ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Inês Silva
Inês Silva
25 Mar, 2021 - 11:53

Educação para a saúde: prevenir para garantir o futuro

Inês Silva

A educação para a saúde é importante para promover o bem-estar, a saúde individual e também a saúde pública. Continue ler para saber mais.

mulher a colocar máscara a criança

A educação para saúde tem como objetivo criar ambientes saudáveis de aprendizagem e transmitir conhecimentos que promovam e protejam a saúde. Uma criança saudável, será um adulto saudável.

A importância de uma população saudável não se resume apenas ao individuo ou à saúde pública, a saúde é também um indicador económico de uma sociedade ou país.

Uma população saudável e ativa produzirá mais ganhos para a riqueza de um país e menos custos para os sistemas de saúde e de segurança social, sendo também, por isso, uma das preocupações dos governos mundiais.

Os programas de promoção da saúde e bem-estar assentam na prevenção e adoção de comportamentos saudáveis, nomeadamente nas áreas da saúde oral, saúde mental, alimentação e atividade física, prevenção da toxicodependência e educação para a sexualidade.

Naturalmente, devido à pandemia causada pela COVID-19, entram também nesta equação da promoção da saúde, ensinamentos que podem ajudar a prevenir futuras crises sanitárias.

Embora não haja um programa propriamente dito sobre este tema, a verdade é que a informação tem sido disponibilizada, bem como recomendações para organização, ensino e aprendizagem, e tem sido adotada pelas escolas e pais.

Continue a ler e conheça alguns programas e orientações dedicados a este tema da promoção da saúde.

Educação para a saúde: programas e orientações

Projeto SOBE

O projeto Saúde Oral e Biblioteca Escolar (SOBE) tem por objetivo informar sobre a importância da lavagem dos dentes e promovê-la em concreto, junto das crianças e pais do pré-escolar. É um projeto nacional que envolve a Direção-Geral de Saúde, a Rede de Bibliotecas Escolares e o Plano Nacional de Leitura.

A nível de escola desenvolve-se através da parceria entre as bibliotecas escolares e os Centros de Saúde.

Este projeto veio contribuir para a integração da saúde oral no currículo e no dia-a-dia escolar.

Programa de Apoio à Promoção e Educação para a Saúde

A Direção-Geral da Educação (DGE) tem um programa de Apoio à Promoção e Educação para a Saúde que tem como conceito orientador a definição de Escola Promotora da Saúde da Organização Mundial de Saúde (OMS):

Uma escola que fortalece sistematicamente a sua capacidade de criar um ambiente saudável para a aprendizagem. A Escola Promotora da Saúde é, assim, um espaço em que todos os membros da comunidade escolar trabalham, em conjunto, para proporcionar aos alunos, professores e funcionários, experiências e estruturas integradas e positivas que promovam e protejam a saúde.

São objetivos da DGE promover:

  • A literacia em saúde;
  • Atitudes e valores que suportem comportamentos saudáveis;
  • Comportamentos que conduzam a estilos de vida saudáveis;
  • Condições ambientais para uma Escola Promotora de Saúde;
  • O acesso universal à educação para a saúde em meio escolar;
  • A oferta qualificada da educação para a saúde em meio escolar;
  • O apoio consolidado aos projetos em meio escolar.

Este programa foca-se, essencialmente, nas seguintes áreas:

  • Saúde Mental e Prevenção da Violência;
  • Educação Alimentar e Atividade Física;
  • Comportamentos Aditivos e Dependências;
  • Afetos e Educação para a Sexualidade.

Educação para a saúde e bem-estar

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) defende que:

uma educação de qualidade é a base da saúde e do bem-estar.

Assim sendo, na Estratégia da UNESCO sobre Educação para Saúde e Bem-estar, está o apoio aos sistemas de educação para fortalecer os vínculos entre educação e saúde.

Desta forma, reflete o crescente reconhecimento internacional de que é necessária uma abordagem mais abrangente à saúde escolar e uma ação coordenada em todos os setores.

COVID-19: educar para a saúde

Tendo em conta o cenário mundial de pandemia pela COVID-19, na página da UNICEF estão algumas orientações para o ensino e aprendizagem de crianças e jovens sobre este tema.

Sabendo da importância de crianças e jovens aprenderem e estarem informados para aumentar a resiliência e contribuírem ativamente na construção de uma comunidade mais segura e atenta, as orientações começam com a pergunta: Mas como envolver crianças de diferentes idades na prevenção e contenção da propagação do COVID-19 e outros vírus?

mesa de escola com máscara, viseira e materiais escolares

Jardim de Infância

  • Promover bons comportamentos de saúde, como tapar o rosto quando tossir ou espirrar com o cotovelo e lavar as mãos com frequência;
  • Cantar músicas enquanto se lava as mãos para praticar a duração recomendada de 20 segundos;
  • Desenvolver formas de monitorizar a lavagem das mãos e recompensar a lavagem frequente das mãos;
  • Usar bonecos para demonstrar sintomas (espirros, tosse, febre) e o que fazer se eles se sentirem doentes e como os confortar (cultivando empatia e comportamentos de cuidado seguros);
  • Solicitar às crianças que se afastem umas das outras, através de jogos, como o esticar os braços ou “bater as asas” sem tocar nos colegas.

Primeiro Ciclo

  • Ouvir as preocupações das crianças e responder às perguntas de maneira apropriada à idade; não as sobrecarregar com muita informação. Incentivá-las a expressar e comunicar os seus sentimentos. Discutir as diferentes reações que podem ocorrer e explicar que essas são reações normais a situações excecionais, como a atual;
  • Reforçar a importância de cada um na prevenção da propagação do COVID-19;
  • Ajudar as crianças a entender os conceitos básicos de prevenção e de contenção de doenças. Usar exercícios que demonstrem como os vírus se podem propagar. Por exemplo, colocando água colorida num spray e pulverizar sobre um pedaço de papel branco e observar até onde as gotas se dispersam;
  • Demonstrar por que é importante lavar as mãos por 20 segundos com água e sabão;
  • Solicitar aos alunos que analisem textos para identificar comportamentos de alto risco e sugiram comportamentos modificadores.

Segundo e terceiro ciclos e ensino secundário

  • Certificar que todas as preocupações dos alunos são ouvidas e registadas, promovendo um momento de informação e partilha;
  • Reforçar a importância de cada um na prevenção da propagação do COVID-19:
  • Introduzir o conceito de distanciamento social;
  • Reforçar os bons comportamentos de saúde, como tapar o rosto, quando tossir ou espirrar com o cotovelo e lavar as mãos com frequência;
  • Lembrar os alunos que podem reforçar os comportamentos saudáveis ​​dos seus pares e familiares;
  • Incentivar os alunos a prevenir e enfrentar o estigma e a discriminação;
  • Discutir as diferentes reações que podem ocorrer e explicar que são reações normais a situações excecionais. Incentivar a partilha e comunicação dos seus sentimentos;
  • Promover a criação de grupos de jovens que possam partilhar factos sobre saúde pública;
  • Incorporar a educação para a saúde nos assuntos da escola:
  • As aulas de ciências podem incluir o estudo do vírus, a transmissão de doenças e a importância das vacinas;
  • As ciências sociais podem abordar a história das pandemias e a evolução das políticas de saúde e de segurança pública.
Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].