Teresa Campos
Teresa Campos
22 Jul, 2019 - 11:08
Insolação nas crianças: evite este perigo

Insolação nas crianças: evite este perigo

Teresa Campos

A insolação nas crianças é uma realidade bastante frequente, sobretudo nos meses de verão. Os perigos são vários e deve ter em conta os sinais de alerta.

O artigo continua após o anúncio

A insolação nas crianças é uma situação relativamente comum e que, em casos extremos, pode mesmo conduzir à morte. Particularmente no verão, importa falar sobre este assunto, perceber quais as suas caraterísticas e fatores de risco e, claro, entender como se pode prevenir este problema.

Quando falamos de insolação nas crianças, referimo-nos igualmente à insolação nos bebés, a qual é também muito frequente, visto que em idades muito precoces os mais pequenos não consegue manifestar se têm fome ou sede, por exemplo. Se tem crianças, então tome nota das informações preciosas que lhe deixamos em seguida.

Insolação nas crianças: principais perigos e caraterísticas

insolação nas crianças

O que é a insolação?

A insolação é a alteração mais grave da regulação térmica. É uma resposta do organismo a uma perda excessiva de líquido e sal. Uma exposição excessiva ao sol, a desidratação e a não utilização de loções apropriadas podem ser algumas das causas deste problema.

Os bebés e as crianças fazem parte do grupo de risco, assim como os idosos, diabéticos, pessoas com insuficiência cardíaca ou tensão alta, obesos, entre outros.

A insolação nas crianças

Um dos principais sinais de insolação é uma temperatura corporal superior a 39,5°C, a qual não está relacionada com uma infeção, mas sim com uma exposição solar demasiado intensa. A esta febre juntam-se outros sintomas, tais como: desidratação, pele avermelhada e sensação de calafrio.

Sobretudo nas crianças, as causas desta situação podem, também, estar relacionadas com o uso excessivo de roupa ou a permanência em ambientes muitos quentes, sem a ingestão de alimentos e líquidos adequados.

O protetor solar ajuda a prevenir este problema, mas caso ele já se tenha instalado, há medidas importantes a tomar, como: dar um banho fresco à criança e mantê-la hidratada e em local arejado. Em casos mais graves, em que a criança fique muito apática, deve dirigir-se com ela à unidade de saúde mais próxima.

Sintomas mais frequentes

O artigo continua após o anúncio
  • Irritabilidade e desconforto;
  • Pele muito irritada pelo suor no pescoço e axilas;
  • Caimbras musculares;
  • Esgotamento, cansaço e fraqueza;
  • Enjoos, náuseas e vómitos;
  • Dor de cabeça;
  • Desmaios ou perda de consciência;
  • Sede ou desidratação intensa;
  • Boca e olhos secos;
  • Urina escura;
  • Temperatura corporal a rondar os 40,5ºC;
  • Respiração rápida;
  • Choque.

Como prevenir?

  • Oferecer frequentemente líquidos, sobretudo água, aos bebés e crianças;
  • Amamentar;
  • Dar comidas leves e frescas;
  • Banhar o bebé com frequência;
  • Deixar as crianças descansar;
  • Manter os pés dos mais novos protegidos do sol;
  • Estar em locais frescos e ventilados;
  • Vestir os bebés com roupas leves de algodão;
  • Não estar muito tempo dentro do carro;
  • Evitar a exposição solar entre as 10h e as 16h;
  • Aplicar sempre protetor solar nos mais pequenos.

Insolação nos bebés: o que fazer?

insolação nas crianças

Os bebés têm as suas adaptações fisiológicos menos desenvolvidas. Logo, perdem água mais rapidamente, ao mesmo tempo que são incapazes de regular sua temperatura corporal, devido à sua pele fina.

Assim, os bebés têm mais dificuldade em adaptar-se às temperaturas em mudança. Suam menos, produzem mais calor durante o exercício e têm menos capacidade de baixar a temperatura. Além disso, é mais difícil identificar as necessidades fisiológicos de um bebé, já que, enquanto muito pequenos, eles não conseguem verbalizar se têm fome ou sede.

Portanto, especialmente em dias de calor, deve:

  • Oferecer água ao bebé ou amamentá-lo;
  • Colocar o bebé num lugar fresco e ventilado;
  • Tirar toda a roupa do bebé;
  • Banhar o bebé com água fresca;
  • Deixar o bebé repousar e, se necessário, procurar ajuda médica.

Além dos casos de insolação relacionados com as idas à praia ou à piscina, por exemplo, a insolação é uma das principais causas de morte entre as crianças deixadas dentro do automóvel, quer por esquecimento, quer por ausência prolongada dos pais.

Um relatório elaborado pela Fundación MAPFRE e pela Associação Espanhola de Pediatria salienta que, se estiverem 25ºC no exterior e a criança ficar durante 10 minutos no interior do carro, tal é suficiente para que uma criança sofra de insolação. Por isso, não arrisque deixar as suas crianças no automóvel, especialmente durante o verão.

Veja também: