Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Silva
Inês Silva
17 Ago, 2020 - 15:20

Como criar o seu próprio emprego: dicas e apoios para começar

Inês Silva

Seja porque está desempregado ou porque quer mudar de rumo, saber como criar o seu próprio emprego é uma hipótese a considerar.

mulher empreendedora a ver apoios para criar o seu próprio emprego

Apesar do ato de empreender ser uma atividade considerada de alto risco, ter uma ideia de como criar o seu próprio emprego pode ser a solução para quem quer evitar o desemprego ou dar um novo rumo à sua carreira profissional.

A revista Forbes constatou, em 2015, que Portugal despontava no horizonte como uma nação com destaque para o empreendedorismo. Atividades relacionadas ao mercado do turismo, como os tuk-tuks, e os serviços de pet sitting são uma amostra disto.

Atualmente, face à pandemia da COVID-19, o turismo não será, para já, uma aposta certa, no entanto o emprego online está para durar. Além das plataformas comerciais que já não são novidade para vender produtos, temos também, a juntar-se à carteira de serviços disponíveis na Internet, o ensino online com a oferta das mais variedades de aulas particulares que vão desde explicações de matérias escolares até à prática do exercício físico.

Para saber como criar o seu próprio emprego é preciso ter em conta algumas dicas importantes. São vários os desafios que vai ter que enfrentar porque, já sabemos, não basta ter uma boa ideia. É preciso muita ponderação, investigação, planeamento e, sobretudo, muita determinação. Fique atento e tome nota.

7 dicas sobre como criar o seu próprio emprego

três mulheres empreendedoras a ver soluções para criar o seu próprio emprego
1

Comece com o que sabe

Se vai criar o próprio emprego, é fundamental entender que, apesar de ser importante arriscar, esta é a hora de fazer o que sabe. Coloque em prática algo que já conheça e comece a venda do serviço ou produto para uma rede de contactos conhecida.

2

Procure talentos

É normal que uma pessoa, estando só no negócio, não saiba ou não consiga dar conta de todo o trabalho. Procure aprender com os seus erros, perceba em quais detalhes tem mais dificuldade e, se o investimento permitir, faça por agregar talentos ao empreendimento. Invista em profissionais que possuam qualidades complementares às suas.

3

Aprenda todos os dias

Parar de aprender é uma das coisas que pode acabar com a sua chance de levar adiante o próprio emprego. Nunca deixe de aprender e de aperfeiçoar-se. Tenha um bloco de anotações por perto – pode ser o do telemóvel – e registe os erros e acertos.

4

Determine metas

Uma vez que a ideia esteja decidida, defina metas trimestrais para serem alcançadas. No início pode ser um pouco complicado ter absoluta certeza do que se está fazendo e se a maneira escolhida é a melhor, por isso, defina algumas metas simples para os primeiros três meses. Isto o ajudará a manter-se proativo e com sentido de organização. No trimestre seguinte, outras metas poderão ser definidas.

5

Procure por mentores

A ideia por trás desta dica não é necessariamente depender de um mentor, mas como a função de criar o seu próprio emprego pode ser solitária, ter pessoas mais experimentes com quem conversar pode ajudar a aliviar as dúvidas. Mantenha a conversa em dia, busque inspiração, tire dúvidas. Se eles estão a fazer isto a mais tempo, provavelmente, possuem algumas dicas para compartilhar.

6

Não esqueça da família e amigos

Geralmente, quem procura empreender, deseja ser o seu próprio chefe e não trabalhar para outra pessoa, todos os dias das 9h às 18h – em situações, muitas vezes, de stress. Se este é o seu caso, não deixe que a sua nova condição ocupe todo o seu tempo. Priorize os momentos de qualidade com quem ama e faça valer a pena todo o esforço da mudança.

7

Em vez de vender, seja comprado

Esta é a meta final de qualquer um que deseja saber como criar o seu próprio emprego: ofereça um serviço ou produto tão bom que, ao em vez de precisar vendê-lo, o produto ou serviço seja comprado sem grande esforço, sem precisar de convencer o cliente a comprar.

COMO CRIAR O SEU PRÓPRIO EMPREGO: APOIOS PARA COMEÇAR

Existem algumas opções de programas de apoio a nível financeiro, fiscal, jurisdicional ou simplesmente a nível técnico para a criação de micro e pequenas empresas. Continue a ler e saiba onde encontrar informação e apoios.

Portal dos Incentivos

O Portal dos Incentivos, ainda que não seja verdadeiramente um apoio, trata-se de um projeto que tem como objetivo principal, informar o tecido empresarial, de uma forma geral, e os empreendedores, em específico, para um conjunto de informações relativamente ao incentivos e apoios disponíveis.

Garantia Jovem

O portal Garantia Jovem também disponibiliza algumas medidas de apoio ao empreendedorismo que pode explorar para o ajudar a criar o seu próprio emprego ou empresa!

IEFP

Também o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) disponibiliza apoio a vários níveis.

Como já falámos acima de apoio a jovens e apoio ao microcrédito, queremos só chamar à atenção ao apoio técnico disponibilizado pelo IEFP através da medida “Apoio Técnico à Criação e Consolidação de Projetos. É de aproveitar!

IAPMEI

O IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação é um instituto público que tem por missão promover a competitividade e o crescimento empresarial, visando o reforço da inovação, do empreendedorismo e do investimento empresarial.

Na página do IAPMEI estão reunidos os vários apoios ao empreendedorismo, para pequenas e médias empresas, distribuídos por diferentes áreas.

11 características de um perfil empreendedor
Veja também 11 características de um perfil empreendedor

COMO CRIAR O SEU PRÓPRIO EMPREGO: ABRIR ATIVIDADE OU EMPRESA

Para começar, além dos apoios, importa também saber quais as vantagens e desvantagens de abrir atividade ou abrir empresa em nome individual e escolher a que melhor se adapta à sua ideia de negócio.

Abrir empresa em nome individual

Vantagens

  • Optando pelo regime de contabilidade organizada, é possível reduzir custos fiscais;
  • Dá direito a subsídio de desemprego;
  • Não há capital social mínimo;
  • Pode utilizar o património relacionado com a atividade profissional em caso de dívidas pessoais ou do cônjuge;
  • Controlo absoluto sobre as diversas áreas do negócio, facilitando a tomada de decisões.
  • Baixo Custo Fiscal pois tributado em sede de IRS, o que na prática se traduz na entrega de uma só declaração.

Desvantagens

  • Não há separação do património, ou seja, se contrair dívidas, o seu património pessoal e do seu cônjuge fica em risco.

Abrir atividade como trabalhador independente

Vantagens e Isenções

  • Ao faturar menos de 12.500 euros anuais, fica isento de pagar IVA ao Estado e dispensado de fazer retenção na fonte de IRS;
  • Se trabalhar simultaneamente por conta de outrem, também poderá ficar isento de contribuir para a Segurança Social e de apresentar a declaração trimestral.

Desvantagens

  • Comparando com o regime de empresário em nome individual, a grande desvantagem é não poder justificar despesas se optar pela contabilidade simplificada. Nesse caso, são considerados para efeitos de imposto 75% do rendimento declarado. Mas é sempre possível optar pelo regime de contabilidade organizada mesmo como trabalhador independente.
Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].