Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ekonomista
Ekonomista
14 Jan, 2019 - 08:05

Junta da colaça queimada: saiba como identificar

Ekonomista

Perceba quais os problemas que advêm de ter a junta da colaça queimada, os perigos associados e como deve proceder em caso de substituição. Fique a saber mais.

junta da colaça

Não é evidente, nem percetível, por isso, para detetar a junta da colaça queimada é preciso que atente em variados sintomas.

Tenha em conta que a junta da colaça é uma peça importante e, mesmo, fundamental no motor do seu automóvel, que lhe confere um funcionamento perfeito e garante uma maior longevidade do mesmo.

Esta peça está localizada entre os cilindros do motor e a respetivas cabeças e visa assegurar que cada uma das câmaras de combustão estão bem vedadas, assim como assegura a continuidade dos circuitos de passagem de óleo e dos circuitos de água de refrigeração do motor.

Para que a junta da colaça funcione da melhor forma possível, é necessário que o material desta peça esteja nas condições ideais, de modo a impedir a entrada de misturas gasosas, de óleo ou de água nos circuitos que lhe são adjacentes.

Se esta peça sofrer algum dano ou desgaste precoce, é crucial que se proceda de imediato à sua reparação, pois quando existe uma junta da colaça queimada, o motor acaba por sair prejudicado a curto ou médio prazo.

Como identificar uma junta da colaça queimada

junta da colaça

Nem todos os problemas desta peça são fáceis de encontrar, o que faz com que identificar uma junta da colaça queimada seja uma tarefa árdua. Contudo, os sinais que enviam ao condutor são relativamente simples, cabendo ao próprio saber interpretá-los e agir com brevidade.

Se o condutor conseguir identificar estes sintomas atempadamente, conseguirá evitar despesas indesejadas, bem como danos irreparáveis no motor do seu veículo. Atente em 4 dos sintomas mais comuns.

1. Sobreaquecimento do motor e inerente perda de líquido de refrigeração

Um dos fortes indícios de que se está perante uma junta da colaça queimada ocorre quando o motor começa a sofrer com sobreaquecimento.

Este acontecimento está diretamente ligado à constante necessidade de adicionar líquido de refrigeração ao motor, o que pode evidenciar uma perda da potência do mesmo – outro indicador de que a junta da colaça possa estar queimada.

Ao perder o líquido de refrigeração no cilindro e havendo a injeção de gases quentes no sistema de refrigeração, o carro aquece com uma rapidez superior à normal. Por isso, se notar que o motor do seu veículo evidencia uma curvatura de temperatura fora dos registos graduais comuns, fique atento.

2. Excesso de fumo a sair do tubo de escape

Tenha ainda atenção à quantidade de fumo que sai do tubo de escape do veículo. Se denotar a saída de muito fumo, pode estar perante um caso em que o líquido de refrigeração esteja a derramar-se nos cilindros, acabando por ser queimado e resultando em vapor.

Desta forma, o tradicional fumo preto a sair do cano de escape surge em maior volume.

3. Mistura de líquido de refrigeração com óleo

Sendo que a tarefa principal da junta da colaça é separar os diversos líquidos do motor do automóvel, quando se verifica contaminação no líquido de refrigeração e no óleo, resultante da sua mistura, acentua-se a certeza de que a junta da colaça não está em condições.

Se ocorrer uma mistura de líquido de refrigeração com o óleo do motor, a cor acastanhada resultante dessa mistura irá denunciar o defeito. Se ocorrer o inverso, será também fácil a deteção, pois o óleo altera a aparência do líquido de refrigeração.

É importante frisar que, havendo uma mistura destes dois componentes, as propriedades acabam por ficar afetadas e, caso este problema não se resolva, pode progressivamente provocar danos complexos no motor do carro.

4. Perda de potência do carro

Uma junta da colaça queimada pode ainda ser detetada, em determinados automóveis, através da perda de potência, devido à perda de pressão na distribuição dos gases de combustão interna do motor.

Junta da colaça queimada: diagnóstico e solução

Como confirmar se a junta da colaça está queimada?

Para prescindir das dúvidas, o método mais infalível para ter a certeza de que tem a junta da colaça queimada é usar um detetor de perda de gases.

Ao utilizar este dispositivo, poderá saber com precisão e de forma muito prática, se o material deste componente está a cumprir com os seus requisitos de uso, além de confirmar se há fugas de água ou óleo nos circuitos de distribuição.

Este dispositivo encaixa-se no radiador (cuja tampa deve estar sempre fechada) e permite detetar a presença de misturas gasosas. Este dispositivo contém um recipiente interno que contém um líquido azul e que se encontra visível ao utilizador.

Com a presença de gases químicos, esse líquido passa a amarelo sendo que, com esta reação química, comprova que realmente existe fuga de gases misturados com a água e, consequentemente, indica sem margem de dúvidas que a junta da colaça irá necessitar de ser substituída.

Solução: trocar a junta da colaça

Ao identificar uma junta da colaça queimada ou com problemas, o recomendado é que proceda com rapidez à substituição da mesma por uma peça nova. Não se deve trocar uma peça com defeito por uma peça usada, nem recondicionada, com o perigo de se estar a confiar nas propriedades físicas de uma peça que possa partir ou rachar facilmente.

Dito isto, o aconselhável é que faça a substituição por completo, por uma junta da colaça nova.

Para tal intervenção, aconselha-se a consulta de um especialista para fazer essa substituição, sendo que esse trabalho terá os evidentes custos de mão de obra, aumentando o valor final da peça nova.

Contudo, sugerimos que este trabalho seja assistido por um profissional que conheça a natureza desta problemática e que disponha de um bom serviço.

Se quiser comprar a peça e fazer a substituição, com o auxílio de algum amigo entendido na área, saiba que o investimento isolado da peça pode rondar os 77 €, por um jogo de juntas completo.

Identificar uma junta da colaça queimada não é propriamente fácil, mas é crucial que se preste atenção aos seus sintomas, para evitar danos irreparáveis no motor. Mantenha-se atento e vigilante, porque a saúde do motor do seu automóvel pode ser, por vezes, percecionada – numa primeira fase – por si e não pelo seu mecânico.

Veja também