Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
17 Jun, 2020 - 14:56

Parque Natural de Montesinho: férias no santuário da Natureza

Mónica Carvalho

O Parque Natural de Montesinho, no nordeste transmontano, guarda preciosidades que deve conhecer. Um mundo a explorar e que espera por si.

Casas em Rio de Onor no Parque de Montesinho

O Parque Natural de Montesinho é um excelente destino de férias, especialmente para quem pretende uma alternativa aos locais mais tradicionais e procurados, trocando trocar a praia pelo campo, por exemplo. Neste Parque, não falta Natureza e espécies animais, para admirar e explorar.

E o melhor é que, além dos muitos passeios que pode fazer, há oferta de alojamento suficiente para dar resposta à procura – locais bem calmos, sem enchentes, que lhe permitem desfrutar de dias de puro relaxamento.

Portanto, se ainda não decidiu onde vai este verão, está na altura de reunir mais alguns aventureiros e partir à descoberta do Parque Natural de Montesinho!

Boas razões para visitar o Parque Natural de Montesinho

O Parque Natural de Montesinho é um dos maiores parques naturais, dos 12 existentes no país. Fica no nordeste transmontano, englobando a parte norte dos concelhos de Bragança e Vinhais. Este Parque é composto por dois grandes maciços: a Serra da Coroa (a oeste) e a Serra de Montesinho (a este). Criado em 1979, a sua área estende-se por 74.230 hectares que acolhem 240 espécies animais.

O local recebeu o estatuto de Parque Natural devido aos valores naturais, paisagísticos e humanos que imprime na região, bem como devido à preservação do património, territórios e potencialidades da região envolvente.

Como tal, o Parque é detentor de um rico património sociocultural, respeitado por todos os que lá habitam e por todos os autarcas que têm sabido conviver em harmonia e com respeito pelo lado mais natural da região, numa tentativa de preservar ao máximo o que os tempos e a evolução, por vezes, podem tentar mudar.

Exemplo disso mesmo são as festas tradicionais que, mais do que uma forma de celebração, se revelam como elo entre as aldeias e entre diferentes gerações.

Conheça um pouco melhor a região e o que de melhor ela tem para oferecer.

vista parque natural de montesinho

Passeios

A extensão do Parque permite percorrer uma série de caminhos que dão acesso a vários pontos de interesse. Fique a conhecer alguns.

1

Dine

A primeira proposta segue pelos arredores da aldeia de Dine, localizado no centro do Parque. No trajeto, pode conhecer os antigos fornos de cal, a gruta do neolítico, o moinho e a zona de banhos. Mas o melhor de tudo espera por si no cimo da montanha, onde poderá admirar a paisagem deslumbrante e avassaladora. Na aldeia, há ainda uma pequena casa/museu, onde pode observar artefactos encontrados na gruta.

2

Guadramil

Este é, sem dúvida, um dos melhores passeios para quem quer observar a fauna existente no Parque Natural de Montesinho. Junto à aldeia de Guadramil, este caminho percorre a zona de caça nacional da Lombada e a zona de fronteira com Espanha.

No início do percurso, conte com um ponto alto que dá acesso a uma bela vista. Mais adiante, o passeio segue junto ao pinhal, onde poderá avistar lobos. No final do trajeto, há uma zona de lameiros, onde de manhã cedo pastam corços e veados.

3

Moimenta

Nos arredores da aldeia de Moimenta, situada no concelho de Vinhais, junto à fronteira com Espanha, há um trilho que possui um miradouro com uma paisagem magnífica e que não pode perder quando visitar a região. Seguindo junto ao rio, irá encontrar uma ponte medieval, junto à qual pode dar um mergulho e tomar um banho refrescante – umas das melhores coisas a fazer em dias de calor. O caminho finaliza a subir por uma calçada romana, bem preservada.

4

Montesinho

Siga pelo topo da Serra de Montesinho, junto à aldeia homónima, até à barragem da Serra Serrada. Por aí, descubra caminhos e formações graníticas bastante singulares. Depois, comece a descer por caminhos e carvalhais. Admire a paisagem incrível e as casas típicas locais, muito bem conservadas.

5

Quintanilha

Junto à aldeia de Quintanilha, faz-se este passeio pelas margens e arredores verdejantes do rio Maçãs, o qual faz fronteira com Espanha. Neste caso, pode escolher entre um trajeto mais longo ou mais curto, dependendo do que preferir. Junto ao rio, encontram-se muitas áreas de lazer e de descanso, assim como uma zona de banhos, indicada para os dias mais quentes. Na aldeia, há também um pequeno bar tradicional com bons petiscos e bebidas.

6

Vilarinho

Pelas margens da ribeira do Ornal e do rio Baceiro, faz-se este passeio marcado pela intensa vegetação, azinheiras e carvalhos. Pelo caminho, há lameiros, uma zona de merendas de Santo Amaro, o forno de cal (perto da aldeia de Cova de Lua) e três moinhos de água. Em dias quentes, aproveite para se refrescar junto à ponte do Parâmio.

paisagem parque montesinho

O que visitar?

1

Aldeira de Rio de Onor

Esta pequena aldeia do concelho de Bragança, no nordeste de Portugal +e atravessada pelo rio homónimo, que serve de fronteira com Espanha, dividindo a povoação em duas partes: uma portuguesa e outra espanhola.

Além deste facto, a aldeia tem outro aspeto curioso: por lá fala-se num dialeto muito próprio, chamado riodonorês, o que torna a região ainda mais única e especial – assim todos os habitantes de ambos os lados do rio entendem-se na perfeição.

2

Gimonde

Gimonde localiza-se no concelho de Bragança e é um dos pontos mais tradicionais de Trás-os-Montes, onde se destaca a arte de bem receber, tão típica da região.

A par dessa sensação de bem-estar, o local é pleno em paisagens incríveis, património histórico e em vivências de outros tempos mais simples.

3

Parque Biológico de Vinhais

O Parque Biológico de Vinhais é um equipamento público, integrado no Perímetro Florestal da Serra da Coroa e inserido em pleno Parque Natural de Montesinho.

O objetivo da criação deste espaço prende-se com a necessidade de preservação e divulgação ao público de vários aspetos da região, como fauna, flora, geologia, cultura e história.

4

Gondosende

No coração do Parque Natural de Montesinho, encontramos-nos a pequena aldeia de Gondesende, considerada por muitos como uma das mais belas e típicas de todo o país.

Para tal, em muito contribuiu a reabilitação das tradicionais casas de pedra, pelo que um passeio pela região é como se entrasse num livro de história, numa espécie de regresso ao passado.

rio no parque natural montesinho

Onde dormir?

A oferta de alojamento local assenta, essencialmente, nas opções de campismo, bungalows e casas de campo. Tipologias em harmonia com o meio envolvente e com todas as condições necessárias para fruir ao máximo da sua estadia.

Cepo Verde – Campismo

Este parque existe desde 1993 e possui 40 alvéolos / lugares individuais, destinados a tendas, caravanas e autocaravanas, com capacidade total para 140 pessoas.

Cepo Verde – Bungalows

O parque possui um conjunto de 5 pequenas casas tradicionais em pedra e madeira, tipologias T1 e T2, com kitchenette, uma casa de banho e pequeno alpendre.

Cepo Verde – Cabana

Trata-se de um alojamento híbrido – uma mistura entre a tenda e o bungalow, que dispõe de uma cama para duas pessoas, uma mesa, bancos, caixas de arrumação, um ponto de luz e uma tomada.

Trata-se ainda de um alojamento ecológico, de fabrico 100% nacional.

Casa da Bica

Esta casa tem capacidade total para 11 pessoas, que se podem dividir pelos cinco quartos (três com wc privativo e dois com wc partilhado): três com cama de casal, um com três camas individuais e um com duas camas individuais, grande salão com lareira e cozinha. Pode alugar a casa na totalidade ou apenas o quarto.

Casa do Parâmio

Esta casa rural de dois pisos, possui dois quartos com cama de casal (ambos com wc privativo) e uma cama suplementar amovível – capacidade para 5 pessoas, cozinha, sala de estar com lareira e escano tradicional antigo. Apenas pode reservar toda a casa.

Moinho do Caniço

Um antigo moinho de água, com mais de 200 anos, deu lugar a um alojamento de sonho, num local idílico – junto às margens do rio Baceiro, num cenário campestre que propicia a sensação de tranquilidade.

Foi a primeira unidade de turismo rural do Nordeste Transmontano e uma das primeiras do país.

Tem capacidade para seis pessoas, que se dividem pelos dois quartos. A casa apenas pode ser reservada na sua totalidade.

Studio Rural Vilarinho

Este estúdio é um alojamento muito acolhedor, cuja restauração teve em conta o local onde se encontra enquadrado.  

Tem dois quartos com casa de banho privativa e acesso a uma grande varanda. A kitchenette está perfeitamente equipada para facilitar a sua estadia.

Veja também