Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Miguel Pinto
Miguel Pinto
03 Mar, 2020 - 13:03

Entrevista. Lipoescultura molda o corpo, não é para perder peso

Miguel Pinto

João Martins, especialista em cirurgia plástica, estética e reconstrutiva, revela onde a lipoescultura pode ajudar a moldar um corpo bonito e saudável.

João Martins especialista em lipoescultura

A lipoescultura pode ser realizada tanto no corpo feminino como no masculino, respeitando as características de cada formato.

Aliás, mais do que a mudança desejada, a individualidade e a estrutura de cada um são pontos essenciais a ter em conta na hora de realizar qualquer procedimento estético, assim como as questões de saúde.

Mais importante do que seguir determinadas modas ou padrões de beleza pré-definidos é manter um corpo equilibrado e saudável, física e mentalmente, para que tenha um impacto positivo na autoestima e felicidade.

João Martins, médico especialista, falou com o Ekonomista sobre o que este procedimento pode fazer por si.

Em que é que a lipoescultura se diferencia da lipoaspiração tradicional?

A lipoaspiração é um procedimento exclusivamente para remoção de gordura, normalmente utilizada para pequenas áreas de gordura localizada. Já a lipoescultura permite uma remoção seletiva de gordura (e, por vezes, até transferência), num modelo 3D, para remodelar todo o contorno corporal. Este é um procedimento de maior detalhe e cujo resultado depende da visão e técnica do cirurgião, já que exige um profundo conhecimento das proporções do corpo, quer feminino quer masculino, para que este o possa redesenhar à medida de cada paciente. É uma cirurgia que exige um olhar artístico, que permita avaliar os pontos-chave de cada corpo e remodelá-los de forma equilibrada. No fundo, é esculpir detalhadamente a forma humana.

Nem a lipoaspiração nem a lipoescultura devem ter por objetivo a perda de peso. A perda de peso pode ser uma consequência no caso da aspiração de grandes volumes, mas não deverá ser o foco

É um tipo de tratamento indicado para quem deseja perder peso?

Não. Nem a lipoaspiração nem a lipoescultura devem ter por objetivo a perda de peso. A perda de peso pode ser uma consequência no caso da aspiração de grandes volumes, mas não deverá ser o foco neste tipo de cirurgias. A lipoescultura é indicada para casos em que, mesmo com uma alimentação equilibrada e um estilo de vida ativo, o paciente não consiga ganhar as formas que deseja e pretende retirar gorduras acumuladas que criam volume nos sítios errados.

Por outro lado, permite dar volume a áreas menos favorecidas, transferindo a gordura aspirada para esses locais. Por exemplo, é comum a retirada de gordura da zona abdominal ou flancos, que, no mesmo tempo operatório, é introduzida na mama, no peitoral ou nos glúteos, para ganhar novas proporções sem recorrer a materiais sintéticos.

A lipoescultura é um tratamento invasivo? Como se processa?

Uma vez que há a introdução de uma cânula e manipulação dos tecidos, acaba por ser invasivo. No entanto, uma vez que é realizado através de pequenos cortes de cinco a oito milímetros, estrategicamente posicionados, e com o uso de cânulas especificamente desenhadas para este fim.

É com estas cânulas que se aspira a gordura a mais e também com cânulas que poderão ser de calibre maior ou menor que se introduz a gordura, depois de tratada, nas zonas com menos volume, criando novas curvas e equilibrando proporções.

Esta é uma cirurgia que pode demorar de uma a quatro horas, dependendo do tipo de áreas a intervir. Se a zona a remodelar for, por exemplo, o abdómen e flancos, é expectável que se estenda por uma a duas horas.

Para total segurança, é recomendável que seja realizado com anestesia geral, mas para pequenos ajustes pode ser realizada com anestesia local ou sedação.

Esta é uma cirurgia que pode demorar de uma a quatro horas, dependendo do tipo de áreas a intervir. Se a zona a remodelar for, o abdómen e flancos, é expectável que dure uma a duas horas

Há alguma zona do corpo onde a lipoescultura é especialmente aconselhada?

A remoção de gordura pode abranger zonas tão distintas como pescoço, barriga, flancos, braços, ombros, coxas ou joelhos, tendo resultados muito satisfatórios em cada uma delas.

Este procedimento exige olhar para o corpo num todo, para garantir que as formas ficam equilibradas com a estrutura de cada indivíduo e que cada parte do corpo está em sintonia com as restantes, em termos de dimensão. Desta forma, pode ser recomendado intervir em diversas áreas em simultâneo.

No entanto as áreas de maior foco na mulher são, a redução de volume na região dos flancos e do abdómen e reestruturar ou aumentar o volume da mama ou do glúteo. Já os homens, na maioria das vezes, preocupam-se mais em aumentar ou destacar os ombros e o peitoral, e definir a zona do six-pack, ganhando um tronco em “V”. Graças a técnicas muito específicas de lipoescultura, hoje, consegue-se dar ao homem um six-pack atlético, com um aspeto muito natural com uma cirurgia de apenas três horas.

Efeitos no corpo da lipoescultura

De que forma e em que situações pode ser reintroduzida a gordura retirada?

A gordura aspirada pode sempre ser reintroduzida, depois de devidamente tratada. Pode ser introduzida para ganhar volume no ombro, na mama feminina, no peitoral (no caso do homem), ou mesmo nos glúteos. Esta reintrodução é realizada sempre no mesmo período operatório onde foi aspirada e também através de uma cânula, que permite semear a gordura em zonas estratégicas, conseguindo os contornos desejados. 

Sendo a gordura um preenchimento natural, adapta-se muito bem, é bem aceite pelo corpo e permite resultados bastante satisfatórios e duradouros.

No pós-intervenção, qual o tempo de recuperação? Que cuidados essenciais deve ter quem faz este tipo de tratamento?

Se realizada nas circunstâncias recomendadas, este é um procedimento de baixo risco e com uma recuperação relativamente fácil. O paciente sai da clínica, habitualmente, no dia seguinte, duas semana depois pode voltar ao trabalho e passado um mês pode recomeçar as idas ao ginásio ou corridas. O período de repouso exigido são mesmo as duas semanas seguintes ao procedimento, em que o paciente deve também usar roupa compressiva. Está recomendada a realização de massagens drenantes que ajudam na recuperação e na obtenção do resultado final.

Se o paciente mantiver um estilo de vida saudável, é expectável que o procedimento seja definitivo, sofrendo apenas com o avançar natural da idade. O risco de engordar nas zonas aspiradas é mínimo

A lipoescultura é um procedimento definitivo? Qual o risco de se voltar a engordar?

Se o paciente mantiver um estilo de vida saudável, é expectável que o procedimento seja definitivo, sofrendo apenas com o avançar natural da idade. O risco de voltar a engordar nas zonas aspiradas é mínimo, mantendo-se as formas mesmo com algum ganho de peso. Isto porque a gordura do nosso corpo está agrupada em “bolsas” e todos temos uma certa quantidade dessas bolsas à nascença, sem que essas se multipliquem ao longo da vida.

O que acontece quando engordamos é que estas bolsas ficam mais cheias e aumentam de volume e o que acontece na lipoescultura é que se retiram essas bolsas de gordura, que, em condições normais, não voltaram a surgir. Assim, ficamos com menos bolsas de gordura, menos massa gorda, nas áreas tratadas.

João Martins

Especialista em cirurgia plástica, estética e reconstrutiva, licenciado pela Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa.

Veja também