Inês Silva
Inês Silva
21 Abr, 2016 - 09:05
emigrar para inglaterra

Emigrar para Inglaterra: sobre o Brexit e outras dicas

Inês Silva

Se pensa emigrar para Inglaterra, veja o que deve fazer antes de sair. Preparamos algumas dicas para ser bem sucedido nessa nova aventura.

O artigo continua após o anúncio

Emigrar para Inglaterra não é assunto novo. Tal como acontece com outros destinos, são cada vez mais os portugueses que rumam em direção a “Terras de sua Majestade” à procura de trabalho.

Como já falamos aqui, emigrar requer uma preparação prévia. Os tempos não estão fáceis e partir “à aventura” sem qualquer plano pode não ser a melhor opção, principalmente numa altura em que tanto se fala do Brexit e das consequências da saída do Reino Unido da União Europeia.

No entanto, se está mesmo decidido emigrar para Inglaterra, conte connosco para lhe dar algumas dicas.

BREXIT: DEAL OU NO DEAL

walking in london

Tendo em conta as informações atuais, mesmo na eventualidade da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) vir a ocorrer sem acordo, pelo menos até 31 de dezembro de 2020 e para estadias de curta duração, o Cartão de Cidadão continuará a ser suficiente para viajar. Ou seja, até à data de saída, o Reino Unido é, à semelhança de Portugal, um Estado-Membro da UE.

No entanto, depois da data acima referida, para residir legalmente neste país, os cidadãos europeus vão ter que se candidatar, junto das autoridades britânicas, para obtenção do estatuto de residência permanente ou do estatuto de residência temporária até ao dia 30 de junho de 2021, caso a saída do Reino Unido ocorra com acordo, ou até ao dia 31 de dezembro de 2020, caso a saída do Reino Unido da UE ocorra sem acordo.

Enquanto cidadão da UE, para estadias no país inferiores a três meses, apenas necessita de Bilhete de Identidade ou de Cartão de Cidadão válido. No entanto, o Consulado Geral de Portugal em Manchester aconselha, igualmente, que seja portador da seguinte documentação:

  • Cartão da Segurança Social;
  • Cartão Europeu de Seguro de Doença;
  • Certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento.

EMIGRAR PARA INGLATERRA: O QUE SABER

Antes de emigrar, é importante que conheça as oportunidades de trabalho e condições de vida no Reino Unido, onde, enquanto cidadão da UE, deve ser tratado em igualdade de circunstâncias com os nacionais desse país, nomeadamente no que respeita ao acesso ao emprego, ao vencimento, às prestações sociais e à inscrição nas escolas durante a sua estadia.

Emigrar pode significar uma melhoria nas suas condições de vida, mas é importante que tenha em conta os vários desafios que vai enfrentar e para os quais precisa de se preparar adequadamente.

O artigo continua após o anúncio

Vai ter que se adaptar a uma nova cultura, uma língua diferente, a estar longe de Portugal, família e rede de amigos e, ainda, lidar com diferentes regimes de impostos e proteção social ou com sistemas de saúde e de ensino organizados de forma diferente, face à realidade portuguesa.

Antes de partir – encontre residência

Não basta agarrar na mala e esperar encontrar algo quando lá chegar. Não caia nesse erro. Para sua segurança (e bem-estar) procure casa antes de emigrar. Até porque sem ter residência não vai conseguir avançar. Seja para tratar de questões legais e burocráticas ou apenas para procurar emprego, vai necessitar de ter uma morada local.

Onde encontrar? Boa pergunta. E nós temos algumas respostas:

São apenas alguns exemplos. Uma pesquisa online facilmente lhe dará outros resultados. O funcionamento é semelhante em todos. Defina o tipo de alojamento que pretende, a localização et voilá, os resultados vão surgir uns atrás dos outros.

Quanto aos preços, esses podem variar de acordo com a localização, mas regra geral são elevados. Em média pode pagar cerca de £900 por mês (um bocadinho acima dos 1000€) por um estúdio.

Se vai emigrar para Inglaterra é importante que se informe sobre todos os passos para obter o seu National Insurance Number (o equivalente à Segurança Social e Portugal) e condições para criar uma conta bancária. Sem estes dois elementos encontrar emprego não vai ser fácil.

Onde procurar emprego?

Se pensa que apenas os enfermeiros ou os médicos têm sucesso ao emigrar para terras de sua Majestade, está enganado. Desde que se prepare tão bem (ou melhor) que esses profissionais, terá as mesmas hipóteses de ser bem-sucedido.

Além de encontrar casa, há que procurar trabalho. Se ainda não tem emprego, pode começar já a estudar possibilidades e ofertas. Inscreva-se em plataformas de emprego. Para o ajudar deixamos uma listagem de alguns sites onde pode encontrar ofertas de trabalho, nas mais diversas áreas.

O artigo continua após o anúncio
  • Totaljobs: aqui são disponibilizadas milhares ofertas de emprego, em áreas tão distintas como construção civil ou saúde;
  • Monster: esta não é uma página desconhecida, já que a plataforma tem páginas de emprego espalhadas por vários países. Ofertas não lhe vão faltar e respostas, certamente, também não;
  • Jobsite: basta que defina os seus critérios e pode começar a enviar as suas candidaturas;
  • Top Language Jobs: o mecanismo é semelhante aos anteriores, mas diferencia-se por um pequeno (grande!) detalhe: permite-lhe pesquisar ofertas de emprego onde é solicitado o uso da língua portuguesa. Melhor impossível!

Mas há mais. Além dos sites de emprego é importante que se inscreva em agências de trabalho, que não só o vão ajudar a procurar emprego numa determinada área, mas são também uma boa forma de encontrar trabalhos temporários.

A título de exemplo pode consultar as páginas das agências Berkeley Scott, Office Angels, ROC Recruitment. E claro, pode sempre dar uma “espreitadela” nas “gigantes do recrutamento”, como a Hays ou a Manpower.

westminster bridge

Os 3 S’s: Salários, saúde e segurança

Estes são três pontos que deve analisar com cuidado antes de emigrar para Inglaterra.

Apesar dos salários rondarem os 1500€ mensais, o custo de vida é bastante elevado. Basta pensar nos preços da habitação. O salário é um valor pago à hora e não um valor mensal e o valor do salário mínimo depende de alguns critérios.

Já no que à saúde e à segurança diz respeito, pode (à partida) estar descansado.

Em Inglaterra o sistema de saúde (ainda que descentralizado) garante cuidados de saúde permanentes e gratuitos; quanto à segurança, deve ter os mesmos cuidados que teria cá!

Viver e trabalhar em Londres

Londres será a primeira opção de muitos, e, como tal, há sempre particularidades para as quais se deve preparar antes de tentar a sua sorte no mercado londrino.

Para o ajudar (e porque a informação nunca é demais), não dispense a consulta do site do Governo, onde vai poder encontrar toda a informação sobre o mercado de trabalho, o processo de procura de emprego ou os seus direitos e deveres, enquanto trabalhador.

O artigo continua após o anúncio

A maior preocupação para quem quer trabalhar em Londres é o custo de vida. O ideal é ir já com um contrato, mas, ainda assim, é bom que tenha um pé-de-meia para se aguentar nos primeiros tempos. Prepare-se, porque a vida na capital inglesa é cara.

A habitação e os transportes públicos são igualmente dispendiosos. Prepare-se para pagar entre 450 e 650 euros mensais de renda por um quarto. Claro que quanto mais próximo do centro viver, mais cara será a renda.

O passe mensal de autocarro e metro varia conforme as zonas.

Domine a língua

Quanto melhor dominar a língua, mais fácil será a adaptação e integração e mais fácil será também a obtenção de trabalho. Tire um curso de Inglês de modo a preparar-se para a jornada que se avizinha.

Obtenha o National Insurance Number e crie uma conta bancária

O National Insurance Number equivale ao número da Segurança Social, em Portugal, e é de extrema importância na sua procura de emprego, sem este número não pode começar a trabalhar.

É também necessário que crie uma conta bancária local, ou será muito difícil encontrar emprego.

Faça contas

Tendo em conta que o custo de vida, em Inglaterra, é bastante elevado, é necessário que faça contas aos gastos, principalmente com a habitação e alimentação. Ainda que os salários sejam elevados, também as habitações e a alimentação são bem mais dispendiosos do que em Portugal. Tenha estes fatores em conta na sua decisão de emigrar para Inglaterra!

Prepare-se para muito frio e chuva

É certo que a Inglaterra é marcada por muito frio, chuva e dias cinzentos. Prepare-se mentalmente para as saudades que vai sentir das temperaturas amenas portuguesas.

Dicas extra

De forma muito resumida estas são algumas dicas que o podem ajudar se está a pensar emigrar para Inglaterra.

Se há mais coisas a fazer? Claro, muitas. Veja só:

  • Deve pesquisar sobre os modelos de Curriculum Vitae mais utilizados;
  • Conhecer as especificidades dos processos de recrutamento;
  • Pedir a certificação das suas qualificações académicas (se for caso disso)…

Enfim, os detalhes são mais que muitos. Mas não deixe que isso o impeça. Se estiver bem preparado vai encontrar o caminho para o sucesso.

Ah e claro, para sua segurança e das pessoas à sua volta, não se engane: em Inglaterra, conduza sempre pela esquerda!

Veja também