Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Olga Teixeira
Olga Teixeira
18 Ago, 2020 - 15:23

Investir em Forex durante uma crise

Olga Teixeira

Em época de crise, qualquer investimento que permita um rendimento extra parece uma boa ideia, mas será o Forex a opção certa no atual contexto?

mapa mundi com linhas de tendências

Investir em Forex é, para milhões de pessoas em todo o mundo, uma forma de ganhar dinheiro sem fazer um grande investimento inicial. Esta premissa pode parecer, logo à partida, bastante estranha. Ainda mais quando se percebe que estes investidores ganham dinheiro em divisas, mas sem nunca as deterem realmente.

Se todo este conceito lhe parece estranho, o melhor é perceber em que consiste este mercado que opera em todo o mundo, sem ter realmente uma sede física, já que funciona online.

Forex significa Foreign Exchange Market, ou mercado de moeda estrangeira, ou seja, há transações de divisas, mas não nos moldes habituais, como, por exemplo, quando vai cambiar dinheiro.

No Forex, as divisas são negociadas aos pares, vendendo-se a que pode estar em desvalorização e comprando a que está em alta. Por exemplo, no par EUR/USD estará a comprar euros e a vender dólares, partindo do princípio que a moeda europeia vai subir e a norte-americana entrará em queda. O lucro é obtido através da diferença entre o valor das duas divisas.

Características do mercado Forex

mulher utilizando o computador para analisar dados do mercado forex

Uma das principais características desta forma de investimento é o seu dinamismo que resulta, por um lado, de ser um mercado que funciona durante 24 horas por dia, cinco horas por semana.

Por outro lado, esse dinamismo advém também do facto de a cotação das moedas ser volátil. Ou seja, basta um acontecimento social ou político ou uma projeção menos favorável do FMI ou do Banco Central Europeu para que o valor de uma moeda desça.

Além disso, não podemos esquecer que os próprios bancos compram e vendem divisas e a escala a que o fazem também influencia no seu valor. Resumindo: a lei da oferta e da procura também funciona aqui.

Se o dinamismo pode ser um atrativo para quem investe em Forex, é também um obstáculo, porque nem sempre é fácil acompanhar todas estas mudanças e flutuações. E é difícil conseguir antecipar tendências que lhe permitam aumentar o rendimento.

Assim, é importante estar informado, analisar gráficos – disponíveis nas plataformas de de trading (ou negociação) –  e saber como reagir a acontecimentos que possam pôr em causa o seu investimento.

A complexidade é outras das características desta forma de investimento, pelo que, antes de começar, é preciso perceber o que é e como funciona.

O que deve saber antes de investir

Se tem interesse e pondera investir, a primeira coisa a saber é que não pode fazê-lo sozinho. Ou seja, apesar de as ordens serem dadas eletronicamente, e de bastar ter acesso à internet para o fazer, terá de ser através de uma corretora supervisionada e autorizada.

É verdade que existem propostas aparentemente tentadoras online. Porém, se o intermediário não estiver autorizado pela CMVM, não terá de cumprir regras, o que é sempre prejudicial para o investidor.

Deve também saber que não vai deter realmente moedas estrangeiras, mas sim a diferença entre o preço de compra e o de venda.

Além disso, não terá de ter realmente o dinheiro que vai investir, uma vez que as plataformas de trading permitem a chamada alavancagem. Ou seja, multiplicam o seu dinheiro num determinado rácio. Se este for, por exemplo, de 100:1, isto significa que cada euro investido é multiplicado por 100, o que lhe permite investir 100 euros, mesmo que não os tenha. Se esta perspetiva parece fantástica quando se ganha, quando se perde pode ser dramática, já que a perda é real e vai sair da sua conta.

3 cuidados a ter ao investir em Forex

Assim, e tendo em conta a complexidade e o risco envolvidos, há três cuidados básicos para quem quer começar a investir:

  • 1. Escolher uma corretora regulada e supervisionada, garantindo assim mais proteção e transparência e beneficiando também da informação e aconselhamento que disponibilizam.
  • 2. Ter cuidado com a alavancagem. O ideal será escolher um rácio baixo, que minimize as perdas, mas que lhe permita gastar apenas o que tem.
  • 3. Não investir se tiver dúvidas. Se tem aversão ao risco ou se não percebe o funcionamento deste mercado, procure outras opções. Ou abra uma conta de demonstração antes de avançar para um investimento maior.  

Assim, e se procura um investimento para um período de crise, pode encarar o Forex como uma opção. Mas deve ter em atenção não só as especificidades deste mercado, mas também o contexto económico internacional e a forma como é afetado por essa realidade. 

Veja também