Elsa Santos
Elsa Santos
19 Jul, 2021 - 09:50

Encontrar emprego depois da Faculdade: dicas e recursos úteis

Elsa Santos

Para quem termina agora os estudos, é tempo de arregaçar as mangas e entrar no mercado de trabalho. Reunimos algumas dicas e recursos úteis para encontrar emprego depois da Faculdade.

Encontrar emprego depois da Faculdade

São milhares os recém-formados que todos os anos saem das instituições de ensino superior portuguesas. Dependendo da área de formação, encontrar emprego depois da Faculdade pode ser simples e imediato ou, pelo contrário, exigir algum tempo e esforço.

Terminados os estudos é altura de arregaçar as mangas e ir à procura de trabalho. Se a falta de experiência pode apresentar muitos desafios, abre também algumas possibilidades, como é o caso dos estágios profissionais, uma forma mais fácil de conseguir entrar no mercado de trabalho.

Se está nesta fase de mudança de vida, continue a ler, reunimos algumas dicas e recursos úteis para o ajudar a encontrar emprego depois da Faculdade.

9 dicas e recursos úteis para encontrar emprego depois da Faculdade

Se terminou agora os estudos e não sabe qual o próximo passo a dar para arranjar trabalho, tome nota destas dicas.

Trabalhadora independente a submeter requerimento à Segurança Social para apoio extraordinário
1

Tenha a atitude certa

Antes de mais nada, assuma uma atitude positiva, proativa, determinada e paciente. Estude o mercado de trabalho e perceba quais as áreas “em alta” e empresas que estão a recrutar, e selecione as vagas que melhor se adequam ao seu perfil e objetivos de carreira.

Encare a procura de emprego como um trabalho, determine um horário e objetivos diários. A missão pode ser difícil, mas é fundamental não desistir, afinal um emprego não cai do céu.

2

Prepare o CV e a carta de apresentação

No momento de procurar trabalho, o “Curriculum Vitae” é um elemento crucial. Prepare-o com cuidado, de modo a chamar a atenção. Dê destaque à sua formação, competências – gerais e específicas – assim como a experiências de trabalho ou de voluntariado.

Seja sucinto e criativo. Não siga o modelo Europass se não for exigido e opte por criar um CV com um design apelativo. Há plataformas online e gratuitas que pode utilizar para o efeito, como o Canva, por exemplo.

A acompanhar o CV deve também preparar uma carta de apresentação, dado que este é um instrumento de apresentação formal e uma estratégia para se dar a conhecer e conseguir uma oportunidade de entrevista.

3

Crie um perfil de LinkedIN e portefólio

Os recursos online são essenciais para chegar mais longe e marcar a diferença.

São muitas a empresas, nacionais e estrangeiras, que recrutam através do LinkedIN. Por isso, é importante entrar nesta rede social, fazer contactos e estar atentos às oportunidades.

Caso a sua área de formação exija a apresentação de um portefólio, então deve reunir os seus melhores trabalhos, mesmo que apenas académicos. Também há plataformas gratuitas para fazer o seu portefólio online, como o Behance ou o Carbonmade, entre outras.

Assim, qualquer entidade interessada pode ver o que é capaz de fazer na prática e isso faz toda a diferença na decisão de o contratar.

4

Faça contactos

Siga grupos de emprego relacionados com a sua área de trabalho, quer online, quer offline. Frequente locais, eventos, formações e/ou workshops, visite feiras de emprego, assista a webinars, entre outras ações onde possa conhecer pessoas que já trabalham no meio.

Partilhe ideias e objetivos, peça opinião, faça contactos. Nunca se sabe quando não surge daí uma oportunidade.

5

Pesquise plataformas de emprego, online

Há mil e uma plataformas de emprego online que pode e deve consultar. Todos os dias há novas ofertas às quais pode candidatar-se, incluindo estágios profissionais.

6

Tome a iniciativa

Não se limite a responder a anúncios. Faça candidaturas espontâneas para empresas onde gostaria de trabalhar, se possível envie um email diretamente para o responsável da respetiva secção.

E se gostava mesmo de trabalhar numa empresa que fica perto de casa, atreva-se e vá entregar pessoalmente o seu CV. O não está sempre garantido.

7

Faça um estágio

Caso tenha essa oportunidade, pode começar por fazer um estágio profissional ou mesmo um por sua iniciativa (não remunerado) numa empresa onde gostaria de trabalhar. Dessa forma, vai poder mostrar as suas capacidades e a correr bem, pode resultar numa oferta de emprego.

8

Aposte na formação

Mesmo que tenha terminado agora a Faculdade, não deve deixar de estudar e de se atualizar. Aposte na formação complementar, de modo a ganhar outras competências importantes para os seus objetivos de carreira ou que sejam exigidos pelos empregadores.

9

Trabalhe como freelancer

Uma maneira de começar a colocar em prática as suas competências é desenvolver projetos, mesmo que em parceria, para entidades ou mesmo amigos e/ou familiares que necessitem. Assim, ganha experiência, portefólio (se for o caso), dinheiro e contactos.

Entrevista: um passo determinante

Assim que os seus esforços surtam efeito e seja chamado para entrevista, prepare-se o melhor possível. A primeira impressão é determinante. Por isso, tenha em atenção alguns aspetos para se sair bem e garantir que desperta o verdadeiro interesse da potencial entidade empregadora:

  • Pesquise informação sobre a empresa;
  • Prepare algumas respostas que sabe, de antemão, que lhe serão colocadas (ex.: qualidades e defeitos ou porque está a candidatar-se à vaga);
  • Tenha cuidado com o Português, independentemente da área é fundamental que fale corretamente;
  • Cuide da sua aparência. Escolha uma roupa adequada ao ambiente da empresa e evite todos os exageros;
  • Seja pontual. De preferência, chegue alguns minutos antes da hora;
  • Não interrompa o entrevistador;
  • Não critique a concorrência nem assuma posições políticas ou outros assuntos controversos;
  • Pergunte; não saia da entrevista com dúvidas;
  • Agradeça.
entrevista de emprego online
Veja também 8 dicas para preparar a sua entrevista de emprego online

Primeiro emprego: entidades e apoios

Para encontrar emprego depois da Faculdade, há entidades e apoios aos quais pode recorrer, de modo a tentar facilitar o processo.

Inscreva-se no Centro de Emprego da sua área de residência. Dessa forma, poderá ter acesso a ofertas de emprego e de formação do IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) adequadas ao seu perfil e interesses.

Também poderá ter a oportunidade de se candidatar ao programa de estágios ATIVAR.PT do IEFP: abre todos os anos a possibilidade a muitos jovens recém-formados de entrarem no mercado de trabalho, através de um estágio profissional, com a duração de 9 meses remunerados, e ganharem experiência profissional. Considerando que este tipo de programa tem um peso financeiro reduzido para as empresas, esta pode ser, de facto, uma boa forma de colocar em prática os conhecimentos adquiridos ao longo dos últimos anos no ensino superior.

A BEP (Bolsa de Emprego Público) abre com frequência concursos para diversas entidades publicas nacionais. Vale a pena estar atento e candidatar-se às ofertas que se encaixem no seu perfil.

Há outros programas de incentivo dirigidos a quem está à procura do primeiro emprego:

1. Programa Investe Jovem: para quem tem um projeto e o objetivo de criar o seu próprio negócio, este apoio pode ser a resposta para avançar

2. Mobilidade Eures: esta pode ser a oportunidade de viver uma experiência totalmente diferente. Trabalhar noutro país da Comunidade Europeia, para além de permitir começar a trabalhar e ganhar experiência, permite ter contacto com uma realidade muito distinta da portuguesa, proporcionando uma aprendizagem muito rica que inclui um outro idioma e outros costumes e práticas.

3. Apoio ao Empreendedorismo e à criação do próprio emprego: atribuição de apoios a projetos promovidos por beneficiários de prestações de desemprego, através da antecipação do valor global do subsídio de desemprego, para criação do próprio trabalho, a tempo inteiro.

Faça o seu próprio plano, defina objetivos e metas e avance, com confiança e determinação.

Veja também