Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
03 Mar, 2020 - 18:33

GNC: Será uma alternativa viável ao GPL?

Afonso Aguiar

O que é o Gás Natural Comprimido e em que difere do GPL? Quais as vantagens? Conheça as respostas, assim com a rede de abastecimento de GNC em Portugal.

GPL Auto

O GNV (Gás Natural Veicular) divide-se em dois segmentos: o GNL (Gás Natural Liquefeito), usado em veículo pesados, e o GNC (Gás Natural Comprimido), que tem sido uma grande aposta nos tempos mais recentes por parte de algumas marcas nos automóveis ligeiros, como alternativa ecológica aos automóveis elétricos.

A utilização do GNC como combustível iniciou-se em 1996, porém só no início do séc. XXI começou a ser prática recorrente fazer a conversão dos veículos para este tipo de combustível.

Hoje em dia é possível não só comprar um automóvel já preparado para GNC, como também adaptá-lo a este sistema por quantias a rondar os 1 000 a 3 000 euros nos casos a gasolina (dependendo do modelo e da motorização).

Se tiver um veículo a gasóleo, terá de optar pelo modo dual-fuel ou ottorização, e o preço disparará facilmente para os 5 000 euros.

Gás natural comprimido: tudo o que precisa saber sobre o gnc

GPL Auto

O que é o GNC?

O GNC ou Gás Natural Comprimido é uma mistura de hidrocarbonetos leves armazenados a alta pressão. É oriundo do gás natural presente nas rochas porosas e principalmente composto por metano, mas pode também ser obtido através de fontes renováveis, como por exemplo, o metano emitido por lixeiras e explorações pecuárias: o chamado biogás.

O GNC é o menos poluente e mais económico de todos os combustíveis fósseis.

GNC vs GPL: quais as diferenças?

O GPL (Gás de Petróleo Liquefeito) é obtido a partir da destilação do petróleo, sendo o último dos produtos que se obtêm da sua refinação. Ou seja, é aquilo que na gíria se diz: “o último a sair da chaminé da refinaria”.

Após uma análise dos factos acima, constata-se que o GNC será uma versão menos perigosa e mais refinada do que o GPL.

Ou seja, para aqueles que apreciam a poupança de dinheiro e as vantagens ecológicos do segundo, mas por outro lado têm receio dos riscos associados, o GNC torna-se uma alternativa viável.

Além disso, convém não esquecer que, apesar do GPL já ser um combustível pouco poluente, o GNC ainda é menos.

Porém, para os fãs de uma condução agressiva, provavelmente o GNC não acarretará propriamente grandes vantagens.

Principais Vantagens do GNC

1. Custo mais barato por quilómetro

Apesar dos gastos na possível conversão ou compra (o Seat Arona, por exemplo, é mais caro cerca de cinco mil euros a GNC do que a gasolina) e até consumir mais, o custo é claramente inferior ao de um veículo movido a gasolina ou a Diesel.

Embora diferente, tal como o GPL, o valor por litro é menos de 50% daquele a gasolina e cerca de 50% do a gasóleo. Por outro lado, o consumo estimado é 20% superior. Resumindo, segundo especialistas, dependendo da condução, acaba por poupar cerca de 10% a 30% na carteira.

A GALP também presta serviços de avaliação e conceção de um posto de abastecimento próprio através do gás natural caseiro (homebase).

2. É “menos perigoso” do que o GPL

Enquanto o GPL obriga a um pressão de armazenamento variável entre os 95 e os 110 bar, o GNC implica uma pressão de cerca de 200 bar. À partida, isso indicaria que o GNC é mais perigoso (e em casos de explosão é efetivamente).

Porém, as próprias propriedades do GNC tornam-no mais leve. Isso origina um perigo consideravelmente menor.

E escrevemos “menos perigoso” entre aspas, pois qualquer um dos combustíveis alternativos, incluíndo o GPL, são hoje tão seguros como um automóvel a combustão tradicional.

4. É menos poluente

Segundo estudos, um carro movido a GNC polui cerca de 20% menos de CO2 do que um veículo movido a gasolina. Para os ecologistas que demonstram preocupação com a produção das baterias dos automóveis elétricos, esta acaba por ser um alternativa mais viável.

5. Benefícios fiscais

Tendo em conta a pouca poluição de um veículo a GNC, a União Europeia e o Estado Português determinaram ser necessário incentivar a compra deste tipo de veículos.

Assim, há uma série de benefícios atribuídos a quem compra um carro a GNC, principalmente se for adquirido a título empresarial:

  • Redução na Tributação: 7,5%, 15% e 27,5% em cada um dos três escalões, em vez de 10%, 27,5% e 35%. Agravado ao dobro em caso de prejuízo das contas;
  • Dedução de 50% do IVA pago na aquisição de viaturas até 37 500 euros.
  • Tal como nos carros a gasóleo, as empresas podem deduzir 50% do IVA do GPL/GNV
  • Dedutibilidade de gastos com depreciações até 9375 euros/ano.
  • IUC mais reduzido

6. O motor é mais duradouro

Esta é uma das vantagens mais discutíveis. Muitos indicam que, antes pelo contrário, o GNC é prejudicial ao motor.

Porém, não é essa a peça que sai mais prejudicada pelo uso deste combustível (como se verá mais à frente). Na realidade, uma vez que a combustão é menor e mais eficiente, o motor e os cilindros acabam por durar mais tempo.

7. Menor ruído

Segundo especialistas, uma vez que a combustão é menor, o carro provoca menos ruído. A intensidade do som pode ir até 40% menos.

algumas Desvantagens do GNC

1. Menor rendimento

O GNC origina uma diminuição da potência do automóvel. Ao contrário do GPL, que não tem grande influência sobre o rendimento da maioria dos veículos, é um facto que a maioria dos carros pode perder cerca de 15% a 20% da sua potência.

2. Peças têm desgaste mais rápido

Como se verificou anteriormente, o motor ganha maior longevidade. No entanto, uma vez que tem uma combustão mais limpa (“seca”), isso origina um maior atrito o que, por sua vez, leva ao desgaste prematuro de algumas peças, nomeadamente as válvulas.

Esse problema pode ser resolvido utilizando alternadamente o GNC e a gasolina.

3. Difícil abastecimento e pouca panóplia de escolhas

Apesar de, teoricamente, poder utilizar o gás natural de casa para abastecer o carro, tal ainda não é permitido. Portanto, tem mesmo de utilizar os cerca de 14 postos de combustível em Portugal que tenham GNC. Pertencem eles à Douro Gás e a à GALP.

Por essa razão, atualmente, só há cerca de 359 carros movidos a GNC em Portugal, sendo a SEAT não a única, mas a principal fornecedora. A marca espanhola tem no seu arsenal: o Ibiza TGI, o Arona TGI e o Leon TGI (5 portas e ST).

No entanto, há quatro anos, a vizinha Espanha estava numa situação idêntica e, atualmente, já conta com 68 postos de combustível e tem como objetivo ampliar para 300 ou 400 no espaço de cinco anos.

Antevê-se, portanto, que Portugal siga o mesmo caminho.

Veja também