Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
David Afonso
David Afonso
12 Mai, 2020 - 12:39

Irv Gordon e Volvo P1800. Uma história com 5,15 milhões quilómetros

David Afonso

Irv Gordon viveu grande parte da sua vida a fazer o que mais gostava: conduzir o seu Volvo P1800. Juntos criaram uma das mais bonitas histórias do mundo automóvel.

Irv Gordon e Volvo P1800

Irv Gordon, um ex-professor de Long Island, detém o recorde mundial da maior distância percorrida por um único proprietário numa viatura não comercial – um recorde que figura no Guinness Book of World Records – com nada mais, nada menos, 5,15 milhões quilómetros num Volvo P1800 comprado em 1966.

Uma história de amizade entre dois companheiros de viagem e um dos mais bonitos binómios carro-homem que existiu até à data.

Irv Gordon: de professor a “papa-quilómetros”

Irv Gordon

Irv Gordon nasceu em julho de 1940. Formou-se em Ciências na universidade Massachusetts e depois de terminar a vida académica, passou a trabalhar como professor na Roslyn Middle School, em Long Island.

Foi precisamente aqui, durante o tempo que passou em Roslyn, que começaram os seus primeiros quilómetros desta longa viagem com o seu Volvo P1800.

Depois de muitas viagens diárias, casa-trabalho e trabalho-casa, Irv perguntou aos seus amigos da época que carro haveria de comprar para fazer este trajeto (eram cerca de 200 km). Estava “farto” de carros pouco fiáveis, com problemas de manutenção e que não eram confortáveis o suficiente para aguentar esta vida de quase ponta a ponta.

Foi então que depois de ouvir diversas sugestões e comparar alternativas, decidiu comprar aquele que viria a tornar-se no seu fiel companheiro de viagens, e de vida: o Volvo P1800. Comprado a 30 de junho de 1966 por 4.150$, o Volvo P1800 parecia assim o carro perfeito para Irv.

Volvo P1800: como é o recordista de quilómetros

Volvo P1800

Atualmente um carro clássico, mas na época, um desportivo de sonho. Era assim que o Volvo P1800 se apresentava a Irv Gordon.

Com um estilo “redondinho” à italiana e cheio de glamour, percorria as estradas livremente. Baseava-se na carroçaria do Volvo 121/122S, mas tinha uma distância entre eixos menor.

Este coupé de 2 lugares e transmissão manual de 4 velocidades tinha também um motor totalmente novo de 1.8 litros e 4 cilindros, que debitava inicialmente 100 cv, mais tarde 108, 115 e posteriormente 120 cv.

Depois de um nascimento complicado, uma vez que a Volvo não tinha capacidade para construir ela própria o carro, a produção durante os primeiros anos foi subcontratada a Inglaterra. Contudo, nada que impedisse a sua popularidade junto dos condutores.

Numa das muitas entrevistas que deu, Irv Gordon estava ciente que este era mesmo a sua alma gémea, versão quatro rodas. As “juras de amor” e os elogios eram sempre foram uma presença assídua em todas as suas palavras.

Quando comprei este carro, não podia imaginar que ia ficar tão satisfeito por ter um companheiro que me levava para o trabalho todos os dias e voltava comigo para casa sem “reclamar”. Nunca me dava tristezas, problemas mecânicos ou reparações mais difíceis. O meu Volvo é o carro perfeito. Espero que seja sempre assim, mesmo até ao fim da minha vida, quero-o por perto, tenho a certeza que estará sempre na sua melhor forma”, disse ao portal Ignition.

Uma das declarações mais marcantes foi talvez em 2002, quando disse ao Newsday, “Se os carros pudessem ter uma alma, o meu Volvo P1800 teria uma de certeza“. Sem dúvida, uma declaração bastante forte, mas que representava a união destes dois amigos de estrada.

Para além de todo o sucesso com Irv Gordon, o P1800 também se tornou bastante famoso como resultado do seu papel nos filmes “O Santo”, nos quais o herói Simon Templar (Roger Moore) conduzia o carro.

Irv Gordon e Volvo P1800: uma amizade para a vida

Volvo P1800

Com a escolha feita, só faltava colocar as chaves na ignição e começar a rolar pelas estradas.

Irv Gordon comprou o seu carro numa sexta-feira e depois de um fim-de-semana de férias com a família, já sentia que aquele era “o” carro. Na manhã da segunda-feira seguinte, já estava à porta do concessionário para controlar o seu amigo e ver se estava tudo bem com ele. Afinal de contas, com apenas dois dias de condução já tinha percorrido 2.500 km.

Sem nunca ter o objetivo dos recordes em mente, Irv Gordon nunca mais conduziu outro carro com prazer, ainda que a Volvo lhe tenha oferecido um Volvo 780 Coupe Bertone por ter ultrapassado as 250.000 milhas com apenas manutenção básica e sem reparações e mais tarde, um Volvo C70 por ter atingido a marca de dois milhões de milhas.

Estava decidido a fazer todas as viagens da sua vida com o seu companheiro. E assim foi.

Em 1987, celebrou o seu primeiro milhão de milhas (1 609 000km) no Central Park, em Nova Iorque e, em 2002 celebrou em Times Square o segundo milhão. O terceiro milhão de milhas foi no Alaska em 2013. A 18 de setembro de 2013, o Irv Gordon e seu Volvo 1800, finalmente alcançaram a marca dos cinco milhões de quilómetros.

A última marca registada por estes dois companheiros foi em 2018, quando atingiram os cinco milhões e cento e cinquenta mil quilómetros (equivalente a 127 voltas ao Mundo ou 6 idas à Lua).

Até sempre Irv Gordon

Irv Gordon

Apesar de todo o lado bélico desta história, foi nesse mesmo ano, em 2018, que Irv faleceu e deixou o seu Volvo P1800. Aos 77 anos, não resistiu a um ataque cardíaco durante umas filmagens promocionais na China. Sem nada que o fizesse prever, deixou o seu companheiro de tantos e tantos quilómetros. Contudo, deixa um legado imaculado.

Não se trata apenas de chegar a três milhões de milhas ou a cinco milhões. O que importa mesmo são as viagens e as experiências que vivi até atingir essas marcas. Nunca tive uma meta de chegar a um milhão, a dois milhões. Eu simplesmente gosto de conduzir e viver a vida através do meu Volvo.

Irv Gordon
Veja também