Marta Maia
Marta Maia
31 Mar, 2020 - 10:08

Como poupar luz, gás e água agora que está em casa

Marta Maia

Saiba como pode poupar luz, gás e água durante o período de isolamento social e evite o aumento dos gastos fixos com a casa.

poupar-luz-gas-agua

O isolamento social a que a sociedade portuguesa está aconselhada tem surtido efeitos em várias áreas da vida de cada um. Para as famílias, o agregado todo em casa, todos os dias, o dia todo, traduz-se num aumento dos consumos que, até aí, eram relativamente controlados e, assim, mais difícil é poupar luz, gás e água.

Falamos de mais banhos, mais eletrodomésticos a funcionar (e com maior frequência), mais refeições e mais horas com a luz ligada. A estimativa é que, em média, de acordo com a DECO, a despesa dos portugueses com a fatura da energia suba pelo menos 20% – podendo agravar-se nas famílias mais numerosas.

É evidente que se torna impossível passar 24 horas em casa e gastar os mesmos recursos que antes. Existem, no entanto, alguns cuidados que as famílias podem ter e que, se noutros tempos fariam diferenças suaves, hoje podem tornar faturas pesadas em contas possíveis de pagar.

Reunimos algumas dicas para controlar os consumos de água, luz e gás. A lista, no entanto, não é exaustiva: cada casa tem a sua dinâmica e cada família terá as suas estratégias de poupança. O importante é refletir sobre o que consome e de que forma o faz, para conseguir alcançar um equilíbrio. Entretanto, cuide de si e dos seus.

Como poupar eletricidade durante a quarentena

A eletricidade é uma das faturas mais pesadas de uma família, porque a maioria dos eletrodomésticos precisa dela para funcionar. Com adultos e crianças a viver em casa 24 horas por dia, todos os dias, a utilização dos equipamentos sofre um pico e dela resultam contas mais altas.

Seguem algumas dicas para reduzir os consumos.

poupar luz

Faça uma boa gestão do funcionamento dos aparelhos

Evite sobrepor consumos desnecessários. Se está no computador, não está a ver televisão. Se está a passar a ferro, não está atento ao computador. Desligue todos os eletrodomésticos que não estão a ser utilizados.

Lembre-se que os equipamentos em stand by também consomem energia. Isso é válido para os carregadores de telemóvel e para as televisões (que pode resolver com extensões com interruptor, por exemplo), mas também para máquinas de secar, por exemplo, que continuam a aquecer a intervalos regulares mesmo depois de terminarem os programas.

Limpe grelhas e filtros

Um congelador com gelo gasta mais energia. Uma máquina de secar leva mais tempo a secar a roupa quando o filtro não foi limpo.

Todos os equipamentos se tornam mais económicos quando funcionam em perfeitas condições, por isso – e já que está em casa – vale a pena limpar os filtros, as grelhas e todos os sistemas dos eletrodomésticos que utiliza.

Regule a temperatura dos eletrodomésticos

A menos que tenha alguém contaminado em casa (casos em que a autoridade de saúde aconselha lavar a roupa a 60º para uma melhor desinfeção), não é necessário usar os eletrodomésticos todos na temperatura máxima.

A regulação estratégica das temperaturas é válida para a máquina da loiça, da roupa e de secar, mas também para as caldeiras (a temperatura deve ser o mais aproximada possível da temperatura a que usa a água nas torneiras), para o frigorífico (que deve estar entre os 5º e os 8º) e para o congelador (que deve estar entre os -17º e os -20º).

Evite os picos de consumo

Além de serem mais caros para o seu bolso, os picos de consumo sobrecarregam as redes de energia e influenciam o fornecimento global. Assim, o ideal é que evite ligar muitos eletrodomésticos ao mesmo tempo.

Pode, por exemplo, planear os cozinhados de forma a usar apenas o fogão ou o forno, e não os dois em simultâneo. Pode evitar ligar as máquinas ao mesmo tempo e até passar a ferro quando mais nenhum eletrodoméstico está a funcionar.

Jogue com as tarifas bi-horárias

Se o seu contrato de fornecimento de eletricidade é bi-horário, sabe que a energia é mais barata durante a noite e aos fins de semana. Jogue com isso e, sempre que possível, ligue os eletrodomésticos que consomem mais apenas nesses períodos.

Pode, por exemplo, programar a máquina da roupa para ligar de madrugada, ou ligar a máquina da loiça antes de se ir deitar, uma vez que nas chamadas horas de vazio o consumo de eletricidade é menor e, por isso, mais barato.

Já que está em casa terá, à partida, maior flexibilidade de horários, e se tem cilindro pode aproveitar até para tomar banho nesses períodos em que o preço da energia é mais reduzido, contribuindo para que a fatura da luz não se torne tão pesada.

Encha as máquinas da loiça e da roupa

Este é um cuidado recomendado em qualquer altura, mas em tempos de quarentena torna-se essencial. As máquinas da loiça e da roupa consomem eletricidade e água, por isso saem mais baratas quando funcionam menos vezes. Assegure-se de que só as liga quando estão na capacidade total, para evitar desperdícios que, nesta altura, saem caros.

Aproveite os sistemas de autoconsumo

Se vive num edifício com sistema de autoconsumo de energia (painéis fotovoltaicos), procure confirmar os horários de produção e tente alinhar os seus consumos com os mesmos. O objetivo é sempre ser auto-sustentável (ou o mais próximo disso), usando o mínimo possível de energia da rede comercial.

como produzir e partilhar energia
Veja também Quer produzir e partilhar energia com os vizinhos? Agora já pode

Como poupar no gás e na água durante a quarentena

contas-casa

Baixe a temperatura da caldeira

As caldeiras a gás têm a vantagem de permitir o controlo da temperatura, e não é por acaso que funcionam assim. Ao baixar a temperatura da caldeira e aproximá-la da temperatura a que usa a água da torneira evita o desperdício de energia e aumentos dispensáveis na fatura do gás.

A temperatura ideal de uma caldeira depende sempre do gosto de quem vive na casa, mas dificilmente será necessário aquecer a água acima dos 50º.

Otimize os banhos

Antes de mais, a recomendação vai para reduzir o mais possível (ou, de preferência, eliminar totalmente) os banhos de imersão. Além de muito pouco ecológicos gastam imensa água e gás para aquecê-la. Dando preferência ao duche, procure tomá-lo nas horas de menor consumo energético para evitar a sobrecarga da rede.

Se tiver crianças pequenas em casa, pode ser boa ideia transformar os duches num jogo. Leve os pequenos para o duche consigo: não só é uma excelente oportunidade para reforçar o ensino da higiene como reduz o tempo total da água a correr.

Otimize o aquecimento central

O aquecimento central é altamente eficaz a climatizar a casa, mas também é altamente eficaz a fazer-se sentir na fatura do gás. Tenha o cuidado de desligá-lo antes de ir dormir (ou programá-lo para isso, se tiver controlador central) e assegure-se de que mantém desligados os radiadores das divisões da casa que não usa (feche a porta para limitar os espaços “frios”).

De dia, deixe entrar o sol pelas janelas. Nesta altura do ano, em que as temperaturas diurnas já são agradáveis, é uma boa alternativa ao aquecimento.

Otimize o uso do autoclismo

A água gasta pelo autoclismo é frequentemente esquecida na hora de pensar na poupança, mas a verdade é que, ao fim de vários dias de permanência da família em casa, ela vai fazer-se notar na fatura.

Sobretudo se tiver crianças, procure harmonizar o “horário da bexiga”: quando um precisa de usar a sanita, pergunta aos outros se também lá vão. Assim podem aproveitar a mesma descarga para várias utilizações.

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.