Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
15 Set, 2020 - 10:53

COVID-19: Regras de higiene para andar em transportes públicos

Marvin Tortas

Nas deslocações para a escola ou para o trabalho há que cumprir as regras de higiene para andar em transportes públicos. Conheça todo o protocolo.

Mulher a cumprir regras de higiene para andar em transportes públicos

O regresso às aulas dos mais novos e o regresso ao trabalho de muitos profissionais obriga a observar um conjunto de regras fundamentais para evitar a disseminação da COVID-19. Assim, há que cumprir as regras de higiene para andar em transportes públicos, no sentido de prevenir o contágio pelo novo coronavírus.

Regras básicas que demonstram respeito por todos os utilizadores, garantem maior higiene dos espaços comuns, e que devem ser aplicadas não só em tempo de epidemias e pandemias, mas sim de forma rotineira.

regras de higiene para andar em transportes públicos

Mulher a entrar no metro

Lotação limitada a 2/3 da capacidade

De acordo com o plano para a reabertura da atividade económica e social, aprovado pelo Governo, os transportes públicos apenas poderão circular com a lotação máxima de dois terços da sua capacidade.

Uso de máscara obrigatório

Quem circular de transportes públicos terá, obrigatoriamente, que fazer uso de uma máscara de proteção facial.

Haverá dispensadores de gel desinfetante

Metro, autocarro e comboios deverão ter dispensadores de gel desinfetante que deverá utilizar sempre que tiver de tocar em zonas comuns.

Coimas para que não cumprir estas regras

O incumprimento desta ordem constitui uma contraordenação e pode ser punida “com coima de valor mínimo de 120 euros e máximo de 350 euros”.

Além destas regras de higiene obrigatórias, é nosso dever e obrigação garantir que os espaços públicos são locais limpos, livres de micróbios e bactérias, e que pequenos gestos que fazemos no dia-a-dia vão contribuir para uma sociedade melhor.

Por isso, atente nestas 5 regras de higiene para andar em transportes públicos que deverá cumprir rigorosamente durante esta pandemia, mas que deverão ser um hábito nos próximos tempos.

5 regras de higiene e etiqueta nos transportes públicos

passageiros a sair do metro

1. Deixar sair antes de entrar

Mais do que uma regra de etiqueta, respeitar esta norma demonstra civismo e facilita o embarque e desembarque de passageiros, quer de autocarros, quer do metro, quer dos comboios.

Aguarde que todos os passageiros saiam junto à parte lateral das portas e de seguida entre de forma ordeira, mantendo sempre um espaçamento de pelo menos 1 metro dos demais utentes.

2. Ter cuidados redobrados de higiene

Estas são um conjunto de regras que devem ser tidas sempre em conta, mas particularmente nos tempos que correm onde devemos preservar ao máximo a higiene dos espaços públicos.

Evite a todo o custo maquilhar-se, pentear-se e pintar ou cortar as unhas dentro dos transportes públicos. Estas ações, além de falta de civismo, demonstram falta de higiene e podem colocar em causa a saúde pública dos demais utentes.

Não coloque os pés no assento da frente, mesmo que este se encontre vazio. Mantenha os bancos limpos e higienizados para que possam ser utilizados por qualquer passageiro, em qualquer altura.

Não deve também transportar comidas nem bebidas para o interior do transporte que está a utilizar.

3. Se espirrar, tapar o nariz e boca com o braço

Uma vez que quando circulamos de transportes públicos é frequente tocarmos em zonas comuns como máquinas de vendas de bilhetes, corrimões de escadas e até mesmo os vãos das carruagens para nos segurarmos, é primordial tapar a boca sempre que tossir ou espirrar com a parte interior do cotovelo.

Em alternativa, poderá tossir ou espirrar para um lenço de papel descartável, que deverá ser colocado imediatamente de seguida no lixo.

4. Evitar contacto físico e manter distância social

Mesmo que encontre alguém conhecido na carruagem do metro ou no mesmo autocarro em que está a entrar, evite o contacto físico ao cumprimentar.

Além disso, deverá manter sempre uma distância social de pelo menos 1 metro sempre que faz viagens curtas.

Caso o trajeto a percorrer tenha uma duração superior a 15 minutos, nesse caso deverá aumentar a distância social para, pelo menos, 1,50 metros, para evitar o risco de contágio.

5. Evite tocar com as mãos em zonas comuns

Especialistas indicam que a resistência dos vírus depende da temperatura e da humidade do ar, estando confirmado que podem manter-se ativos durante vários dias em superfícies como metal, plástico e aço inoxidável. Materiais esses que encontramos em qualquer transporte público.

Se tiver que circular em pé no metro, evite segurar-se nas barras de metal verticais ou superiores, optando em contrapartida por circular encostado às costas de um banco ou ao fundo da carruagem, sempre costas voltadas para o sentido da direção para evitar quedas.

Na entrada para as carruagens de metro ou comboio, evite também tocar no botão de abertura de portas com os dedos. Utilize a parte exterior do pulso.

Por fim, não se esqueça que antes de entrar e sempre que sair de qualquer transporte público, deve desinfectar as mãos com uma solução de álcool gel.

Encare estes passos de higiene e etiqueta para evitar ao máximo o risco de contágio por este (e qualquer outro) vírus não só nestes tempos, mas como uma constante que deverá aplicar sempre que circular em quaisquer transportes públicos.

Veja também