Teresa Campos
Teresa Campos
09 Nov, 2018 - 14:14
Quantos anos vive um gato? Nós dizemos-lhe

Quantos anos vive um gato? Nós dizemos-lhe

Teresa Campos

Se tem bichanos aí por casa, é natural querer saber quantos anos vive um gato. Por isso, vamos explicar-lhe o que fazer para prolongar a vida do animal.

O artigo continua após o anúncio

Quando passamos a ter um bichano, é frequente perguntarmo-nos – “quantos anos vive um gato?”. O receio de perder o nosso amigo de 4 patas e ficarmos sem o nosso animal de companhia é grande, mas não se deve tornar numa obsessão. O mais importante é que se concentre nas dicas que lhe vamos deixar sobre como cuidar do seu felino com toda a atenção, de modo a que saber quantos anos vive um gato não seja já tão relevante como isso para si.

Tal como no ser humano, a esperança média de vida trata-se, apenas, de um número e cada caso é, efetivamente, um caso. Portanto, fundamental é assegurar que faz os possíveis por assegurar uma vida saudável, confortável e feliz ao seu gato.

Descubra quantos anos vive um gato

15 curiosidades sobre gatos que vai querer conhecer

Esperança média de vida

Para começar, é importante destrinçar entre um gato de rua e um gato doméstico.

Um gato vadio ou que tenha acesso livre à rua está sujeito, entre outras coisas, a lutas com outros animais, ataques de cães, atropelamentos e, até mesmo, maus tratos infligidos por humanos. Nestes casos, a média de anos de sobrevivência destes felinos é de 3 a 9 anos.

Já no que respeita aos gatos domésticos e que são mantidos dentro de casa, tudo depende do tipo de tratamento que o dono lhes dá. Oferecer uma alimentação correta e proporcionar os exercícios certos são alguns dos pilares fundamentais para uma vida saudável e maior longevidade dos felinos.

Embora existam muitas exceções, a esperança média de vida de um gato doméstico é de 12 a 15/20 anos. No entanto, e como já dissemos, há uma série de fatores que influenciam a longevidade e a podem fazer aumentar ou diminuir. Por exemplo, gatos sem raça definida e mestiços tendem a ser mais resistentes e viver por mais tempo, embora tal não seja uma regra.

Principais fatores que influenciam a longevidade

  • Acidentes: um gato doméstico está menos sujeito a ser vítima de carros ou animais maiores mas, mesmo assim, até dentro de casa podem ocorrer algumas situações que o podem ferir ou, mesmo, causar a morte. Tome medidas de precaução idênticas às que seguiria se tivesse um bebé dentro de portas;
  • Doenças: Esta é a ameaça mais comum e torna-se mais presente se o animal estiver no exterior e ficar exposto a vírus e bactérias ou fizer feridas que podem infetar;
  • Obesidade: Os felinos que não se exercitam, nem brincam, estão mais sujeitos ao aumento de peso. Como nos humanos, a obesidade potencia ataques cardíacos, artérias bloqueadas, retenção de líquidos, etc.
  • Falta de cuidados veterinários: Todo o gato deve ir, pelo menos, uma vez por ano ao veterinário, sob pena de algumas doenças com sintomas pouco visíveis serem detetadas já tardiamente e em fases muito avançadas.

Como melhorar a qualidade de vida

  • Castrar ou esterilizar, quando os animais ainda são jovens. Esta decisão, além de evitar doenças sexualmente transmissíveis, como a FIV, diminui, no caso das fêmeas, o desenvolvimento de cancro da mama;
  • Manter o gato dentro de casa, evita a sua exposição a diversos tipos de doenças, lutas e comidas tóxicas ou envenenadas;
  • Vacinar e desparasitar são passos fundamentais para garantir que o seu gato não contrai uma série de doenças;
  • Ir regularmente ao veterinário. Um bom acompanhamento médico pode fazer a diferença, no que respeita a tratar e, mesmo, prevenir várias enfermidades. Esta prática é, ainda, mais importante na velhice, onde deve levar o gato ao veterinário pelo menos 3 a 4 vezes por ano;
  • Fazer análises anuais. Isto, permite identificar problemas de saúde genéticos e diagnosticar doenças renais, cardíacas, cancro, etc. Isso aumenta a probabilidade de tratar o seu animal com sucesso;
  • Oferecer uma alimentação equilibrada, de acordo com a idade do seu gato. Sabia que a necessidade calórica diminui 30% com o aumento da idade? Pois é, então deve adaptar o tipo de alimentação do seu bichano, recordando sempre que as necessidades de um gato bebé são diferentes das de um gato adulto, assim como as de um gato adulto são diferentes das de um gato idoso;
  • Manter uma boa higiene bucal. Há diversas bactérias presentes na boca do seu gato e se não escovar os dentes do seu felino, com uma escova pasta específicas, pelo menos a cada 48 horas, então pode mesmo ter de remover uma placa bacteriana com uma limpeza dentária.
  • Examinar frequentemente os olhos, ouvidos, urina, fezes e edemas do seu bichano. Isso pode ajudar a detetar, precocemente, alguns problemas e doenças.
  • Não descurar na higiene. Limpe sempre os pelos, dê banhos, lave as orelhas e seque bem entre os dedos das patas do seu gato.
  • Conservar a cama do gato sempre limpa, assim como a sua caixa de areia que, idealmente, deve ter em duplicado.
  • Brincar e passear com o bichano, obrigam o seu animal a exercitar-se e a não ficar sedentário o que, como sabemos, não é nada benéfico.
  • Ter cuidados redobrados com gatos séniores. O gato idoso vê a sua imunidade diminuir, perde massa muscular e óssea e pode sofrer de artrite. Para além disso, há tendência para a acumulação de tártaro nos dentes e são precisos mais cuidados de higiene. Os machos podem vir a sofrer de incontinência urinária e as fêmeas de fibrose mamária. A disfunção cognitiva, as alterações no sistema nervoso (perda de olfato, visão, audição e paladar) e os problemas com o sono são outras caraterísticas do envelhecimento destes animais.

Idade dos gatos vs idade dos humanos

As fases de crescimento dos gatos desenvolvem-se a uma velocidade muito superior à dos humanos, especialmente se se tratarem de gatos de rua, cujo envelhecimento ocorre de uma forma muito mais acelerada.

GATOHUMANO
7 dias4 semanas
15 dias6 meses
3 meses2 anos
6 meses13 anos
12 meses16/18 anos
2 anos24 anos
5 anos36 anos
10 anos56 anos
15 anos76 anos
20 anos96 anos

Fonte: Royal Canin 

O caso do gato mais velho do mundo

Todos os anos, há registo de gatos que vivem mais de 30 anos.

O artigo continua após o anúncio

O recorde do mundo do Guinness, no que à longevidade dos felinos diz respeito, pertence ao Creme Puff, natural do Texas nos EUA, um bichano  que  nasceu no dia 3 de agosto de 1967 e morreu a 6 de agosto de 2005, ou seja, com 38 anos, o que corresponde a mais de um século em idade humana!

Para além deste caso, são conhecidos vários casos de gatos que atingiram os 30 anos de idade, pelo que é bem possível que, num futuro não muito distante, a esperança média de vida dos felinos possa aumentar significativamente.

Como já dissemos, saber quantos anos vive um gato não deve ser a principal preocupação de alguém que possua um felino. Focar-se nos cuidados essenciais que se devem ter com o bichano e procurar proporcionar uma vida equilibrada e agradável ao seu animal de estimação são, sem dúvida, os aspetos que deve ter em atenção.

Como ficou claro, a longevidade é, também, influenciada por fatores externos e outros genéticos que nem sempre é possível controlar. Portanto, em vez de perguntar “Quantos anos vive um gato?” pergunte, antes, “Será que o meu gato é feliz?”. Se a resposta for positiva, é sinal de que é um bom dono e, seja lá quantos forem os anos que ele viva, será um amigo patudo satisfeito e bem tratado. Isto sim é o mais importante!

Veja também: