais e arroz, além da ração seca.

O que fazer quando nota que há bolas de pelo de gato?

Depois de consultar o veterinário e de serem realizados exames específicos para descartar qualquer problema mais grave, o melhor passo a dar é partir para a prevenção da formação das bolas de pelo. Siga alguns conselhos simples que trazemos para si.

Comida para gato: saiba qual deve escolher

1. Ofereça ao gato uma dieta saudável
O veterinário deve aconselhar qual será a melhor dieta para o seu animal, adequando o tipo de comida que o bichano pode consumir e as quantidades ideais. Se tiver algum tempo para cozinhar, procure incluir na rotina alimentar do felino, peixe, frango, carne ou fígado – mas, atenção às quantidades. Inclua também as latas de comida húmida especiais para gatos, escolhendo as mais ricas em proteínas.

Comida para gato: saiba qual deve escolher
Veja também Comida para gato: saiba qual deve escolher

2. Penteie o bichano com regularidade 
Este conselho é especialmente dedicado aos donos de gatos com pelo comprido, como Angorá, Persa e Maine Coon. No caso desses gatos, é mesmo necessário escovar o pelo semanalmente. Para que a tarefa seja simples para o dono e para o animal de estimação, aconselhamos que seja realizada desde cedo, quando o animal ainda é um filhote. Isso vai fazer com que se habitue à rotina e não ache a situação incómoda. Ao escovar o pelo do bichano, vai evitar que ele lamba e engula “pelos mortos”.

3. Ajude o seu gato a eliminar as bolas de pelo
Informe-se com o veterinário sobre as plantas e ervas existentes que podem ser oferecidas ao bichano e que o vão ajudar a expulsar os pelos com maior facilidade. O trigo, a cevada ou a conhecida “erva para gatos” são excelentes laxantes para esses animais. Quando o veterinário autorizar o consumo, espalhe vasos pela casa.

Para finalizar, não esqueça de realizar a desparasitação de pulgas periodicamente. Um animal com pulgas, tende a lamber-se mais e, assim, engole mais pelo. Além disso, não esqueça de oferecer sempre água limpa e fresca ao animal – a água vai ajudar a limpar o sistema digestivo do seu gato.

Veja também