Sofia Martins
Sofia Martins
03 Nov, 2021 - 11:01

7 dicas para não voltar a matar as plantas lá de casa

Sofia Martins

Matar as plantas é, infelizmente, mais comum do que gostaríamos. Neste artigo vamos deixar-lhe algumas dicas simples para que as suas plantas sobrevivam.

planta doente

Acha que matar as plantas está-lhe no sangue? Já desistiu de comprar aquela orquídea lindíssima ou mesmo um cato, porque sabe que mais dia menos dia vai acabar por deixá-los morrer? Chegou a hora de pôr um termo a isso.

Siga as nossas dicas e verá como as suas plantas não só sobrevivem, como vão ficar mais bonitas do que nunca. São passos simples e à prova, até, dos mais distraídos.

7 dicas para manter as suas plantas vivas e saudáveis

mulher jovem cuida das suas plantas de interior
1.

Pesquise sobre cada espécie/Leia as instruções de cuidados

Sim. À semelhança de muitos outros produtos e objetos que compramos, as plantas também trazem instruções. São, muitas vezes, descritas através de imagens num autocolante preso ao vaso, ou vêm num cartão colocado com palito sobre a terra.

Se compra as suas plantas online, a maior parte das lojas identifica as instruções de cuidados na página de compra. Se for ao horto, não esqueça de perguntar a um atendente sobre as condições ideais para manter a verdinha sempre saudável, bonita e, claro, viva.

Siga as instruções e veja como matar as plantas já não será tarefa tão simples – elas terão grandes hipóteses de sobrevivência.

2.

Rega com pouca água/Esquecer as regas regularmente

Muitas vezes, a causa do problema de saúde das suas plantas está na rega com pouca água. Ou seja, a água que despeja não é suficiente para molhar toda a terra do vaso e, provavelmente, a raiz não está a receber a humidade que necessita.

Uma boa sugestão para vasos pequenos é levá-los para a pia da cozinha e regar generosamente, diretamente da torneira. No entanto, é preciso livrar-se da água em excesso. Deve sempre utilizar um vaso com buracos no fundo, pois assim ajuda a drenar a água, e escorrer bem até que deixe de pingar.

Se, por outro lado, esquece-se de regar as suas plantas quando deveria, há um truque simples para perceber a necessidade de rega: para ver se a sua planta está a precisar de água, basta colocar o dedo na terra do vaso. Se estiver seca no topo, nos primeiros 2cm da terra, deve regar.

Para aquelas situações em que a planta passou um período longo sem receber água e está a dar sinais de fraca saúde, faça uma rega de emergência. Deixe a planta por algumas horas num recipiente com água, como uma tigela ou a bandeja do forno. Com o passar dos minutos, vai reparar como a água chegou até a parte de cima da terra, que já deve estar húmida. Assim, garante que as raízes foram corretamente “alimentadas”.

3.

Rega em demasia

Sim, é verdade que quando se esquece de regar as suas plantas elas acabam por secar e morrer. Mas é, também, verdade que quando rega em demasia mata as plantas.

Tudo se quer com moderação. A rega deve ser adequada e nunca escassa ou exagerada. Regar as plantas quando a terra ainda tem humidade suficiente é promover o apodrecimento das suas raízes – e esta é uma forma de matar as plantas lentamente.

Assim, para além de ler as instruções, de forma a saber com que frequência deve regar, pode também usar o truque do dedo. Se a terra estiver húmida, a planta não está a precisar de água.

4.

Cuidado com as temperaturas extremas

A maioria das plantas de interior precisa de uma temperatura média para viver: entre os 18ºC e os 21ºC. Nada de muito calor nem muito frio.

Dependendo da época do ano e do local onde tem as suas plantas, deve ter atenção às oscilações da temperatura, de forma a manter as plantas saudáveis.

5.

Atenção à luz: nem muita nem pouca

As plantas de interior precisam de diferentes níveis de exposição à luminosidade – e, geralmente, não toleram sol forte e direto sobre as suas folhas.

Janelas com entrada direta de luz em alturas mais quentes do ano podem significar ter de afastar as suas plantas da agressividade do sol mais forte.

Por outro lado, em alturas mais frias e sombrias do ano, pode ser preciso levar as verdinhas para pontos próximos da maior entrada de luz natural.

Pode perceber se estão a receber luz a mais se as suas folhas começam a ficar queimadas e secas, ou se a planta, mesmo com uma rega adequada, começa a morrer. Calatheas, por exemplo, não suportam a incidência de sol direto.

Por outro lado, se a cor das folhas começar a querer desvanecer, ficar amarelada, então a sua planta está claramente a dizer-lhe que precisa de luz. Às vezes, notamos isto de forma muito evidente em algumas espécies. Por exemplo, um vaso com uma planta saudável em que aparece uma ou outra folha amarela na parte onde há mais sombra. É uma boa ideia rodar, de vez em quando, os vasos da plantas que estão mais afastadas das janelas – de forma a garantir que toda ela recebe luz regularmente.

Se o problema persistir, pode ser preciso levar a planta para um sítio com mais luminosidade natural.

6.

Cuidado com os insetos

Há alguns insetos que incomodam e podem matar as plantas, entre os quais se encontra os ácaros, mosquitos e moscas brancas. Eles, quando não controlados, são sinónimos de um problema comum e bastante inconveniente: as pragas nas plantas.

Se a sua planta tiver sido atacada por alguma praga, está na altura de fazer uma quarentena. Afaste-a das outras plantas, extermine o problema com inseticidas de compra ou soluções caseira, e aguarde pelo menos 30 dias até voltar a levar a verdinha para o convívio com as demais.

Se vir uma joaninha numa das suas plantas, deixe-a, pois são benéficas para elas. Cogumelos na terra também não afetam as suas plantas de interior em nada – duram poucos dias até murcharem e servirem de substrato natural para a terra, no entanto, são sinal de humidade no limite.

7.

Mudar a planta de vaso

É importante replantar as suas plantas, pelo menos, de dois em dois anos ou sempre que necessitem – isso depende do crescimento da mesma.

Para replantar, deve utilizar um vaso cerca de 2cm maior, terra nova adubada e com substrato.

Para perceber se a planta está a precisar de ser mudada, basta espreitar por baixo do vaso e ver se as raízes estão a sair pelos buracos que servem para drenar a água. Raízes que estão a fugir significam que estão apertadas e precisam de encontrar mais espaço, com terra saudável e rega, para que a planta cresça saudável.

10 plantas que, provavelmente, não consegue matar

Deixamos a lista de cuidados que o vai impedir de matar as suas plantas e, agora, partilhamos uma rápida lista de verdinhas realmente muito fáceis de manter vivas.

São ideais para quem está a começar a dar os primeiros passos na tarefa de ser mãe/pais de plantas.

  1. Espada-de-São-Jorge
  2. Jiboia
  3. Zamioculcas
  4. Fetos
  5. Lírio da Paz
  6. Palmeira Areca
  7. Chamaedorea
  8. Dieffenbachia
  9. Bambu da Sorte
  10. Bromélia
Veja também