Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
André Freitas
André Freitas
13 Mai, 2020 - 17:50

Vale a pena comprar um automóvel usado?

André Freitas

Na impossibilidade de comprar carro novo, muitos são os que optam por comprar um carro usado. Mas será que é um bom investimento? Saiba os cuidados a ter.

comprar automóvel usado

Comprar um automóvel usado é uma decisão que necessita sempre alguma ponderação e investigação.

Não conhecer o historial do carro ou não ter já a garantia dada pelo fabricante, para algumas pessoas, pode ser desde logo um fator eliminatório quando se trata de automóveis usados. Por outro lado, para os “experts” em carros, é nos automóveis com alguma idade que se conseguem os melhores negócios.

Neste artigo vamos enumerar as vantagens e desvantagens de comprar um automóvel usado e vamos ainda mostrar-lhe quais os cuidados a ter antes de efetuar esta compra.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE COMPRAR AUTOMÓVEL USADO

homem a entregar chave de carro a mulher

Em média, um carro desvaloriza 15% a 25%, daí que muitas pessoas prefiram comprar o carro dos seus sonhos com poucos anos, pois a probabilidade de ter um mau historial é menor e não estará tão desvalorizado, e portanto, uma solução equilibrada.

Vantagens de comprar um automóvel usado

  • preço mais baixo;
  • menor desvalorização do carro: um carro novo desvaloriza imediatamente após sair do stand. Um carro usado terá um custo inicial mais baixo e já não terá esta desvalorização inicial tão grande;
  • alguns erros de fabrico podem já ter sido detetados e corrigidos pelo(s) anterior(es) proprietário(s);
  • os stands automóveis são obrigados, por lei, a dar garantia dos seus carros usados.
  • se se tratar de um carro semi-novo (com um ou dois anos e poucos quilómetros) é muito provável que consiga um bom negócio numa perspetiva de relação qualidade/preço;
  • o carro fica disponível de imediato.

Desvantagens

  • desconhecimento do historial do carro: mesmo podendo consultar o historial do carro, eventuais acidentes e até as revisões realizadas, esta informação pode não ser suficiente ou verdadeira, até. São muitos os casos em que os quilómetros indicados não correspondem à verdade sendo, na realidade, um número bastante superior;
  • possibilidade de existirem maiores custos com a manutenção;
  • o risco de que alguma peça importante para o funcionamento do veículo não estar em boas condições;
  • possibilidade do número de identificação do chassis ou do motor não corresponder ao registado nos documentos do automóvel.

Em suma, se é um carro usado que pretende comprar, defina prioridades (motorização, tecnologia, segurança, por exemplo), analise quais as ofertas no mercado para o orçamento disponível e, quando encontrar algum negócio interessante, faça uma pesquisa profunda.

CUIDADOS A TER e o que deve analisar antes de COMPRAr UM automóvel USADO

chave de carro em cima da mesa

Exterior

Com a iluminação apropriada, verifique toda a parte exterior do veículo.

Tenha especial atenção ao guarda-lamas, portas, e todas as extremidades do carro. O objetivo será perceber se existe ferrugem ou riscos profundos na pintura do automóvel.

Tente perceber se existem diferenças na pintura do carro, ou desalinhamentos nas portas, capô, bagageira, e vidros. Caso isto se verifique, é muito provável que o carro já tenha sofrido algum acidente.

Para perceber se o carro já passou por algum acidente, poderá utilizar um íman.

Se este aderir menos em determinadas zonas, é porque foram realizadas reparações com massa.

Interior

Analise o estado dos estofos e dos plásticos. Verifique o funcionamento do painel de instrumentos e dos cintos de segurança.

Números do contador de quilómetros desalinhados pode significar que existe fraude. Veja se os pedais estão gastos, em caso afirmativo, isso significa que o carro deverá ter vários quilómetros.

Verifique se a manete das mudanças não tem folgas e está em bom estado.

Carregue em todos os pedais e tenha especial atenção com o pedal do travão. Pressione-o durante cerca de 20 segundos e verifique se este mantém a pressão inicial. Em caso negativo, pode haver uma fuga no sistema de travagem. Teste também o travão de estacionamento.

Rode o volante para confirmar se as rodas seguem o movimento e não existem folgas.

Teste ainda os piscas, faróis, buzina e limpa para-brisas.

Levante os tapetes e verifique se o forro do chão está gasto ou tem ferrugem. Tente perceber ainda se existem odores fortes dentro do automóvel.

Bagageira

Verifique o estado geral do interior da bagageira, o estado dos amortecedores da porta e se existe pneu sobressalente, macaco, triângulo e estojo de ferramentas e se estes se encontram em bom estado.

Pneus e amortecedores

Analise cuidadosamente os pneus. Se estes apresentarem um desgaste irregular, poderão existir problemas com a suspensão, ou os pneus poderão não estar corretamente equilibrados ou com a pressão correta.

Veja se o relevo dos pneus têm, pelo menos, a altura mínima exigida por lei (1,6 milímetros).

Teste ainda os amortecedores. Apoie-se sobre os guarda-lamas, e depois liberte-os simplesmente. O carro deverá oscilar uma ou duas vezes. Se oscilar mais vezes, os amortecedores poderão ter algum problema.

Interior do capô

Procure sinais de ferrugem.

Um truque bastante usado é limpar o motor para dissimular fugas de óleo. Desconfie dessa limpeza. Se, por outro lado, estiver muito sujo, poderá indicar falta de cuidado e má conservação.

Se o líquido do depósito do circuito de arrefecimento tiver ferrugem ou estiver oleoso, isto pode significar que a junta da cabeça poderá estar a vedar mal.

Verifique o estado dos tubos de borracha e o estado da correia de distribuição.

Procure eventuais fugas de óleo. Meça o nível do mesmo, analise a sua cor e textura e, ainda, o estado do filtro.

Atente, também no estado e data da bateria e veja, no manual de instruções, se é a recomendada pelo fabricante.

Verifique também o nível do líquido dos travões e do para-brisas. 

Debaixo do carro

Também debaixo do carro deverá procurar sinais de ferrugem, fugas de óleo, combustível ou água, outros danos ou sinais de reparação.

Faça um testest-drive

Faça um test-drive de, pelo menos, 30 minutos.

Escolha percorrer um trajeto diversificado (retas, curvas, alcatrão, terra batida) e em diferentes níveis de velocidade.

Teste o volante, a embraiagem, os travões, a caixa de velocidades, os amortecedores e o travão de estacionamento.

Durante o test-drive, esteja atento a ruídos do exterior e do interior.

Pedir a opinião a um mecânico

Se conhecer algum mecânico de confiança poderá pedir que o acompanhe para verificar o estado do carro.

Mesmo seguindo todos os pontos mencionados, um mecânico conseguirá, mais facilmente, detetar algum problema.

Veja também