Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Pereira
Inês Pereira
23 Out, 2018 - 12:00

Boxer: tudo aquilo que precisa de saber sobre esta raça

Inês Pereira

A coragem e o instinto protetor fazem do boxer um ótimo cão de guarda. Conheça melhor este canídeo e descubra se é o companheiro ideal para si.

Boxer: tudo aquilo que precisa de saber sobre esta raça

Os cães de porte grande despertam um de dois sentimentos nas pessoas: há quem os adore e quem prefira manter-se o mais afastado possível. Ora, é por isso mesmo que o imponente boxer não conquista toda a gente à primeira vista. Contudo, o seu passado violento de caçador de grandes presas ficou para trás e este é, atualmente, o companheiro ideal para qualquer família – até porque proteção não vai faltar.

No entanto, uma coisa é certa: o melhor é conhecer a fundo a raça antes de levar um amigo de 4 patas para o seu lar. Com um aspeto robusto, forte e intimidante, o boxer é um excelente cão de guarda. Trata-se de um cão cujo peso ideal oscila entre os 25kg e os 30kg, pelo que não é difícil compreender o facto de o considerarem de porte médio/grande. Os músculos definidos, a pose características e a cabeça quadrada e enrugada, com maxilares fortes, tornam-no bastante inconfundível.

Tudo sobre o boxer

saiba tudo sobre o boxer

Com origem na Alemanha, o boxer resulta do cruzamento entre cães “mordedores de touros”. Para além de caçar presas grandes, chegou também a ser utilizado em combates com touros e no controlo de gado nos matadouros. Atualmente, a sua esperança média de vida ronda os 8 a 12 anos – período em que, sem dúvida, terá um excelente cão de companhia que se adapta facilmente a qualquer casa. Porém, devido ao seu tamanho, trata-se de um animal que requer algum espaço.

Embora ligeiramente teimoso, o boxer é um cão extremamente leal e fácil de treinar, especialmente graças à sua vontade de agradar os donos. Apesar da sua pose intimidante, trata-se de uma raça muito brincalhona e, claro, com muita necessidade de exercício físico, pelo que os passeios diários devem incluir brinquedos, corrida e caminhada.

Para além da nota máxima enquanto cão de família, o boxer é também conhecido por ser um ótimo cão de guarda. É um cão bastante observador e desconfiado com estranhos – algo que melhora significativamente a partir do momento em que o dono demonstra que o intruso é bem-vindo. Pode então dizer-se que, apesar da sua simpatia e do seu espírito jovial, é um animal que defende afincadamente a família e aqueles que lhe são mais próximos.

No que se refere à socialização, é uma raça bastante tolerante e as crianças são bem-vindas. Curiosamente, tem tendência a dar-se melhor com gatos do que com outros cães. Em qualquer caso, uma socialização precoce fará maravilhas pelos contactos com outras pessoas e animais.

Alimentação

Embora seja um cão relativamente saudável, o boxer, tal como outros cães, obriga a cuidados específicos. Como tal, a alimentação não é exceção e é muito importante que os donos compreendam que a atenção deve ser redobrada no que se refere a esta raça.

Umas das características marcantes do boxer é a sua avidez a comer. Resultado? O animal acaba por ingerir grandes quantidades de comida ou líquidos demasiado rápido, o que pode fazer com que se engasgue ou, pior ainda, sofra de torção gástrica. Isto significa que as porções de comida do boxer devem ser devidamente controladas pelos donos, de modo a evitar acidentes. No entanto, não se esqueça de que é imperativo garantir que o cão tem sempre água limpa à sua disposição para matar a sede e manter-se hidratado.

Outras grandes preocupações com o boxer são o desenvolvimento da massa muscular e o correto funcionamento cardiovascular. Para isso existe ração especialmente desenvolvida para as necessidades desta raça, com croquetes criados com a forma e densidade adequada ao cão e que trabalham de forma correta a mastigação. Esta comida garante o desenvolvimento muscular, o bom funcionamento do sistema digestivo e a manutenção das defesas do animal.

Saúde

saiba tudo sobre a saúde do boxer

No que diz respeito à saúde e às idas ao veterinário, o boxer é um cão que, geralmente, não obriga a grandes preocupações ou dores de cabeça. Contudo, é uma raça suscetível a desenvolver determinados problemas de saúde devido às suas características físicas e comportamentais – como o caso de comer demasiado rápido.

O aspeto físico do boxer tornam-no praticamente inconfundível. No entanto, é precisamente a sua constituição a principal culpada de algumas das doenças enfrentadas pela raça.

O seu focinho não dá grandes margens para dúvidas: estamos perante um cão com mandíbulas braquicéfalas e que, portanto, pode sofrer de síndrome braquicefálica (o que dificulta a respiração e a tolerância a esforços prolongados).

Por se tratar de uma raça braquicefálica, o boxer tem uma baixa tolerância ao calor. De facto, este problema faz com que não consiga arrefecer o ar que inspira, o que pode resultar num sobreaquecimento generalizado do corpo. Assim, deve controlar a temperatura de casa e evitar ao máximo os passeios nas horas de maior calor.

Ao contrário do que pode pensar, nem só as raças pequenas enfrentam problemas físicos. A verdade é que o tamanho do boxer e o seu peito largo aumentam a probabilidade de sofrer de doenças cardíacas.

Posto isto, é importante saber de cor todos os problemas de saúde que podem afetar o seu fiel companheiro:

  • Displasia da anca;
  • Tumores;
  • Torção gástrica;
  • Cardiomiopatia;
  • Surdez (especialmente nos cães de cor branca);
  • Hiperplasia gengival.
Veja também