Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarine Martins
Catarine Martins
03 Set, 2018 - 13:43

Novidade: A Ralph Lauren deixa de usar lã mohair nas suas colecções

Catarine Martins

Conhecida pelas peças bonitas e atemporais, a Ralph Lauren deixa de usar lã mohair numa clara declaração de que está do lado dos defensores de animais. Saiba mais.

Novidade: A Ralph Lauren deixa de usar lã mohair nas suas colecções

A indústria da moda recebeu recentemente uma novidade: a Ralph Lauren deixa de usar lã mohair nas suas colecções. A marca norte americana, nascida em 1967 e conhecida pelas peças atemporais e com qualidade, rendeu-se aos apelos da organização PETA (People for the Ethical Treatment of Animals), que pedia, desde maio,que o mohair não fosse mais utilizado em virtude da forma como os animais são tratados na África do Sul.

Produzido a partir do pelo da cabra angorá, o mohair é um tecido sedoso e quente, muito usado para a produção de casacos e camisolas. Mas, uma vez que a Ralph Lauren verificou que o material era obtido de forma cruel e que os animais não eram tratados com as condições supostas, assumiu a posição de retirada do material das linhas de produção. Mas não foi a única.

Ralph Lauren deixa de usar lã mohair: mas não é a única

Marcas como a britânica Asos, a gigante sueca H&M, a espanhola Zara, a Uniqlo, a Gap, a Banana Republic e Diane Von Furstenberg, entre outras, também anunciaram o fim da utilização do mohair nas suas peças, sensibilizando-se com a causa dos maus tratos animais.

Ao que se sabe, cerca de metade da lã mohair usada na indústria da moda tem como origem quintas na África do Sul que não garantem o bem estar das cabras angorá. Por isso, a medida é, manifestamente, uma declaração contra quaisquer tipos de maus tratos animais.

 

O que vai comprar em vez de peças em mohair?

Se é fã de peças em mohair, pense que o preço para serem produzidas era, de facto, muito alto para os animais. Por isso, opte por peças em lã tradicional e caxemira e tente assegurar-se de que a produção certifica o bem estar dos animais.

Diga-nos, o que acha da novidade?

Veja também: