Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
14 Ago, 2020 - 14:52

Sabe mudar um pneu corretamente, e em segurança?

Afonso Aguiar

Provavelmente até aprendeu na escola de condução, mas já não se lembra. Saiba como mudar um pneu corretamente em 5 passos, sem comprometer a sua segurança.

homem a reparar pneu furado

Hoje em dia, com a adição dos kits “rápidos” de reparação de pneus, saber como mudar um pneu corretamente pode não ser o topo das prioridades para um condutor. Aliás, já há marcas que optam pelos kits em detrimento do pneu sobresselente.

Porém, para que não hajam dúvidas, a opinião dos especialistas é unânime: o pneu suplente é uma opção mais segura e duradoura do que um kit de reparação de pneus.

Como mudar um pneu: O passo a passo

Reparadores de furos em pneus: o que são, como usar e onde comprar

Passo 1: Antes de começar a trocar o pneu

Assim que detetar o furo ou o problema no pneu, ligue os quatro piscas e procure travar o carro, em segurança, junto da margem direita da estrada, mantendo as luzes ligadas.

Depois, ainda dentro do carro, vista o colete refletor e, posteriormente, sinalize o local colocando o triângulo entre 30 metros a 100 metros do veículo. Porém, se houver um curva próxima, procure colocar antes da mesma.

Agora que já agiu conforme dita a lei, está na altura de arregaçar as mangas. Normalmente, o pneu sobresselente está localizado na mala, num fundo falso, onde também encontrará os restantes itens necessários: o macaco e a chave de porcas.

Passo 2: Colocar o macaco e subir o carro

Tenha cuidado com este passo. Normalmente, o manual do carro indica o local exato onde deve colocar o macaco, sendo que uma má colocação significa que o veículo poderá cair sobre si e/ou danificar o tambor ou o disco do travão.

Habitualmente, no chassi, por baixo das portas, encontrará um local especialmente preparado para encaixar o macaco. Não se esqueça, no entanto, de colocar a base do mesmo na horizontal e não inclinada. Este erro poderá originar as situações acima descritas.

Depois, é só “dar à manivela” até que as rodas estejam cinco centímetros acima do nível do solo.

Como segurança adicional, coloque o pneu suplente deitado sob o chassi do carro. Neste caso, caso o macaco ceda, o carro ficará apoiado sob o pneu e jante suplentes. Quando estiver a colocar o pneu suplente no carro, utilize a jante convencional e o pneu furado para lhe dar esta segurança extra.

Passo 3 – Retirar o pneu danificado

Este passo é simples. Use a chave de porcas para desenroscá-las e retire o pneu danificado. Preferencialmente deve fazê-lo na diagonal. Ou seja, primeiro de um lado e, depois, na extremidade oposta (por exemplo, se for a porca em baixo e na esquerda, deve optar depois pelado lado de cima na direita).

Não se esqueça de guardar as porcas num lugar seguro porque terá que as utilizar mais tarde.

Passo 4 – Coloque o pneu sobresselente

Coloque o pneu sobresselente no local aonde anteriormente se encontrava o pneu danificado e aperte as porcas com a chave. Tal como no passo anterior, assegure-se que aperta as porcas na diagonal. Neste caso, esse ato é ainda mais imprescindível do que no tópico acima.

Passo 5 – Desça o macaco e guarde as ferramentas e o pneu

Agora que já mudou o pneu, basta descer lentamente, através da manivela, o macaco. Tenha algum zelo. Se o fizer demasiado depressa provocará um impacto desnecessário nos pneus e nos amortecedores do veículo.

Depois, é só guardar o pneu danificado e as restantes ferramentas no local onde se encontravam, provavelmente no fundo falso da mala.

Cuidados a ter com o pneu suplente

homem a mudar pneu

Após mudar o pneu, é importante ter alguns cuidados.

Tal como os kits de reparação de pneus, os sobresselentes têm uma velocidade limitada de 80 km/h e, apesar de terem uma vida útil maior que um pneu arranjado com um desses kits, é aconselhável que vá arranjar, o quanto antes, junto de um oficina, o pneu danificado e voltar a trocá-los, principalmente se o sobresselente não for do mesmo modelo que os restantes.

Isto porque os pares de rodas dianteiras e traseiras têm de ser iguais em modelo, pressão e calibragem.

Deve também ter a atenção e o cuidado de, quando reparar o pneu “convencional”, voltar a encher o pneu suplente com a pressão recomendada pelo fabrincante antes de o voltar a guardar. Desta forma, caso seja necessário, estará sempre pronto a ser usado.

Veja também