Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luís Neves
Luís Neves
23 Jan, 2020 - 18:37

Como será o automóvel em 2030?

Luís Neves

Elétrico, autónomo, partilhado, conetado e atualizado em tempo real. Descubra as 5 tendências que vão transformar o automóvel nos próximos tempos.

tablier de carro do futuro

Que o automóvel está atualmente a reinventar-se, parece unanime – veja-se a tecnologia elétrica e autónoma. Mas o que será do automóvel nos próximos anos? Quais serão as tendências que vão transformar um objeto de paixão e de sentimento de propriedade?

Adivinhar o futuro parece impossível, mas vão surgindo alguns indicadores aqui e ali da direção que o automóvel está a seguir. O que parece certo é que o carro “do futuro” será elétrico, autónomo, partilhado, conetado e atualizado em tempo real, um pouco à semelhança do que acontece com os telemóveis.

Atendendo ao salto tecnológico do automóvel e às exigências em termos de emissões (ou ausência delas), é fácil imaginar que praticamente a totalidade do parque automóvel venha a tornar-se eletrificada, possivelmente com o hidrogénio como um combustível alternativo aos puros elétricos.

Também o número de quilómetros percorridos por ano de automóvel deverá crescer significativamente. Estima-se que na Europa passe de 3,7 para 4,2 mil milhões de quilómetros em 2030.

5 tendências que prometem transformar o automóvel como o conhecemos

carro do futuro

1. Elétrico

É inevitável, nem que seja por questões políticas e ambientais, o automóvel elétrico está a democratizar-se, e muito rapidamente…

A Smart, depois de abandonar o Diesel, abandona agora a gasolina, ou seja, a partir de agora Smart só elétrico. E outras marcas deverão seguir os passos.

2. Autónomo

Das 5 grandes tendências será a que mais tarde se fará realidade. Prevê-se que em 2022/2023 sejam lançados os primeiros veículos com um nível 4 de automatização – o nível 5 marca a condução totalmente autónoma.

Este ponto estará dependente de vários fatores, uns mais complexos que outros: alteração das regras da estrada (específicas para tecnologia autonoma) e atualização da sinalização.

3. Partilhado

Algo que parece difícil, mas que as mudanças de mentalidade e a limitação da circulação de automóveis com uma só ocupação deverá impulsionar.

Estudos apontam que um de cada três quilómetros sejam realizados em carro partilhado. Algo que fará que o uso do automóvel seja feito, não por propriedade, mas por utilidade.

4. Conectado

Uma realidade em 2030. Será realizado de acordo com três âmbitos: entre os próprios veículos, com as infraestruturas, e entre os ocupantes dos carros e o mundo exterior.

Algo que permitirá aos passageiros navegar na internet, assim como aceder a conteúdos multimédia durante os trajetos. Já se imaginou a ver um filme enquanto está a fazer a deslocação para o trabalho ou de regresso a casa depois de um longo dia de trabalho?

Segundo estudos, em 2030, cerca de 70 por cento dos carros a circular na Europa e Estados Unidos estará conectado, enquanto na China esta percentagem chegará aos 100 por cento.

5. Atualização automática

Algo semelhante ao que acontece com os smartphones e com alguns modelos novos, especialmente os elétricos.

Sempre que há upgrades ou correções no software, a atualização é feita de forma automática “on the air” sem que o condutor e proprietário se aperceba.

Veja também