David Afonso
David Afonso
29 Out, 2019 - 15:51
filtro de partículas carro

Afinal, o filtro de partículas é bom ou mau para os automóveis?

David Afonso

O filtro de partículas nos carros diesel veio atenuar as emissões de CO2, mas implica mais custos de manutenção. No final de contas, será que é bom ou mau?

O artigo continua após o anúncio

filtro de partículas é, desde 2009, um elemento de instalação obrigatória nos veículos com motor a diesel e mais recentemente, desde 2017, também nos carros a gasolina.

A sua principal função é reduzir drasticamente a quantidade de gases do tipo COx e a sua importância tornou-se clara com as constantes ameaças ao aquecimento global.

Apesar de ser um componente extremamente importante para o ambiente, é também um tanto quanto complexo, e aumenta consideravelmente os custos de manutenção de um automóvel, o que levou muitas pessoas a equacionar eliminar este componente do seu carro diesel, mas que muitas vezes desconhecem os riscos e a legalidade inerentes a esta ação.

Saiba como funciona o filtro de partículas nos carros a diesel e gasolina, no que consiste, quais os cuidados a ter e quais os principais perigos resultantes de uma incorrecta “utilização”.

Perceba ainda o processo de manutenção e regeneração que esta peça necessita no seu ciclo de vida e saiba se a sua eliminação é prudente, ilegal ou se, em último caso, valerá realmente a pena.

Filtro de partículas: O QUE É E PARA QUE SERVE?

escape e filtro de partículas

O que é?

Um filtro de partículas, também designado por FAP ou DPF, é um dispositivo conectado ao sistema de escape, cuja função principal é a eliminação das partículas de fuligem dos gases de escape de um motor, ou seja, diminuir a quantidade de gases do tipo COx.

Este filtro é particularmente instalado nos motores diesel e a gasolina , com o intuito em cumprir com as regras de emissões estipuladas pela União Europeia, nomeadamente, por forma a satisfazer a norma Euro 6c.

Como surgiu o filtro de partículas?

A utilização do filtro de partículas diesel, nos veículos equipados com motores diesel, passou a ser obrigatória em Janeiro de 2010, embora alguns grupos automóvel – como a PSA – já utilizem de forma assídua na sua generalidade de gama de veículos, desde 2000.

O artigo continua após o anúncio

A partir de Setembro de 2017, com a entrada em vigor das normas Euro 6c, o filtro de partículas passou a ser obrigatório também nos carros a gasolina.

Como funciona o filtro de partículas nos carros diesel?

Contrariamente ao funcionamento de um catalisador, o filtro de partículas diesel isola a fuligem (substância preta, proveniente da decomposição de matérias dos combustíveis) eliminando-a de seguida, através de um processo de regeneração das mesmas partículas.

Este sistema permite a eliminação de até 85% da fuligem, sendo que, em algumas situações dentro da condução, possa eliminar-se quase 100%.

O filtro de partículas diesel é um processo complexo, que faz com que apenas as partículas de fuligem fiquem retidas nos canais internos do motor. Desta forma, os gases expelidos para o exterior, são meramente os que são livres de partículas poluentes.

Como funciona o filtro de partículas nos carros a gasolina?

Para a limpeza de um motor a gasolina é feita através da retenção do motor, o que é conhecido como regeneração passiva. As partículas sólidas queimam-se devido à elevada temperatura dos gases de escape – entre os 400º e os 700º – e ao oxigénio.

Isto porque, os motores a gasolina atingem mais rapidamente uma temperatura ótima de funcionamento do que os Diesel, o que significa que, mesmo em trajetos mais curtos ou em cidade, conseguem fazer a regeneração do filtro de maneira mais eficaz.

FILTRO DE PARTÍCULAS: CUIDADOS A TER DURANTE A CONDUÇÃO

Tal como todos os filtros que retêm impurezas, também o filtro de partículas diesel requer limpeza e manutenções periódicas.

Quando se usa pouco o carro ou são percorridos trajetos urbanos frequentes, o filtro pode não atingir a temperatura ideal para regenerar as partículas que ficam presas no filtro, o que pode traduzir-se em maiores consumos de combustível e perda de rendimento do motor.

O artigo continua após o anúncio

É importante que se tomem cuidados, principalmente quando a luz de avaria acende no painel luminoso de instrumentos.

De igual modo, nos trajetos em que o veículo esteja a movimentar-se a um ritmo muito lento ou sujeito ao pára arranca – recorrendo ao sistema Start & Stop – o processo de regeneração pode não conseguir completar-se. Quando o acumular de fuligem no filtro for de cerca de 75%, é provável que os avisos surjam no painel de instrumentos.

Se a luz de aviso do filtro de partículas acender, será indicação de que este possa estar parcialmente bloqueado. Caso seja o caso, o ideal é que conduza por mais 10 minutos, a velocidades superiores a 70 km/h, com uma rotação do motor acima da sua média, para que o processo de regeneração se inicie.

Filtro de partículas de travões: a nova invenção automóvel
Também pode estar interessado Filtro de partículas de travões: a nova invenção automóvel

Por outro lado, é requerido que não se ignorem os avisos. Caso o faça, sobretudo num registo de condução de pequenos trajetos, os avisos poderão intensificar e dar origem o aparecimento de outras siglas luminosas, remetendo outras avarias. Caso isto ocorra, o seu veículo irá precisar de ser consultado por um especialista, para que avalie a situação e decida se existe a necessidade de proceder à regeneração do filtro.

Nestes casos, a regeneração poderá deixar de ser possível e só mesmo a substituição poderá solucionar o problema. Desta forma, o condutor deve evitar reprogramações deste componente e uma utilização frequente do carro em percursos curtos.

Recomenda-se  ainda que faça uma limpeza dos filtros – como parte da manutenção periódica – preferencialmente, a cada 120.000 km.

Esta limpeza deve ser feita de forma cuidadosa com base de conhecimento na matéria, idealmente por um profissional qualificado, tendo sempre em conta que a instalação de um novo filtro é uma despesa alta que vale a pena evitar.

Se tiver dúvidas, o melhor será ler o manual de instruções do carro e verificar os procedimentos corretos a adotar para preservar o bom funcionamento do filtro de partículas diesel.

O artigo continua após o anúncio

QUAIS OS PERIGOS e consequências INERENTES ASSOCIADaS A problemas no FILTRO DE PARTÍCULAS?

Mecanico Filtro de particulas

Na presença das siglas luminosas remetendo a problemas no filtro, deve ter prudência logo de imediato.

Se continuar a conduzir, o componente poderá falhar ou mesmo bloquear, acabando por ter que comprar um novo ou recorrer a um serviço de limpeza intensivo do filtro de partículas diesel.

1. Óleo contaminado

Para tentar a regeneração do filtro, o combustível suplementar pode acabar por contaminar o óleo reduzindo significativamente o seu poder de lubrificação.

2. Modo Segurança

Nalguns automóveis existe um modo de segurança que, nos casos extremos, é ativado para que apenas se consiga deslocar até a oficina mais próxima.

3. Lubrificante inadequado

A utilização de um lubrificante que não cumpra as normas indicadas pelo fabricante do automóvel, pode afetar a duração do filtro de partículas.

4. Avarias no motor ou no turbo

Quando se verifica uma avaria na cabeça do motor ou no turbo, existem partículas metálicas que podem acabar queimadas no processo de regeneração.

5. Aumento dos consumos

Ao ficar bloqueado (ou parcialmente bloqueado) ocorre maior pressão no sistema de escape, traduzindo-se num aumento dos consumos.

6. Risco de incêndio da viatura

Por sua vez, existe ainda o perigo de incêndio, nomeadamente se o sistema de escape tiver que gerar temperaturas a rondar os 600º para ocorrer a queima/combustão da fuligem.

Sobre este ocorrência de extrema gravidade, aconselha-se que tenha preocupação redobrada considerar realmente em levar o seu veículo a um especialista por forma a regenerar ou substituir a peça.

Se tiver dúvidas, o melhor será ler o manual de instruções do seu carro. Desta forma verificará os procedimentos corretos a adotar para preservar o bom funcionamento do filtro de partículas.

Como regenerar o filtro de partículas

O processo de regeneração do filtro de partículas diesel é periódico e aciona-se após a fuligem acumulada ter atingido o seu nível mais elevado.

A forma de fazer a regeneração do filtro varia conforme a tecnologia usada pelos fabricantes automóveis. Assim sendo, compreenda a diferença entre regeneração passiva, ativa e forçada.

Regeneração Passiva

A regeneração passiva é feita em trajetos mais longos, como por exemplo, em autoestradas. Quando a temperatura dos gases de escape atingem valores elevados, é possível queimar as partículas que estavam até então retidas nos canais do filtro.

A generalidade dos filtros de partículas diesel faz parte integrante de um catalisador, posicionado perto do motor, com o fim de beneficiar das temperaturas elevadas. São estas temperaturas que permitem uma eficiente regeneração do filtro.

Por sua vez, os filtros mais modernos são revestidos por uma camada de platina nos canais, o que aumenta a temperatura dos gases e permite que as partículas possam ser queimadas e, consequentemente, permitem que o filtro fique limpo.

Regeneração Ativa

Salvo nos casos em que o condutor para o veículo antes do processo de regeneração acabar – consoante mencionado neste artigo – a regeneração ativa ocorre sempre que a acumulação de fuligem no filtro alcance os cerca de 45%.

Nestes casos, o veículo aumenta a temperatura dos gases de escape no filtro de partículas e ocorre mais rapidamente a combustão da fuligem acumulada, regenerando o filtro.

Conforme já mencionado, se um veículo imobilizar-se a meio de um processo de regeneração, é aconselhado que se percorram 10 minutos extra, a uma velocidade de 70 km/h, para então poder-se concluir o processo.

Regeneração Forçada

Em algumas ocasiões será necessária uma regeneração forçada, o que implicará uma visita à oficina o que poderá custar entre 50 e 100 euros.

A limpeza do filtro a pressão aumenta o custo para 200 euros e a mudança completa do filtro implica gastar entre 1500 e 3000 euros consoante o modelo do carro.

Eliminar o filtro de partículas: é legal? Quais os perigos associados?

Como fora supramencionado, a instalação do filtro de partículas diesel nos veículos com motores diesel passou a ser obrigatório desde Janeiro de 2010. Desta forma, a eliminação do filtro é totalmente ilegal e quem o fizer, pode ser alvo de uma sanção por parte das entidades.

A remoção deste componente continua a ser frequente em Portugal e a Associação Nacional de Conservação da Natureza (Quercus) veio já dar o seu parecer sobre o assunto.

Eliminar o filtro de partículas é um erro grave para o ambiente e para a saúde de todos nós, sendo que, de acordo com a Quercus, é ainda mais grave haver a publicidade online de oficinas que efetuam este tipo de serviço ilegal.

Os especialistas afirmam que a eliminação do filtro de partículas diesel conduz a uma significativa redução da contrapressão do sistema de escape, conduzindo a danos irreversíveis no motor do veículo, bem como no comando das válvulas.

É preciso entender que as emissões de partículas finas e invisíveis são as mais nocivas para a saúde e potenciam doenças respiratórias, cancerígenas e cardiovasculares.

Ao mesmo tempo, as normas europeias em vigor visam, pela sua perspetiva realista, que o equipamento de filtros de partículas em veículos com motores diesel são o resultado de inúmeras pesquisas ambientais testadas e comprovadas, e não apenas uma manobra política.

Veja também