ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
David Afonso
David Afonso
15 Set, 2021 - 14:59

Catalisador entupido: saiba como resolver este problema

David Afonso

Sabe o que fazer quando o catalisador está entupido? Descubra como resolver esse problema e evite futuros problemas no motor.

catalisador entupido

Ter o catalisador entupido é um problema que ninguém quer ter, pois, este é uma peça fundamental no nosso carro que ajuda a reduzir o mal que fazemos ao planeta, além de ajudar a pouparmos dinheiro e a andarmos de um lado para o outro sem dores de cabeça.

Um catalisador ajuda a converter gases tóxicos em gases menos prejudiciais e pode, muitas vezes, acabar por se tornar num problema sério quando entupido. Além disso, numa época em que uma das maiores preocupações mundiais é a poluição ambiental, deve dedicar um cuidado especial ao seu carro, pois ele é um dos principais responsáveis pela emissão de gases poluentes para a atmosfera.

Com efeito, para um melhor comportamento ambiental e rodoviário, saiba como proceder em situações como esta. Descubra como pode ajudar a reduzir a pegada de carbono do seu veículo e aumentar a longevidade do seu motor.

Catalisador do carro: uma peça que faz (toda) a diferença

Antes de explicarmos como proceder em situações de obstrução, vejamos primeiro o conceito de catalisador e como é uma peça importante para qualquer veículo.

O catalisador é uma peça fundamental do sistema anti-poluição de um automóvel. Este elemento do sistema de exaustão permite que substâncias nocivas sejam removidas dos gases de exaustão. Mais precisamente, esse detalhe os neutraliza, transformando-os em gases inofensivos, ou menos prejudiciais para o ambiente.

Como funciona? Qual a sua importância?

O catalisador fica situado na parte de baixo de um automóvel e funciona como um acumulador de calor, que atinge uma temperatura de, aproximadamente, 400 °C após o automóvel ter iniciado a sua marcha. É quando o catalisador atinge esta temperatura que entra em ação o “combate” frente aos gases tóxicos.

O catalisador “recicla” estes gases e modifica-os pelo azoto molecular (N2), vapor de água (H₂O) e dióxido de carbono (CO₂).

Como referido em cima, tudo com o objetivo de tornar menos prejudicial à condução e a própria emissão de gases poluentes.

No fundo, a sua importância é sempre neste dois sentidos. Por um lado, tornar os carros “mais” amigos do ambiente. Por outro, oferecer ao próprio veículo mais valências, relativamente às suas características no mercado.

Com efeito, vejamos agora então, como resolver o que nos trouxe à leitura deste artigo.

Engarrafamento de trânsito
[

Como saber se o catalisador está entupido?

Uma das falhas mais comuns nos nossos veículos é o catalisador entupido. Uma das razões é a acumulação de gases de escape não queimados no próprio catalisador, de modo que este é incapaz de os remover completamente. Na maioria dos casos, não funciona corretamente e começa a mostrar alguns sintomas.

Para que isso não aconteça, deve ter em atenção os aspetos seguintes:

Perda de energia.

Um dos sintomas mais óbvios de um catalisador entupido é uma perda de desempenho do motor. Isto é mais notório quando o motor está em marcha lenta e durante a aceleração. Ocorre quando o processo de combustão não é eficiente e o combustível chega ao conversor catalítico sem ser queimado.

Ruídos na parte inferior do veículo.

Se se ouvirem ruídos metálicos na parte inferior do carro, é possível que haja uma fratura no catalisador. Isto pode dever-se ao choque térmico. Por exemplo, quando o catalisador está à temperatura máxima e de repente entra em contacto com um elemento frio (água, neve…). Esta mudança repentina causa fissuras no corpo cerâmico do catalisador.

Mau cheiro e fumo.

Se o carro emite mais fumo que o normal, é sinal de que o catalisador não funciona corretamente porque está entupido e não filtra corretamente. Isto é causado por uma mistura de combustível excessivamente rica que provoca depósitos de carbono no sistema de escape.

Sobreaquecimento.

Quando a fuligem obstrói as células catalisadoras e bloqueiam o seu funcionamento, os gases de escape não podem passar facilmente e a pressão aumenta, provocando o sobreaquecimento do motor. Esta fuligem vem por vezes do óleo que entra no sistema de escape e queima no catalisador.

Impactos no catalisador.

Deve-se notar que a malha cerâmica do catalisador é um componente frágil e um impacto pode fraturá-lo. Este é um problema grave, uma vez que as peças partidas podem entupir o catalisador.

O óleo do carro.

Deve substituir o filtro do óleo de modo a fazer uma manutenção constante de todas as peças automóveis. Cada litro de óleo não deve exceder os mil quilómetros percorridos, pois ao superar este consumo, o catalisador pode ficar danificado.

Como reparar um catalisador entupido

Este procedimento faz sentido apenas nos estágios iniciais de entupimento. Nas lojas que vendem produtos químicos para automóveis há produtos específicos que ajudam a remover fuligem das células catalisadoras. A embalagem de tais produtos indica como usá-los corretamente.

Se é tomada a decisão de instalar um novo catalisador, fruto de danos “irreparáveis”, deve certificar-se que preservará as configurações de fábrica, ou seja, que estará em conformidade com os padrões ambientais, e o motor servirá o recurso pretendido. Neste caso, o ideal é procurar ajuda especializada para fazer essa mesma troca e garantir que tudo fica a funcionar corretamente.

Por último, é importante lembrar que quanto mais cedo for detetado este tipo de deficiência, melhor. Isto porque vai evitar futuros constrangimentos e vai poupar também na carteira.

Veja também