ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
André Freitas
André Freitas
05 Jul, 2021 - 10:56

Ralenti instável: o que é, causas e consequências

André Freitas

Sabe o que é o ralenti e para que serve? Será que o ralenti do seu carro está a funcionar corretamente? Descubra tudo neste artigo.

Ralenti instável no carro

O ralenti instável é um dos indicadores de uma possível avaria no carro. Mas o que é, ao certo, o ralenti? Como detetamos se está, ou não, instável? Se estiver instável, que peças poderão estar danificadas, ou quais as eventuais avarias que devemos despistar?

Quando estamos parados no trânsito, num semáforo, ou, noutras situações, muitas vezes optamos por colocar o carro em ponto morto ou ficar a pressionar a embraiagem.

Esta ação, muitas vezes até irrefletida, é muito comum. E isto é precisamente “ter o carro ao ralenti”. Mesmo que (até agora) não soubesse o significado, muito provavelmente já conduziu assim. E ao ter carro ao ralenti, alguma vez ouviu um som estranho no motor ou sentiu o carro a vibrar de forma esquisita?

Caso a resposta a esta pergunta seja afirmativa, o mais provável é que exista alguma avaria com o seu automóvel.

Ao longo deste artigo vamos explicar-lhe o que é o ralenti, como detetar eventuais avarias através da análise do comportamento do carro e explicar-lhe quais as avarias mais comuns e que podem ser detetadas com um ralenti instável.

Fique atento ao comportamento do seu carro ao ralenti e evite avarias graves e dispendiosas.

O que pode significar um ralenti instável?

Um ralenti instável pode significar que o carro tem alguma peça danificada ou com defeito, ou até mesmo a existência de uma avaria mais grave.

É importante estar atento ao comportamento do carro ao ralenti e detetar a gravidade da instabilidade pois por vezes apenas o volante ou a manete das mudanças treme, outras vezes é mesmo o carro todo, e, até, de forma um pouco incómoda e bastante percetível.

Antes de explicar quais as causas de um ralenti instável e antes de explicar como agir nestas situações, vamos esclarecer em que consiste exatamente o ralenti.

O que é o ralenti?

O ralenti ocorre quando o motor está em funcionamento, mas o veículo permanece parado, seja porque está em ponto morto, ou porque o condutor mantém a embraiagem pressionada.

Assim, quando ao ralenti, o motor do carro funciona com o mínimo de rotações por minuto (rpm) possíveis dependendo da temperatura do motor (geralmente entre 700 e 1.300), sendo o suficiente para manter ligados os principais sistemas do automóvel e, ainda, recarregar a bateria, caso necessário.

Quanto se liga a ignição e o motor “está frio”, este vai trabalhar a um número maior de rotações, pelo que não será totalmente estranho que se sinta o carro vibrar ou “tremer” de uma forma mais expressiva, nesta altura.

Contudo, à medida que o motor aquece, essa vibração sentida enquanto o carro está ao ralenti deve abrandar ou desaparecer completamente.

Quando isto não acontece, ou quando as rpm aumentam e diminuem de forma instável e aleatória quando o carro está ao ralenti, podemos estar perante uma avaria.

Vamos agora enumerar os principais problemas que podem provocar um ralenti instável.

conta rotações a mostrar motor acelerado em ponto morto

Ralenti instável: como detetar e quais as possíveis causas?

De uma forma resumida, um ralenti é considerado instável quando se verifica pelo menos uma das seguintes situações:

  • o carro vibra excessivamente ou de forma estranha;
  • as rpm (visíveis no painel de instrumentos) aumentam e diminuem de forma instável e aleatória;
  • ao arrancar, o carro como que engasga, “treme” de uma forma excessiva, ou parece perder potência.

1. Velas

O primeiro componente a verificar devem ser as velas, principalmente se detetar que o carro perde potência ao arrancar.

Este componente, responsável pela ignição dos motores a combustão, deve ser substituído a cada 30.000 ou 60.000 quilómetros, dependendo do indicado pelo fabricante do automóvel.

Como são peças baratas e fáceis de substituir, se este for o problema, não vai ter muitas dores de cabeça.

2. Filtros

Se o carro se mantém instável mesmo após o arranque, é possível que exista algum problema com os filtros, nomeadamente do ar e do combustível.

Este problema pode ser uma simples obstrução, facilmente resolvida com uma limpeza.

No entanto, estes filtros devem ser substituídos com a frequência indicada pelo fabricante. Para além de evitar problemas ou danos que podem ser graves, estará também a garantir que não há um excesso de consumo de combustível por parte do motor.

3. Carburador e válvulas desafinadas

Também uma falha no carburador e válvulas desafinadas, podem contribuir para um ralenti instável. Como qualquer peça de desgaste, também as válvulas devem ser substituídas frequentemente.

Como agir quando o ralenti está instável?

Caso verifique que o carro vibra de forma excessiva, as rpm são instáveis e/ou que o carro parece perder potência ao arrancar, ou seja, que pode existir alguma avaria no automóvel, deve contactar um mecânico, ou dirigir-se a uma oficina para que seja possível detetar exatamente qual a avaria.

Lembre-se que ao reparar o seu automóvel assim que deteta um problema está a evitar que o problema se agrave, podendo alastrar-se a outros componentes, tornando a reparação muito mais dispendiosa.

Extra: ralenti = desperdício

Ter o carro ao ralenti, ou seja, ligado, mas em ponto morto ou com a embraiagem pressionada é um enorme desperdício de combustível e altamente penalizador para o meio ambiente.

O sistema Start&Stop, que desliga o motor do automóvel quando este para, evitando que fique ao ralenti, tem como função, precisamente, diminuir o consumo de combustível e emissão de gases em situações em que o carro está parado.

Assim, sempre que possível, e para bem da sua carteira e do meio ambiente, evite ter o carro ao ralenti. Utilize o sistema Start&Stop caso o automóvel o tenha, ou desligue o motor caso antecipe que irá ficar algum tempo com o veículo parado.

Veja também