Inês Silva
Inês Silva
19 Mar, 2020 - 12:32

Criatividade e inovação no trabalho: saiba como estimular

Inês Silva

Criatividade e inovação no trabalho são competências sempre em alta e mantê-las pode ser um desafio. Saiba como estimular as suas capacidades.

colegas num escritório numa sessão de brainstorming

Ficar sem ideias, encontrar-se desmotivado ou sem inspiração, sentir-se bloqueado… Acontece a todos. Torna-se importante encontrar estratégias para estimular competências essenciais: criatividade e inovação; e isso quer no trabalho, quer na vida pessoal. Não consegue ligar ou desligar uma mente criativa, mas pode, sem dúvida, treiná-la.

Já ouviu falar, com certeza, no conceito de pensamento vertical. Este tipo de pensamento destaca a corrente sequencial lógica e correta das ideias, ou seja, os passos que se seguem para alcançar a solução são muito importantes, de modo a que a direção do pensamento esteja claramente definida, deixando antever uma solução.

Além disso, partem de ideias ou conhecimentos prévios que já foram validados e de soluções que já demonstraram a sua eficácia.

Esta forma de estruturar os pensamentos é muito útil em determinados campos, como nas matemáticas e nas ciências. Mas se é criatividade e inovação que procura para a sua vida profissional, não é esta a corrente que deverá seguir.

Não se engane: não são só profissões artísticas que a pedem. Todas as áreas profissionais precisam de criatividade e inovação. Todas as empresas e negócios têm prazos e regras a cumprir, hierarquias a respeitar, e estes fatores podem ser responsáveis por desencorajar um pouco a criatividade de quem nelas trabalha. É importante “investir” em ferramentas que estimulem um espírito criativo. Mas, quais são e como fazer uso delas?

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO: DICAS NO MUNDO DO TRABALHO

São vários os líderes e executivos de empresas de sucesso que defendem algumas ideias ou iniciativas que podem ajudar os colaboradores a apostar mais na sua mente criativa. As dicas são simples e vai querer tomar nota:

  1. Criar um ambiente o mais livre de stress possível;
  2. Dar feedback de forma constante e consistente;
  3. Interagir com o máximo de colabores possível;
  4. Criar um ambiente de trabalho em que se respeite características como inovação e criatividade, em vez de um constante e automático cumprimento de tarefas;
  5. Realizar sessões de brainstorming;
  6. Tomar decisões rápidas e não perder tempo a tentar resolver o que não funciona à primeira tentativa;
  7. Incentivar atividades que incentivem a criatividade e inovação.

É importante que hábitos criativos partam dos líderes. Se for o seu caso, e pretende inspirar e motivar a sua equipa, não deixe de se colocar no lugar deles durante algum tempo. Perceba o que é que eles precisam, aponte todas as ideias que tem e incentive-os a fazer o mesmo.

Tenha, desde já, uma preocupação com a criatividade e proatividade durante o processo de recrutamento e não tenha medo de aprender com outros exemplos. E, para completar, lembre-se do que diz o ditado: “a pressa é inimiga da perfeição”.

Destacando o último ponto da lista de dicas, existem atividades, cursos e formações que podem ter resultados excelentes para uma equipa de trabalho.

homem criativo a pensar em projeto

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO: LATERAL THINKING E DESIGN THINKING

O que é o Lateral Thinking?

Este conceito foi apresentado, em 1967, por Edward de Bono e implica introduzir processos mentais da criatividade, engenho e perspicácia na formação do pensamento de forma a observar a realidade vista de diferentes ângulos, permitindo, assim, desafiar a lógica e reestruturar e mudar ideias previamente aprendidas.

O lateral thinking, ou pensamento lateral em português, é um conjunto de processos que fornece uma maneira deliberada e sistemática de pensar de forma criativa que resulta num pensamento inovador.

Enquanto o pensamento crítico, ou chamado pensamento lógico ou vertical, procura avaliar a realidade numa perspetiva de verdadeiro ou falso, o pensamento lateral quer passar da ideia previamente conhecida para a criação de novas ideias.

O que este conceito, no fundo, preconiza é que, muitas vezes, tentar pensar mais na mesma direção pode não ser tão útil quanto mudar de direção para encontrar a solução ou ideia ideal.

4 formas de desenvolver o pensamento lateral:

  1. Ideias aleatórias: é essencial ter uma mente aberta e, para encontrar soluções, pensar em várias ideias por mais estranhas ou discordantes que pareçam.
  2. Utilizar analogias: servem para comparar ideias que aparentemente nada têm a ver umas com as outras e afastar-se dos estereótipos.
  3. Método da inversão: pensar um problema ou um desafio ao contrário do preestabelecido e e analisar diferentes visões.
  4. Fracionamento ou divisão: subdividir o problema em partes menores para analisar o desafio de uma forma mais ampla.

O que é Design Thinking?

O Design Thinking é uma abordagem que ajuda a mudar o estado mental e estimula a resolver problemas com novas perspetivas, encontrar soluções e dar respostas colocando sempre as pessoas no centro das decisões e envolvendo-as em todo o processo, desde o entendimento, até a entrega das soluções.

David Kelley e Tim Brown lançaram, em 2009, o livro Design Thinking – Uma Metodologia Poderosa Para Decretar o Fim das Velhas Ideias.

Existem formações e cursos que se focam na motivação para a criatividade no mundo laboral. Tem estado particularmente em destaque o Design Thinking, uma ferramenta que aposta na cultura da inovação focada nas pessoas e colaboradores. Deixamos-lhe algumas sugestões:

Liberte-se da ideia de que um bom trabalho é feito a cumprir prazos e regras de forma automática, e aposte no desenvolvimento de competências como inovação e criatividade.

Veja também