ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Teresa Campos
Teresa Campos
26 Jan, 2021 - 11:21

Intolerâncias alimentares: tudo o que precisa de saber

Teresa Campos

As intolerâncias alimentares podem estar na origem de sintomas muito incómodos e incapacitantes. Conheça alguns cuidados que podem ajudar no dia-a-dia!

mulher com intolerâncias alimentares

O número crescente de pessoas com intolerâncias alimentares mostra que é essencial sensibilizar e esclarecer acerca desta temática. Uma intolerância alimentar consiste numa reação adversa que se desenvolve após a ingestão de determinado alimento, com menor gravidade do que a resposta alérgica. Ou seja, é uma resposta anormal do organismo a componentes específicos de certo alimento.

Os sintomas mais comuns de intolerância alimentar são: mal-estar geral; flatulência; diarreia; obstipação; azia; má absorção dos nutrientes; tremor; suores; dor de cabeça; insónias; ansiedade. Apesar de poderem ter um grande impacto ao nível do bem-estar e da qualidade de vida, as intolerâncias alimentares não representa uma ameaça à vida.

Intolerâncias alimentares vs. Alergias alimentares

As intolerâncias alimentares e a alergia alimentar são, muitas vezes, confundidas ou utilizadas como sinónimos mas, na realidade, são muito diferentes. Há 3 diferenças essenciais:

Fisiologia

  • Uma alergia alimentar envolve uma resposta do sistema imunitário. As defesas do nosso corpo confundem um componente do alimento ingerido com uma ameaça e libertam anticorpos para eliminar esta ameaça;
  • Por outro lado, as intolerâncias alimentares surgem devido a uma má função intestinal em que um componente alimentar não é corretamente digerido ou absorvido.

Tempo de reação

  • As reações alérgicas normalmente ocorrem nas primeiras horas após a ingestão do alimento;
  • As intolerâncias alimentares tendem a manifestar-se mais tarde. Elas podem mesmo demorar alguns dias a manifestar-se, após a ingestão do alimento.

Componente alimentar

  • A alergia alimentar é causada por uma reação contra as proteínas de determinado alimento;
  • As intolerâncias alimentares podem ser causadas por qualquer constituinte alimentar que não as proteínas.
intolerância alimentar

Intolerâncias alimentares mais comuns

As intolerâncias alimentares podem ser causadas por qualquer tipo de alimento, mas as mais frequentes são:

Intolerância à lactose

A lactose é um açúcar presente no leite e seus derivados. A digestão da lactose no organismo é feita pela enzima lactase, que a transforma em glicose e galactose. No caso da intolerância à lactose, existe uma atividade ineficaz da lactase ou deficiência da mesma.

Intolerância ao glúten

O glúten corresponde ao conjunto das proteínas insolúveis presentes em vários cereais, nomeadamente: trigo; centeio; cevada, pode causar intolerância.

Intolerância a aditivos alimentares

Alguns conservantes, aromatizantes, antioxidantes e corantes que estão presentes nos alimentos que consumimos diariamente podem causar intolerância.

4 cuidados a ter em caso de intolerâncias alimentares

  • Tentar eliminar da dieta os alimentos que provocam intolerância, sempre com o aconselhamento médico e nutricional. Por exemplo, se excluir o leite e todos os seus derivados, pode apresentar deficiências de cálcio, podendo haver necessidade de compensação alimentar ou farmacológica;
  • Conhecer e monitorizar quais os alimentos ou grupos alimentares que desencadeiam os sintomas, evitando assim dietas demasiado restritivas;
  • Conhecer bem as substâncias a que é intolerante de forma a ser capaz de detetar quando estas aparecem, ainda que dissimuladas, na alimentação;
  • Ler muito bem os rótulos de composição dos alimentos.
intolerância alimentar crianças

5 sinais de que as crianças sofrem de intolerâncias alimentares

Vómitos

Esteja atento aos padrões. Se o seu filho sente náuseas ou acaba por vomitar sempre que ingere algum tipo de alimento (ovos ou produtos lácteos), o melhor é falar com o pediatra. Os especialistas aconselham que os pais tomem nota da frequência com que estes episódios acontecem para que o médico possa atuar preventivamente o mais depressa possível.

Dores de cabeça

Não é, de facto, um dos sintomas comuns das intolerâncias alimentares. Ainda assim, alguns especialistas garantem que alguns alimentos podem potenciar as dores de cabeça nos mais novos.

Se notar algum padrão entre o consumo de determinado alimento e o início das dores de cabeça, o melhor é procurar a ajuda do pediatra para que seja feito o despiste de qualquer outra doença.

Ataques de asma

É uma reação pouco conhecida, mas pode ser mais um sinal de que as crianças sofrem de intolerância alimentar. De acordo com os especialistas, os ataques de asma podem ocorrer em situações de intolerância aos sulfitos, um produto químico que faz parte da composição de diversos alimentos processados, como é o caso das batatas fritas, bolachas e até alguns bolos.

Se o seu filho se começar a sentir tonto, a tossir com bastante frequência e a registar dificuldade em respirar depois de ingerir determinado snack, confira a lista de ingredientes do produto. Nestes casos, os especialistas aconselham os pais a procurarem a ajuda do pediatra.

Diarreia

Dores de estômago e diarreia devem deixá-lo sempre alerta. Estes sintomas são muito comuns na intolerância à lactose. Assim sendo, eliminar produtos que tenham por base a proteína do leite ajuda a prevenir a diarreia e as dores de estômago.

Problemas de comportamento

As crianças que sofrem de intolerância alimentar a alguns tipos de corantes alimentares podem mudar drasticamente de atitude. Esteja atento: se reparar em mudanças de humor assim que são ingeridos alguns produtos que usem agentes de coloração, pode estar perante um caso de intolerância alimentar. Nesses casos, a substituição desses alimentos ajuda a eliminar essas reações e a controlar o humor do seu filho.

Alimentos para celíacos: como escolher e 4 sugestões
Veja também Alimentos para celíacos: como escolher e 4 sugestões

Testes às intolerâncias alimentares

O que são?

Basta fazer uma pesquisa online para compreender que a oferta no que se refere a estes testes é grande, com várias clínicas a disponibilizar este serviço. Aliás, preços diversificados e promoções é o que não falta. Há mesmo opções para todos os gostos.

Dois tipos de teste de intolerância alimentar dominam o mercado: os testes sanguíneos e o VEGA test.

O primeiro é realizado através da recolha de sangue em laboratórios de análises e tem como objetivo avaliar a concentração de anticorpos IgG para as proteínas dos vários alimentos.

Já o segundo é realizado tanto em farmácias, como em algumas clínicas médicas. Consiste em recorrer a uma espécie de caneta que faz disparos nas pontas dos dedos de modo a estimular impulsos nervosos. Cada grupo alimentar corresponde a um tipo de frequência e é através desses disparos que se pretende analisar a reação do corpo às referidas frequências dos alimentos.

teste intolerância alimentar

São úteis e fiáveis?

Apesar da sua popularidade, a verdade é que, segundo a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, estes testes não apresentam validade científica e são, na sua generalidade, realizados por profissionais não habilitados.

De facto, o teste à intolerância alimentar pode mesmo conduzir a restrições dietéticas erradas e exageradas, originando problemas nutricionais.

Assim, se sofre de alguma intolerância alimentar e quer esclarecer todas as suas dúvidas, talvez seja melhor ponderar bem e evitar o teste à intolerância alimentar. Consulte um imunoalergologista para que o avalie e diagnostique com recurso a metodologias apropriadas.

Veja também