ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
11 Mar, 2021 - 15:11

Grutas de Mira de Aire: um mundo mágico bem debaixo dos pés

Mónica Carvalho

Ali pelos lados das serras de Aires e Candeeiros, escondem-se as Grutas de Mira de Aire. Um mundo mágico subterrâneo que merece uma visita em breve.

Grutas de Mira de Aire

As Grutas de Mira de Aire foram eleitas uma das sete maravilhas naturais de Portugal e há muitos motivos para tal. Além de serem as maiores grutas turísticas do país, revelam-se, ainda, como uma das mais bonitas paisagens que o mundo tem para nos oferecer. E tudo isto acontece debaixo da terra, numa espécie de submundo onde é um privilégio entrar.

A maior galeria subterrânea até hoje descoberta em Portugal, situa-se a 110 metros de profundidade, numa descida com mais de 600 degraus, decorada com cerca de três mil lâmpadas de diferentes cores. Um cenário que confere ainda mais magia e espetacularidade ao local.

Grutas de Mira de Aire: descoberta fortuita

As Grutas de Mira de Aire foram descobertas em 1947, num acaso, quando dois homens desceram até uma pequena galeria a 20 metros de profundidade. Rapidamente perceberam que o eco que se ouvia era o prenúncio de um espaço tão maior do que a mente lhes permitia imaginar. Não estavam enganados.

Por isso, aos poucos exploraram esta primeira galeria, mas só dois anos mais tarde iriam encontrar a continuação da gruta, até se perceber que, na totalidade, têm mais de 11 quilómetros. Contudo, apenas cerca de 600 metros estão disponíveis ao público desde 1974, ano em que foi possível visitar as grutas pela primeira vez.

Como saberá, as grutas são lugares muito húmidos e com piso escorregadio, pelo que é aconselhável que use calçado adequado e um casaco leve, isto porque a temperatura ronda sempre os 17º.

Apesar de neste momento, devido à pandemia, as grutas se encontrarem fechadas ao público, conheça os horários habituais:

  • Outubro a março: 09h30 – 17h30
  • Abril e maio: 09h30 – 18h00
  • Junho e setembro: 09h30 – 19h00
  • Julho e agosto: 09h30 – 19h30

A entrada é grátis para crianças com menos de 5 anos, dos 5 aos 11 o bilhete custa 4,20€ e 7€ para maiores de 12 anos.

Vale mesmo a pena a visita pela dimensão, pela beleza e pela importância ecológica das grutas, classificadas como Imóvel de Interesse Público (1955), Sítio RAMSAR (2005), e ainda, como local de interesse público para estudos e investigações espeológicas.

Breve história das Grutas de Mira de Aire

visitar grutas de mira de aire

A erosão provocada pelas águas no subsolo foi criando, ao longo de muitos milhões de anos, galerias subterrâneas e pequenas cavidades. Por ali terão passado lençóis de água, dando origem a estas magníficas grutas, com espetaculares estalactites e estalagmites.

Foram descobertas, como indicamos, em 1947, e foi, de facto, algo surpreendente, porque até ao momento não havia outra descoberta que se lhe comparasse. Para o local foram espeleólogos que preparavam a formação de uma Sociedade Científica e Mira de Aire saiu do anonimato para ser conhecida um pouco por todo o país.

Ao explorar o fundo da sala e de algumas reentrâncias nas paredes, descobriu-se que a gruta ia muito além da entrada inicial. Tratava-se de uma abertura num patamar acessível, mas estreito e escorregadio, batizado de Púlpito. Uma descida íngreme dá acesso ao 2º Poço, com 20 metros de profundidade.

Na base deste início de percurso de mais de 500 metros, denominado Galeria Grande, pode-se ainda observar a Fonte das Pérolas, as Galerias do Polvo, o Órgão, e o Rio Negro que dava acesso ao Areal no fundo da Galeria Grande.

A continuação da exploração na década de 50 e 60, permitiu chegar até ao Sifão das Areias, Concha e Labirinto, até que foi descoberto o Poço Final. Estavam, assim, reunidas as condições para poder ser elaborado o primeiro levantamento topográfico da Gruta. Seguiram-se as necessárias construções de estrados e escadas de madeira para que outros pudessem testemunhar tal maravilha em segurança.

Como chegar às grutas

Planear uma vista às Grutas de Mira de Aire é o plano perfeito para fazer em família, independentemente da região do país onde se encontra.

As grutas localizam-se em Mira de Aire, no centro do país, no concelho de Porto de Mós, no distrito de Leiria, em Portugal. Assim sendo, a autoestrada A1 é a forma mais fácil de chegar ao local. Deverá sair em Alcanena / Minde e seguir pela N243.

O que ainda pode visitar na região

A envolvente das Grutas de Mira de Aire, até pela própria localização e cuidado de preservação que se foi tendo ao longo dos anos, é igualmente cativante.

Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros

Panorâmica das serras de aires e candeeiros

As grutas situam-se dentro do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, permitindo fazer algumas caminhadas e desfrutar do melhor que a Natureza local tem para lhe oferecer.

Este é também o local ideal para avistar raposas, texugos, genetas e coelhos bravos, que por lá vivem na maior das liberdades, até porque todos os quase 39 mil hectares são área protegida.

Parque Aquático Aquagruta

Parque aquático

Numa vertente mais recreativa, de lazer e animação, e mesmo à saída das grutas, como que antecipando a necessidade de ar livre, dfoi criado um parque aquático. Apropriadamente denominado de Aquagruta, é perfeito para aproveitar os dias quentes, entre os meses de junho e setembro.

É um espaço que conta com piscina de adultos, piscinas infantis, escorregas de água tobogans, solário, esplanada e diversos espaços de lazer.

Tem como cenário de fundo o Polje de Mira-Minde e a Serra de Aire como pano de fundo e poderá até aproveitá-lo durante alguns dias. Afinal, o complexo das grutas de Mira de Aire conta ainda com alojamentos em bungalows perfeitos para umas férias em família.

Santuário de Fátima

Santuário de Fátima

Naturalmente que Fátima é um ponto de visita obrigatório ao visitar as Grutas de Mira de Aire. A cidade pertence ao concelho de Ourém, situada em pleno Maciço Calcário Estremenho, a cerca de 350 metros de altitude.

Independentemente da fé de cada um ou religião, o Santuário de Fátima não deixa ninguém indiferente. Até 1917, o local era uma simples aldeia desconhecida, como tantas outras em Portugal. Porém, devido às aparições marianas aos três pastorinhos, na Cova da Iria, tornou-se num local de peregrinação.

A construção do Santuário de Fátima trouxe desenvolvimento rápido e intenso ao local, de tal forma que a aldeia foi elevada a cidade em 12 de julho de 1997.

Quem lá vai impulsionado pela fé ou pela curiosidade relata o ambiente de serenidade e luz, que convida à reflexão e harmonia de espírito.

Veja também