ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
01 Fev, 2021 - 16:24

Qual a importância da pressão dos pneus e que cuidados deve ter

Afonso Aguiar

A pressão dos pneus é um fator importante não só na maneabilidade e, consequentemente, segurança do carro, mas também na economia de combustível.

mecânico a verificar a pressão dos pneus

Normalmente subestimados, os pneus são uma das peças mais importantes de um carro. São o único ponto de conexão entre a carroçaria e o solo, sendo a área de contacto com o chão do tamanho de apenas uma palma de uma mão. Por isso, muitos acidentes ocorrer porque o condutor não tratou bem deles. Inclusive, às vezes tudo começa num simples desleixo: não ter cuidado com a pressão dos pneus.

A pressão dos pneus consiste na quantidade de ar que é colocada dentro do pneu de forma a garantir que os mesmos conseguem suportar o peso da carroçaria e, ao mesmo tempo, ter a aderência ideal ao solo.

A pressão dos pneus é medida em BAR ou em PSI, sendo a primeira a mais tradicional. Pressões acima do recomendado diminuem a adesão ao solo, enquanto as que estão abaixo aumentam essa mesma adesão. Em qualquer um dos casos, se agir dessa forma, está a cometer um equívoco que poderá sair caro.

Estudos variados indicam que pneus abaixo da pressão correta podem provocar diversos problemas. Basta colocar menos 0.5 BAR do que o suposto que a vida útil dos pneus será diminuída em 20%. No entanto, caso a pressão dos pneus esteja 1.0 BAR abaixo, poderá aumentar o consumo de combustível em 6%, aumentar a distância de travagem em, pelo menos, cinco metros, e até em casos mais graves rebentar e/ou saltar da jante.

No sentido oposto, se a pressão BAR for acima do suposto, haverá um maior desgaste da superfície de rolamento.

Portanto, tendo em contas esses dados, há que ter certos cuidados para manter a pressão dos pneus correta.

Cuidados a ter para manter a pressão correta dos pneus

1

Verifique a pressão regularmente

Segundo a Michelin, a pressão dos pneus deve ser verificada, pelo menos, uma vez por mês com o intuito de colocá-la nos valores corretos. Com a condução, os pneus vão perdendo pressão e a inércia do condutor começará a fazer a diferença.

Por questões de segurança, deve também verificar a pressão antes de fazer viagens longas.

2

Coloque a pressão correta

Para muitos é óbvio. No entanto, há quem não se preocupe muito. Embora o tópico anterior já saliente este aspeto, colocar a pressão correta é essencial para garantir a sua segurança, a durabilidade dos pneus e até ajudar a poupar algum, uma vez que a pressão errada poderá afetar os consumos.

Não é incomum um condutor ou não se preocupar com a pressão dos pneus ou colocar a pressão “a olho”. Como veremos mais à frente, há pressões padrão, de referência, para o segmento do carro.

No entanto, à partida, nenhuma medida estará mais correta do que a anunciada pelo fabricante. Além disso, são muitos os que colocam a pressão acima do anunciado para poupar combustível.

Como visto anteriormente, isso poderá significar uma menor longevidade dos pneus e, portanto, um encargo desnecessário e consequentemente que vai contra o propósito de quem usa essa técnica: poupar.

3

Tenha cuidado com os pneus

Um mau cuidado com os pneus afeta também a capacidade de manter a pressão dos mesmos. Há, portanto, vários cuidados a ter com os pneus:

  • Verifique com alguma regularidade o estados dos pneus: atente a fugas de ar ou se o pneu não apresenta desgastes acima do recomendado;
  • Não deixe o carro parado muito tempo na mesma posição: caso o mesmo ponto dos pneus esteja sempre em contacto com o solo, isso vai provocar um desgaste irregular e, consequentemente, vai afetar a perda natural da pressão. Um dos truques utilizados é, quando tiver de ficar com o carro na garagem vários dias, todos os dias ligar o carro e andar com o mesmo uns centímetros;
  • Encha a pressão 0.2 bar acima do recomendado, caso o automóvel vá ficar parado muito tempo: esta dica é essencialmente recomendada para os períodos em que as pessoas saem menos de casa e, assim, utilizam menos o automóvel. Quando suspeitar que vai ficar várias semanas ou meses sem utilizar o carro, encha a pressão acima do recomendável para que, quando voltar a usar e com a perda natural da pressão, os pneus estejam prontos a usar.
4

Não se esqueça do sobresselente

Finalmente, o pneu sobresselente pode estar pacientemente à espera do seu momento mas, mesmo assim, precisa de ser inspecionado de vez em quando. Desta forma, previne a necessidade de o usar um dia.

Se este não tiver a pressão correta para o carro poder seguir o seu caminho, poderá ser inútil ou perigoso. Imprevistos acontecem e o sobresselente pode fazer a diferença entre ficar preso no meio de nenhures à espera de ajuda, ou continuar a marcha.

Qual é a pressão correta dos pneus?

pessoa a encher os pneus

Os valores da pressão correta dos pneus para cada carro podem ser encontrados numa placa de metal, situada na porta do condutor do seu automóvel ou no manual do carro. A pressão dos pneus deve ser consultada se quiser obter uma informação mais detalhada sobre a pressão ideal aconselhada pelo fabricante.

No entanto, fique desde já a saber que nos veículos ligeiros a pressão costuma varia entre os 2.2 BAR e os 2.5 BAR (ou entre os 31 PSI e os 36 PSI, se usar a medição imperial).

Por exemplo, no caso dos citadinos (normalmente abaixo ou a rondar os 1.300 kg), o padrão costuma ser colocar uma pressão de 2.2 BAR (31 PSI) se o veículo não tiver mais de dois passageiros ou muita carga e 2.3 BAR (33 PSI) nas restantes situações (depreenda-se com carga elevada).

nos SUVs, monovolumes e familiares, aconselha-se uma pressão de 2.3 BAR (33 PSI) em situações de pouca ou nenhuma carga e 2.5 BAR (36 PSI), nas restantes situações.

Alertamos, porém, que estas medidas são apenas um padrão de referência, sendo que deverá sempre consultar a pressão aconselhada pelo fabricante.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].