ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Márcio Matos
Márcio Matos
10 Mar, 2021 - 15:12

Crato: páginas de história no coração do Alentejo

Márcio Matos

Crato é uma vila alentejana que fica no distrito de Portalegre. Se já ouviu falar do seu festival de verão, saiba que há mais para ver neste destino pacato.

Mosteiro do Crato

O Crato é uma vila alentejana, pacata e tranquila, que fica em Portalegre. Um dos ex-líbris locais é, sem dúvida, o Mosteiro de Flor da Rosa e a tradição monástica que legou à região.

Esta vila é pequena, mas está muito bem preservada, caraterizado pelo seu casario branco com faixa, tipicamente alentejano. Há mais de 30 anos que esta vila também é conhecida pelo seu Festival, o Festival do Crato que atrai muitos visitantes à vila, por altura do verão.

Crato: o que não pode perder nesta vila alentejana

Esta vila alentejana, apesar de simples e de pequena dimensão, possui um património rico e diversificado, composto por uma vastidão de monumentos de interesse. À cabeça, o Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa, onde atualmente funciona uma das magníficas Pousadas de Portugal. Merecem, também, menção a sua Igreja Matriz do século XIII, as ruínas do Castelo Altaneiro, a Capela de Nossa Senhora do Bom Sucesso e a Casa Museu Padre Belo.

Além disso, esta é uma região com valor arqueológico, já que possui vários monumentos megalíticos, como a Anta do Couto dos Andreiros ou o Penedo do Caraça, entre muitos outros. A natureza também impressiona pela sua beleza. Nas proximidades há três barragens para visitar: a de Vale Seco, a da Arreganhada e a da Câmara. Aí, é possível realizar diversas atividades desportivas, náuticas e de lazer.

Centro da cidade do Crato

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

O Mosteiro da Ordem do Hospital de Flor da Rosa foi fundado em 1356 e está localizado na aldeia de Flor da Rosa, perto de Crato. É um monumento muito importante na região e, desde 1995, funciona como pousada.

O edifício é composto por três “partes” distintas: a igreja-fortaleza de estilo gótico, um paço-acastelado gótico (mas já com alterações quinhentistas) e as restantes dependências conventuais, renascentistas e mudéjares.

Ponte Velha do Crato

Na Ribeira do Chocanal, a cerca de 100 metros do Crato, fica esta também chamada de ponte romana, uma construção em alvenaria de granito. Julga-se que a construção seja medieval, embora as aduelas dos arcos possam ter tido origem romana ou, então, tenham sido feitas, reutilizando materiais do passado.

Festival do Crato

Desde 1984, que a vila do Crato também é conhecida pela sua Feira de Artesanato e Gastronomia que, este ano, já conta a sua 35ª edição. Atualmente, aquela que começou como uma feira regional, tornou-se num festival de dimensão nacional, onde vão tocar não só artistas portugueses, como internacionais.

Este ano, o Festival terá lugar de 27 de agosto a 31 de agosto, como cabeças de cartaz como: Gipsy Kings, Gentleman, Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, Ivete Sangalo e Gavin James. Contudo, pode ainda contar com outros nomes conhecidos como os de Capitão Fausto, Tiago Nacarato e The Gift.

O que ver nos arredores de Crato

Castelo de Alter do Chão

Alter do Chão

Outra vila pacata alentejana, também pertencente ao distrito de Portalegre. Além do casario, de um ou de dois andares, e branco e de faixa colorida, há casas senhoriais dos séculos XVII e XVIII para admirar ao longo das ruas.

O património de Alter também é bastante rico. Aqui, encontra-se o Castelo, a Igreja do Nosso Senhor Jesus do Outeiro, a Igreja da Misericórdia, a Capela de Santana, a Igreja de São Francisco, a Igreja de Nossa Senhora da Alegria, a Igreja do Convento de Santo António e a Capela de Santo António dos Olivais.

É, também, em Alter que fica a Coudelaria, fundada em 1748 por D. João V, com vista à criação de cavalos de raça lusitana para a Picaria Real. Atualmente, é aí que funciona a Escola Profissional Agrícola de Alter do Chão, a Escola Portuguesa de Arte Equestre e um Pólo da Universidade de Évora.

Estação de Cabeço de Vide

Cabeço de Vide

Esta é uma freguesia que pertence ao concelho de Fronteira. Do seu património, destacam-se as ruínas do Castelo, a Capela do Espírito Santo, o Pelourinho, o Cruzeiro e Estação de Caminhos de Ferro, decorada com azulejos que narram cenas da vida rural.

Nesta região, ficam também as Termas de Sulfúrea, indicadas para o tratamento de doenças de pele, respiratórias e reumáticas. São utilizadas desde a época da ocupação romana e dispõem de diversas fontes e nascentes, numa área arborizada.

Panorâmica de Castelo de Vide

Castelo de Vide

Esta vila fica numa colina da Serra de São Mamede. O seu casario branco florido é encimado pelo Castelo, rodeado por vários legados megalíticos, como o Menir da Meada. De visitar é, também, a “Judiaria”, que ainda preserva a sinagoga, as janelas e portas ogivais das habitações, assim como as portas da oficina ou comércio, algumas decoradas com símbolos profissionais.

Prove ainda pratos típicos como o sarapatel (vísceras de borrego ou cabrito), o ensopado de cabrito ou as migas com entrecosto. Termine a viagem, degustando, alguns dos licores produzidos na região.

Veja também