Marta Maia
Marta Maia
04 Jul, 2019 - 16:40
Como contratar um seguro automóvel em 7 passos

Como contratar um seguro automóvel em 7 passos

Marta Maia

Aprenda como contratar um seguro automóvel e saiba a que detalhes deve prestar maior atenção para fazer um bom negócio.

O artigo continua após o anúncio

Desengane-se quem pensa que é só procurar um mediador e assinar os papéis: há muito para saber quando se fala em como contratar um seguro automóvel e fazer um bom negócio.

Dos preços às coberturas, das condições às letras pequeninas, há coisas que saem caras se deixarmos que fiquem ao descaso na hora de contratar um seguro para o carro. Saiba quais são e como proteger os seus interesses acima de tudo – mesmo que não tenha ao seu lado um conselheiro desinteressado.

Como contratar um seguro automóvel

como contratar um seguro automovel

Passo 1: a pesquisa

Não é só sobre aprender como contratar um seguro automóvel que aqui se fala: este passo aplica-se a praticamente qualquer negócio em que esteja envolvido. Pesquisar muito bem o mercado é a primeira de todas as condições de um bom negócio, porque só um cliente bem informado faz escolhas acertadas.

Para pesquisar o mercado dos seguros para o carro, saiba quais são as instituições que operam em Portugal e que tipos de oferta têm. Conheça os detalhes de cada uma, o que as diferencia umas das outras, os tipos de pagamento, os tipos de cobertura, as combinações possíveis. Saiba, de trás para a frente, quem oferece o quê – é o seu ponto de partida para um processo bem conduzido.

Passo 2: o filtro da pesquisa

Depois de saber o que o mercado tem para vender, pense sobre o que quer comprar. Lá porque muitas seguradoras oferecem um seguro extremamente completo, não significa que esse seja o melhor para o seu caso.

Saber como contratar um seguro automóvel passa por saber que tipo de seguro automóvel precisa de contratar. Compare a sua lista de necessidades (coberturas, preços,…) com a oferta que há no mercado e resuma as suas possibilidades só aos seguros que coincidem com o que precisa. Todos os outros podem sair de cena, para evitar desperdício de tempo.

Passo 3: a escolha

Com uma lista mais pequena em mãos, é ainda necessário encurtar as opções para um número viável e fácil de manipular. De todas as opções que resultaram do ponto anterior escolha o seu top 3: aquelas que cumprem mais (e melhor) requisitos seus. Não deite fora, para já, os que ficaram excluídos: eles são o seu plano B e pode ter de voltar a eles mais tarde.

Passo 4: a simulação

Com o seu top 3 na mão, é hora de pôr pés ao caminho. Contacte as seguradoras que oferecem cada uma das opções e peça para lhe fazerem uma simulação, isto é, para criarem uma apólice-tipo semelhante à que assinaria se quisesse contratar aquele seguro. O objetivo é comparar todas as simulações, para perceber qual lhe compensa mais.

O artigo continua após o anúncio

Paralelamente ao contacto direto com as seguradoras, pode investir no contacto com mediadores – afinal eles, melhor do que ninguém, sabem como contratar um seguro automóvel adequado às nossas necessidades. Com sorte, pode até encontrar um mediador que consiga fazer-lhe um preço especial ao qual nunca teria acesso por conta própria.

Em qualquer dos casos, deve considerar, durante a comparação, os mais pequenos detalhes de cada apólice: as tabelas de desvalorização da viatura; as tabelas de atualização do prémio (bónus), as franquias, os plafonds,… Não deixe que lhe escape nada. Se for preciso, construa uma tabela em excel onde cada alínea é comparada lado a lado entre simulações.

Passo 5: a reavaliação

Pode acontecer que, ao receber as simulações do ponto anterior, perceba que, afinal, nenhuma das opções do seu top 3 é a ideal. Se tal acontecer, a solução é voltar à lista de opções que resultou do passo 3 e escolher um novo top para as suas preferências.

Escolhido o novo top, deve repetir o passo 4, ou seja, pedir novas simulações e proceder a nova comparação.

Passo 6: a negociação

Encontrou um seguro que cobre uma boa parte dos seus requisitos, mas não todos? É normal. Lembre-se que os seguros são desenhados tendo em conta um perfil-tipo de consumidor, e que dificilmente correspondem na totalidade às suas expectativas. Em todo o caso, não tem de ficar com ele tal como está.

A maior parte das seguradoras abre espaço à negociação – ou seja, pode sugerir a substituição de coberturas que não lhe fazem falta por outras que lhe convêm melhor. Dependendo do grau de semelhança ou de diferença entre elas, pode não ter de pagar nada ou pode ter de aceitar um prémio ligeiramente maior, mas é quase sempre possível pagar menos do que pagaria se contratasse essas coberturas à parte. Assim, negoceie o mais que puder, sem pressa e sem precipitação.

Passo 7: a contratação

Uma vez escolhido e negociado o seguro para o seu carro, pode perguntar à seguradora como contratar um seguro automóvel. A instituição vai explicar-lhe as várias modalidades possíveis – que, geralmente, passam pela contratação online ou pela contratação num balcão físico.

Em qualquer dos casos, vão ser-lhe pedidos os seus documentos de identificação e os documentos de registo da viatura, para cruzamento de dados e cálculo do prémio. Em troca, ser-lhe-á enviada a apólice, para poder estudá-la e, se tudo estiver em ordem, assiná-la. Terá de enviar o documento final à seguradora (em mão, por correio ou online) e pagar.

O artigo continua após o anúncio

Não se esqueça que, após o pagamento, tem de esperar para receber a carta verde, que é o documento comprovativo da existência e validade do seguro. A carta verde inclui um dístico destacável para expor no pára-brisas do carro. Sem ele não pode circular nas estradas portuguesas, sob pena de ser apanhado pela polícia e multado por condução de veículo em situação ilegal.

Veja também: