Elsa Santos
Elsa Santos
11 Nov, 2018 - 12:31
8 dicas para superar um despedimento

8 dicas para superar um despedimento

Elsa Santos

Mais do que um problema, ser despedido pode ser uma oportunidade de crescimento profissional. Descubra boas dicas para superar um despedimento.

O artigo continua após o anúncio

Precisa de dicas para superar um despedimento? Chegou ao sítio certo. O que fazer para superar um despedimento? Parece uma pergunta sem resposta. Afinal, ninguém se imagina a passar por tal situação.

Com certeza que logo após a notícia, o seu mundo parece desabar. Um despedimento não é uma experiência fácil ou que se encare com relativa leveza, pelo menos numa fase inicial. Por isso, é importante saber como superar aquela que pode ser uma das piores fases da sua vida. Deixar-se abater ou reerguer-se e lutar por algo melhor depende, essencialmente, de si.

Ao contrário do que se possa pensar, ninguém está livre de enfrentar esta realidade, nem os que estão há uma vida numa empresa, que contam com muitos anos de prática e o mais alto conhecimento ou competências.

Qualquer pessoa, por melhor profissional que seja, pode ficar sem emprego. São muitos os fatores que conduzem a um despedimento, nem sempre relacionados com a prestação do trabalhador, mas com uma série de outros constrangimentos, da própria empresa, do mercado ou mesmo da sociedade em que está inserido. A idade é apenas um dos aspetos que assumem  maior peso na balança e por mais absurdo que isso possa parecer, não são poucos os casos.

Ser despedido mexe, inicialmente, com o orgulho e a auto-estima do visado, mas pode assumir contornos ainda mais sérios. Ficar sem emprego pode significar dificuldades financeiras, problemas familiares e outros, o que causa, inevitavelmente, preocupação e sofrimento.

Se, na maioria dos casos, há a possibilidade de pedir o subsídio de desemprego, o que minimiza a falta de rendimentos, há outros que não se encaixam nessa categoria, por não cumprirem determinados requisitos necessários para o efeito.

Entre o choque e o desespero, a alternativa considerada mais viável para recomeçar é, tantas vezes, fazer as malas e emigrar.

Para conseguir enfrentar um despedimento da melhor maneira, é necessário assumir a melhor atitude possível e focar as energias em coisas boas e produtivas. Afaste todos os pensamentos negativos e aproveite o tempo para repensar os seus objetivos profissionais e também pessoais. Desista de procurar os motivos para o despedimento e concentre-se todos os seus esforços na busca de novas oportunidades.

O artigo continua após o anúncio

Se faz parte da franja da população que está atualmente à procura de novas oportunidades profissionais, após o despedimento do último emprego, atente a algumas dicas que, temos a certeza, o vão ajudar a ultrapassar melhor esta fase e a encontrar um novo caminho.

Dicas para superar um despedimento: 8 fundamentais

Despedimento por justa causa: o que necessita de saber

1. Não se culpe

Antes de mais, aceite o facto de estar desempregado sem se culpar ou convencer de que falhou. Lembre-se que qualquer pessoa pode viver uma situação de despedimento e muitos são os fatores que podem levar a isso. Não questione o seu valor. Há coisas que, simplesmente, não pode controlar. Feche essa porta e olhe em frente.

2. Tenha uma rotina

Trace uma lista de coisas a fazer e saia de casa. Faça exercício e aproveite para cuidar de si, conheça outros lugares e outras pessoas, trabalhe em espaços públicos, como bibliotecas, centros comerciais ou outros que lhe permitam, por exemplo, ligar-se a uma rede wireless para aceder à Internet.

É importante que crie uma rotina e se obrigue a sair todos os dias de casa, nem que seja para fazer uma caminhada.

3. Aposte na sua formação

O desemprego pode ser a oportunidade de fazer a pós-graduação que há muito deseja fazer ou para aprender mais sobre outros assuntos do seu interesse, mas que por falta de tempo tem vindo a adiar

Avalie o mercado e decida qual o melhor rumo a dar à sua carreira. Há uma vasta oferta de formação, alguma financiada, nomeadamente do Instituto de Emprego e Formação Profissional, que pode interessar-lhe a ser o ponto de partida para novas possibilidades.

Se pretende mudar de vida, esta é a altura certa.

4. Recorra aos amigos

Não tenha medo de dizer aos seus amigos e familiares que está desemprego. Entre os muitos contactos, pode ser uma dessas pessoas a ajudá-lo a encontrar um novo trabalho ou até, quem sabe, dar-lhe sugestões ou propor-lhe a criação de um negócio.

O artigo continua após o anúncio

Tenha sempre em conta quem lhe é mais próximo. Em primeira instância, é neles que vai apoiar-se para superar um despedimento.

8 dados que deve remover do CV agora

5. Atualize o CV

Há quanto tempo não atualiza o seu CV? Não precisou de o fazer, claro. Agora é fundamental que o faça e com cuidado. Dependendo da sua área profissional, deverá considerar alguns aspetos e adaptá-lo às exigências. Se, por exemplo, pretende candidatar-se a uma área criativa, talvez seja boa ideia trabalhar um CV que mostre, logo à partida, as suas capacidades ou que, simplesmente, seja curto e comunique de forma clara e apelativa, através de imagens.

6. Fique ligado

Vivemos num mundo global, ligado em rede. Tudo o que interessa está online. Para estar bem informado sobre formação e ofertas de trabalho em distintas áreas e mesmo em diferentes regiões, é fundamental que se registe e procure ativamente nos sites de emprego e em redes sociais. O LinkedIn é um excelente meio para manifestar a sua disponibilidade para novos desafios, dentro e fora do país.

Use o email não apenas para responder a ofertas, mas também para enviar candidaturas espontâneas para empresas onde gostaria de trabalhar.

7. Vire freelancer

Se pode exercer as suas funções em casa, por sua conta, arrisque e trabalhe como freelancer. Pode ter alguns contactos úteis que lhe permitam começar. Caso não tenha, procure e informe colegas, amigos e familiares da sua decisão. Essa informação pode ser muito útil.

O facto de estar desempregado não faz parar o mundo e, por isso, há que encontrar formas de continuar a cumprir as suas obrigações ou, por outras palavras, a pagar as contas.

Inscreva-se em sites de trabalho freelancer e transforme os seus hobbies ou as habilidades em fontes de rendimento extra. Se gosta pintar, de bricolage, de cozinhar ou de costurar, se esses seus talentos até já fazem sucesso entre amigos, rentabilize-os e consiga um rendimento extra. Pode vender os seus produtos ou serviços através das redes sociais – Facebook ou Instagram – por exemplo.

8. Faça voluntariado

A última das dicas para superar um despedimento é uma das melhores: manter-se ocupado e sentir-se útil. Para o efeito, nada melhor do que investir parte do seu tempo a ajudar quem mais precisa. Há muitas organizações de apoio social que precisam de voluntários. Descubras quais as associações da sua área de residência e ofereça a sua colaboração. Fazer bem aos outros, vai fazer-lhe bem a si também.

O artigo continua após o anúncio

Para além disso, tem sempre a oportunidade de conhecer muita gente, o que pode abrir outras portas.

Rescisão de contrato de trabalho por parte do trabalhador

  • Conheça os 8 tipos de rescisão de contrato de trabalho
  • Tipos de contrato de trabalho: conheça os existentes
  • Indemnização por cessação do contrato de trabalho: o que deve saber