Ana Graça
Ana Graça
05 Jun, 2018 - 10:19
12 dicas de comunicação que todos os pais deviam saber

12 dicas de comunicação que todos os pais deviam saber

Ana Graça

Uma comunicação eficaz é essencial para uma relação saudável entre pais e filhos. A forma como falamos é tão ou mais importante do que aquilo que dizemos.

O artigo continua após o anúncio

A comunicação em contexto familiar tem sido bastante estudada, sobretudo no que toca à importância da comunicação entre pais e filhos. Vamos ficar a conhecer o que a investigação nos ensina acerca de quais são as melhores dicas de comunicação que todos os pais deviam saber.

A comunicação entre pais e filhos

A comunicação é um dos aspetos mais importantes das relações interpessoais. No contexto familiar, promove o desenvolvimento global e individual de cada elemento da família e é através da comunicação que são definidos os papéis familiares, os limites, os padrões de comportamento e as funções exercidas por cada elemento da família.

Permite identificar, reconhecer e dar resposta às necessidades básicas da relação parental, bem como transmitir confiança e segurança nas relações afetivas.

A qualidade da comunicação familiar depende do fluxo de informações (padrão e quantidade), da presença ou ausência de características de relacionamento positivo (amor, apoio, carinho, confiança e limites apropriados) e de constrangimentos à comunicação (envolvimento dos membros em comportamentos destrutivos, como críticas ou violência).

comunicação entre pais e filhos

12 dicas de comunicação que todos os pais deviam saber

1) Tenha em conta os momentos em que o seu filho está mais disponível para conversar (na hora de dormir, antes do jantar, no carro) e esteja disponível nesses momentos;

2) Mostre ao seu filho que se importa verdadeiramente com o que acontece na vida dele e com os seus interesses e tire tempo para conversar sobre isso;

3) Dedique pelo menos um período por semana para uma atividade a sós com o seu filho e não deixe que outras tarefas ou atividades se sobreponham;

4) Em vez de iniciar as conversas sempre com uma pergunta, comece por falar acerca daquilo que tem pensado ultimamente;

O artigo continua após o anúncio

5) Mostre ao seu filho que está disponível para o ouvir: quando o seu filho partilhar consigo as suas preocupações, pare tudo o que está a fazer e ouça;

6) Ouça sempre o ponto de vista do seu filho, mesmo que por vezes seja difícil de ouvir. Deixe o seu filho completar o raciocínio antes de interromper ou responder e repita o que ouvir para garantir que o percebeu perfeitamente;

7) Suavize a tendência para reagir exageradamente: se parecer demasiadamente zangado ou defensivo o seu filho vai evitar ouvir o que tem a dizer;

8) Reconheça que discordar é normal: expresse a sua opinião, sem discutir;

9) O objetivo é conversar com os seus filhos e não fazer autênticas palestras: não critique, não ameace, não diga coisas que magoam;

10) Pergunte ao seu filho o que espera de si numa conversa: procura conselhos ou quer que o ouça simplesmente? Procura que o ajude a lidar com sentimentos ou a resolver um problema?

11) Entenda que o seu filho pode apenas estar a testá-lo ao contar-lhe uma pequena parte do que o incomoda: ouça com atenção o que ele diz, incentive-o a conversar e a partilhar a totalidade da história;

12) Lembre-se que as crianças aprendem por imitação: faça com que o seu estilo de comunicação seja um exemplo.

O artigo continua após o anúncio

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp