ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Bárbara do Carmo
Bárbara do Carmo
13 Set, 2021 - 12:17

Cabo da Roca: viagem até onde a Europa acaba e o mar começa

Bárbara do Carmo

É o ponto mais ocidental de Portugal e da Europa. O Cabo da Roca é também natureza em estado puro, entre a rebeldia do mar e o sopro do vento.

Cabo da Roca

Situado na freguesia de Colares, entre Lisboa e a Serra de Sinta, o Cabo da Roca é todo ele poesia. Conta a história de um Portugal de descobertas e do mar, um Portugal cantado por Camões: “Aqui…onde a terra se acaba…e o mar começa…”. De facto, daqui vê-se quase tudo, aqui têm mundo aos pés.

A história dita que no século XVI existia no Cabo da Roca um forte que teve grande importância na vigia e defesa da capital do reino, especialmente durante as Guerras Peninsulares. No entanto, nos dias de hoje, pouco resta desses vestígios.

Ainda assim, além da imensidão do mar, visitar o Cabo da Roca é ver de perto um dos primeiros faróis edificados no nosso país, datado de 1758, começando a funcionar em 1772. Este farol era o olho que guiava os nossos, muito experientes, navegadores pela costa tumultuosa.

O Cabo da Roca é sem dúvida paragem obrigatória num roteiro pela região – uns minutos em comunhão com a natureza vão fazer bem a toda a família. Pode visitá-lo ao inicio da tarde depois de uma caminhada pela Serra de Sintra, ou guardar a visita para o fim do dia – o pôr do sol, uma vez que o céu esteja limpo, é um momento de uma beleza impar.

A lenda do cabo da Roca

Não sendo consensual de que esta lenda se refira exatamente a este local, os populares contam que uma mãe deu pelo desaparecimento do seu filho e que não o conseguia encontrar em lado algum. Um dia, uns pastores ouviram um choro de rapaz, encontrando-o no sopé de uma falésia. Rapidamente todos ajudaram e o menino voltou para os braços de sua mãe, com aspeto saudável, como se nada tivesse acontecido.

Quando questionado sobre tal façanha, o menino relata que “umas mulheres que voavam o tinham vindo buscar e pelo ar atiraram-no desfiladeiro abaixo”, mas havia uma senhora que todos os dias lhe dava uma sopa de cravos da serra. Decidiu-se, então, fazer uma missa de agradecimento a essa senhora. E foi quando entrou na igreja que o menino reconheceu quem lhe dava comida: a Virgem Maria.

Vista aérea do Cabo da Roca

O postal Azenhas do Mar

Azenhas do Mar é uma pequena aldeia pitoresca caiada de branco cravada numa falésia, a pouco mais de 12 quilómetros do Cabo da Roca. Merece uma visita no caminho. As vistas do topo são desafogadas e agitadas, quer pela força do mar, quer pela intensidade do vento, e um mergulho no ex-libris da aldeia – piscina oceânica é obrigatório.

Aproveite, antes de partir à descoberta da serra para comer o melhor peixe da costa nos restaurantes A Adega das Azenhas ou no Restaurante Azenhas do Mar.

Cabo da Roca: Parque Natural Sintra-Cascais

Inclua a visita ao Cabo da Roca numa escapadinha ao Parque Natural de Sintra-Cascais. Se o Cabo é poesia, Sintra é prosa, mas da refinada.

O Parque Natural Sintra-Cascais foi criado em 1994 e é um ponto importantíssimo quer pela biodiversidade, quer pela história que encerra. São 14 mil hectares de natureza no seu estado mais puro, com uma grande diversidade de fauna e flora, e por isso o local ideal para famílias amantes da natureza.

Existem vários percursos onde poderá usufruir do melhor que a natureza tem para lhe dar. São mais de 200 espécies que habitam este espaço, quer nas zonas de floresta, quer na zona costeira das arribas.

Para além desta diversidade animal, o parque Natural de Sintra-Cascais, é ainda um verdadeiro museu a céu aberto propício a historias imaginadas pelas mentes mais criativas. Aqui pode encontrar os clássicos como o Palácio da Pena, o Castelo dos Mouros, o Palácio Nacional de Sintra, o Forte da Roca ou o Palácio de Monserrate. Locais que atraem milhares de turistas pela sua beleza, história e lendas.

Ou visitar pontos de interesse mais recatados, mas de igual importância como a Capela de S. Mamede de Janas, o Conjunto de Silos Medievais de Colares ou o Monumento pré-histórico da Praia da Maças. Por falar em praias, a Praia Grande ou a Praia do Guincho, estão inseridas no Parque Natural de Sintra-Cascais e são verdadeiras jóias da coroa portuguesa.

Poço da iniciação na Quinta da Regaleira
Não perca Quinta da Regaleira: descida mítica a um conto de fadas

Colares e os seus vinhos

Para além de toda a exuberância natural, uma escapadinha por esta região merece uma visita pelo interior da serra. Colares é uma vila histórica cravada entre o mar e a serra, com um centro rico em património arquitetónico – das igrejas, às casas senhoriais. Ainda visita obrigatória à Várzea de Colares e à Adega Regional, a mais antiga do país. Aliás visitar Colares é provar os vinhos locais – com notas fortemente marítimas devido aos solos arenosos onde estão plantadas as vinhas.

O Cabo da Roca é assim um excelente ponto de partida para explorar uma das zonas mais ricas do país. Um momento em família ou a dois, em perfeita harmonia com a Natureza, no seu estado mais puro.

Veja também