Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Raquel Pacheco Neves
Raquel Pacheco Neves
12 Fev, 2017 - 08:00

Micose nos pés? Saiba como tratar

Raquel Pacheco Neves

Saiba tudo sobre as micoses que podem existir nos seus pés. Podem atingir as unhas, a pele ou, pior, surgir nos dois locais.
 

Micose nos pés? Saiba como tratar

Os temidos fungos capazes de contaminar as unhas e a pele dos pés podem provocar muito desconforto e, literalmente, tirar o sono de quem sofre com o problema. Ardência, comichão e descamação são alguns dos sinais de alerta e é preciso atuar de imediato para evitar que o foco se espalhe. 

Fique atento aos primeiros sintomas, pois os tais fungos que provocam as micoses nos pés são extremamente contagiosos e podem mesmo atingir outras partes do corpo. É fundamental proteger-se da contaminação, mas quando ela acontece, há alguns tratamentos a ter em conta. “Agir” é a palavra de ordem.


Micoses nos pés: o que são e onde aparecem?

  • As micoses são geradas por fungos que gostam do calor, pois as altas temperaturas beneficiam a sua propagação. Por esta razão, o inimigo invisível vive facilmente nos pés e nos sapatos, locais quentes e húmidos. 
  • Praticamente todas as pessoas estão expostas ao contágio, pois os fungos proliferam um pouco por toda a parte, multiplicando-se quando estão reunidas as condições ideais que combinam temperatura elevada, humidade e escuridão.
  • A comichão e o prurido são os sintomas mais comuns e mais incómodos das micoses.


Micoses na pele do pé?

Sim, e é este o tipo mais comum e fácil de tratar. O problema é também denominado de dermatomicose. Veja como acontece:

  • Os pés são áreas cutâneas permanentemente submetidas à ação do calor e humidade. Estas duas condições, para além de beneficiarem a colonização e desenvolvimento dos fungos, promovem localmente a maceração e a fissuração da pele, e estas são as condições necessárias para a instalação da infeção fúngica.
  • A dermatomicose mais comum é a conhecida “pé-de-atleta”. Estima-se que cerca de 21% da população adulta possa estar afetada com este tipo de micose. Normalmente localizada entre entre o 4º e 5º dedo, esta patologia causa prurido, descamação, maceração e fissuras, podendo alastrar-se às outras pregas interdigitais, à superfície plantar dos pés e, até, atingir as unhas.

Sintomas de micoses nos pés

  • Prurido (comichão);
  • Borbulhas pequenas;
  • Dor;
  • Maceração, descamação e gretas interdigitais;
  • Descamação, secura e/ou fissuras nos bordos laterais dos pés;
  • Inflamação e rubor da pele;
  • Se a pele não for tratada, pode prolongar-se e abrir fissuras e gretas, provocando um grande desconforto e alguma dor;
  • O cheiro desagradável é também um dos sintomas do problema.


Como evitar? 

  • Em balneários, deve utilizar sempre chinelos;
  • Secar bem os pés após o banho, tendo atenção aos espaços entre os dedos;
  • Ter sempre os sapatos limpos;
  • Usar meias lavadas a cada troca e dar preferência às peças com maior percentagem de algodão;
  • Não utilizar meias e sapatos de outros, ou emprestar;
  • Nos tempos de calor, evitar sapatos fechados e deixar os pés respirarem sempre que possível;
  • Dar preferência ao calçado em pele e evitar materiais sintéticos.

 

Como tratar a micose na pele?

Para o tratamento das micoses que afetam a pele dos pés, pode utilizar o Lamisil 1, que é um creme de aplicação única e tem o custo de cerca de 9,50 euros. O creme deve ser aplicado no local do problema e deve atuar durante 24h.

Atenção: o Lamisil 11 não deverá ser utilizado durante a gravidez, aleitamento, ou em crianças e adolescentes de idade inferior a 18 anos.



Micoses nas unhas

As micoses que afetam as unhas dos pés são também denominadas de onicomicoses. Saiba mais sobre este problema, que exige mais atenção e cuidados, pois pode ser difícil de travar:

  • As onicomicoses são infeções das unhas causadas por fungos que se desenvolvem alimentando-se de queratina (substância responsável pela rigidez das unhas). Além de afetarem gravemente as unhas dos pés, são bastante incómodas e de especto desagradável, podendo tornar-se muito dolorosas. 
  • Habitualmente, a unha do dedo grande é a primeira a ser afetada. No entanto, todas as outras unhas do pé podem também ser afetadas.
  • Os primeiros sinais da doença correspondem à modificação da cor da unha (amarelada, acastanhada ou esbranquiçada), ao seu engrossamento, ao aparecimento de depósito (tipo farinha) por baixo da unha, e/ou alteração da forma.

Fatores de Contágio das micoses nas unhas

  • Locais fechados e pouco arejados, nomeadamente locais húmidos e quentes, como ginásios e balneários;
  • Suscetibilidade/sensibilidade individual, ou a chamada “predisposição”;
  • Baixa imunidade do organismo, que pode ser provocada pelo stress, por doenças como a sida e a diabetes, ou ainda ser devida a tratamentos de quimioterapia;
  • Partilha de toalhas, tapetes, meias, sapatos;
  • Problemas de saúde, como a diabetes, a obesidade, doenças cardiovasculares e imunodeficiências;
  • Partilha e má desinfeção de instrumentos utilizados na manicure.


Tratamento para micoses nos pés

Para o tratamento das micoses nos pés pode, por exemplo, utilizar o Locetar EF, que é um verniz antifúngico de aplicação local, com um custo aproximado de 23 euros. A sua substância ativa, a amorolfina, penetra e difunde-se pela placa da unha, permitindo erradicar fungos de difícil acesso. O conjunto é composto por um verniz, 30 compressas, 10 espátulas e 30 limas, permitindo assim o tratamento completo. Lembre-se: a interrupção do tratamento favorece a persistência do fungo, ou a sua recaída. O Locetar EF não deverá ser utilizado durante a gravidez, aleitamento, ou em crianças e jovens menores de 18 anos.

Veja também: