Maria Graça
Maria Graça
10 Nov, 2022 - 11:17

Alter do Chão: um refúgio para a mente no coração alentejano

Maria Graça

Desligue da rotina e da correria da vida citadina na tranquilidade de Alter do Chão, no coração do Alto Alentejo.

Castelo de Alter do Chão

Em pleno Alentejo, a pouco mais de duas horas de distância da movimentada Lisboa, encontramos paz e tranquilidade em Alter do Chão. Rica em extensas paisagens verdes, em tradição e história, esta vila é o refúgio que procura para fugir do stress do quotidiano.

Sede de município, apresenta origens que remontam à época romana, e que ainda hoje são visíveis nas termas e na ponte da Vila, dois dos principais pontos de interesse da vila.

Abelterium, como era apelidada nas suas origens, expandiu-se a partir do século XIV em torno do castelo, mandado erguer em 1359 por D. Pedro l. Localizado na Praça da República, principal ponto da vila, o castelo é ainda hoje um dos principais centros de atração de Alter do Chão.

Fique a conhecer um pouco mais do que o património de Alter do Chão tem para oferecer, porque não só de história vive esta vila!

O que não pode deixar de visitar em Alter do Chão

Castelo de Alter do Chão

A origem do Castelo remonta à necessidade de erguer uma fortificação nas estradas que ligavam Lisboa a Mérida. Em 1359, o foral da vila foi reformulado por D. Pedro l, que ordenou a construção do castelo onde se acredita que estivessem as ruínas da fortificação.

Devido à reformulação do foral, o rei D. Fernando I deu os domínios da vila ao Condestável D. Nuno Álvares Pereira, e mais tarde, o castelo de Alter do Chão passaria para a filha de D. Nuno Álvares Pereira, que se casou com o duque de Bragança. O Castelo passou então a pertencer aos domínios desta casa.

Atualmente está na posse da Fundação da Casa de Bragança, mas classificado como Monumento Nacional.

Construído sobre uma planta quadrangular, apresenta muralhas de xisto e granito, reforçadas por seis torres, e a sua arquitetura não deixa ninguém indiferente.

Coudelaria de Alter

Fundada em 1748, esta antiga Coudelaria Real tinha como objetivo preparar cavalos para a Picaria Real.

Apresenta 800 hectares dedicados à nobreza do Lusitano, um dos exlíbris da região, onde pode aproveitar para ter lições de equitação ou para passear em carros de cavalos.

Se prefere abdicar da prática, aproveite para ver os potros e éguas a pastar. Poderá também visitar os picadeiros, as cavalariças ou o Museu, repleto de informação sobre a criação de cavalos nacionais.

Não vai querer também perder também a emblemática “saída da eguada”, momento diário em que todas as éguas saem para a pastagem.

Coudelaria de Alter do Chão
O magnífico puro sangue lusitano na Coudelaria de Alter do Chão

Ruínas romanas

Classificado como Imóvel de Interesse Público em 1982, o espaço das ruínas romanas da Estação Arqueológica de Ferragial d’El Rei, foi descoberto em 1954, durante os trabalhos de construção do campo de futebol municipal.

As intervenções arqueológicas, desvendaram parte de um edifício termal, uma casa romana e uma necrópole datada da Antiguidade Tardia.

No entanto, estas estruturas representam apenas uma pequena parte do aglomerado urbano que constituíam Abelterium.

Herdade do Monte Barrão

A herdade do Monte Barrão é propriedade da família desde o século XIV.

Hoje com 600 hectares de agricultura e pecuária, a herdade beneficiou de inúmeros investimentos e apresenta importantes produções de uva, melão e melancia, azeitona, cereais e forragens

Não faltam espaços e cenários para piqueniques campestres, percursos de BTT, passeios a pé, a cavalo, de charrete, de balão, de barco, ou até mesmo para modalidades nas suas duas barragens, incluindo jet-ski, ski aquático e canoagem.

As barragens permitem a prática de pesca desportiva e a observação de diversos animais, garantindo aos visitantes uns dias bem passados. 

Gastronomia

E depois de explorar toda a história que Alter do Chão tem para oferecer, chegou a altura de se deliciar com o melhor da gastronomia que a vila tem para oferecer.

Aqui vai poder deliciar-se com pratos típicos, doçaria regional, vinhos DOC, produtos DOP, mel regional, e especialidades da gastronomia regional.

Anualmente realiza-se a semana gastronómica do açafrão, onde este produto é protagonista. O açafrão-bastardo serve de base à elaboração do saboroso Arroz Amarelo que acompanha o ensopado de borrego, um prato obrigatório na região.

E como diz quem passa por Alter do Chão que é «deliciar-se e voltar», não poderíamos estar mais de acordo. Explore as pequenas maravilhas que esta região tem para oferecer, enquanto descansa e enriquece a alma.

Veja também