Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
02 Out, 2020 - 12:04

Renault Arkana: o novo SUV Coupé que promete conquistar a Europa

Marvin Tortas

Destaca-se pelo seu design exclusivo digno de SUVs mais elitistas. Pensado inicialmente para o mercado russo, o Arkana chegará a Portugal no início de 2021.

Renault Arkana

A comparação é inevitável. O design do Renault Arkana remete de imediato para os SUV coupé das marcas premium, saltando à vista as linhas muito semelhantes às dos BMW X4 e X6, Mercedes-Benz GLC Coupé e GLE Coupé ou Audi Q3 Sportback, uma comparação que não é necessariamente negativa para a Renault uma vez que, à primeira vista, o desing deste novo SUV parece muito bem conseguido.

A marca francesa diz que o segmento C é o que se encontra com mais dinamismo e que tem a maioria dos construtores a competir por um lugar de destaque.

Para não perder oportunidade de surfar a onda, a Renault lança o Renault Arkana, um SUV originalmente destinado ao mercado russo, mas que as vicissitudes dos tempos fizeram com que viesse também parar à Europa, incluíndo Portugal.

Isto é o que já se sabe sobre o novo Renault Arkana.

Renault Arkana: estilo para todos

Renault Arkana

O Renault Arkana original tem como base o Renault Kaptur produzido para o mercado russo, no entanto, a versão europeia usará como plataforma a CMF-B, a mesma usada nos novos Renault Clio e Renault Captur.

O Kaptur russo é ligeiramente maior do que o Captur que bem conhecemos por cá (na Europa, Captur escreve-se com C, na Rússia, com K).

O Renault Arkana destina-se a combater modelos bem instalados no ambiente dos SUV, como o Nissan Qashqai, Peugeot 3008 ou o Seat Ateca, por exemplo, ao mesmo tempo que o seu design inovador e apetecível pisca o olho aos concorrentes de segmento superior.

Com 4568 mm de comprimento, 1571 mm de altura e 2720 mm de distância entre eixos, o Renault Arkana posiciona-se exatamente entre o Captur e o Kadjar na frota da Renault.

No que à capacidade da bagageira diz respeito, esta variará entre os 513 litros e os 438 litros, dependendo da motorização escolhida.

O formato coupé foi o escolhido pelo construtor francês como forma de se distinguir da concorrência SUV C. E nada melhor que ir buscar inspiração a referências para captar as atenções.

A fórmula resultou com a Mercedes-Benz, quando deu a mão à palmatória e “copiou” o formato original do BMW X6 – o precursor deste estilo – para os seus SUV Coupé (e em boa hora o fez). Apesar das críticas, o modelo bávaro apurou as formas e transmitiu-as a outros SUV, o mesmo acontecendo com a Mercedes-Benz.

Porque razão não resultaria com a Renault? Afinal de contas, em design que ganha não se mexe e alguém teria que dar o passo no mundo dos generalistas.

O nome Arkana

Renault Arkana

O nome Arkana tem origem no latim Arcanum, que significa “segredo”. Mas o segredo pode afinal estar à vista de todos e levar o novo Renault ao patamar mais elevado dos SUV, aliando algumas capacidades fora de estrada (importante para poucos condutores deste tipo de veículos) a um estilo dinâmico, diferenciado e semelhante à imagem dos SUV alemães (isto sim, importante para muitos condutores).

O Diretor de Design da Renault, Laurens Van den Acker, diz que o Renault “Arkana é um coupé-crossover único. A fusão perfeita entre a elegância de uma berlina e a força de um SUV. Demos-lhe todos os atributos da marca Renault, com design musculado e a força e sensualidade francesas.”

Interior Renault Arkana

A linha descendente da secção traseira é um dos traços que mais se destaca, contrapondo com a linha de cintura elevada do Arkana. As jantes de 19 polegadas contribuem para uma aparência robusta.

Renault Arkana na Europa só eletrificado

Poucos detalhes técnicos foram confirmados ainda para o novo Renault Arkana.

Para já, apenas se sabe que a versão europeia estará disponível em 3 motorizações: uma totalmente híbrida e duas com motor a combustão, mas que utilizarão um sistema Mild Hybrid.

Interior Renault Arkana

As versões com motor a gasolina recorrem ao 1.3L Turbo, desenvolvido em parceria com a Mercedes, e as potencias variarão entre os 140 e os 160 cavalos. Ambas as versões estarão acopladas a uma caixa automática de dupla embraiagem com 7 relações e usarão um sistema híbrido de 12V.

A versão totalmente híbrida recorrerá a um 1.6L atmosférico e dois motores elétricos, alimentados por uma bateria de 1,2KWh. A potência combinada deste sistema será de 140cv, adianta a Renault.

Quanto a preços, estes são, para já, uma incógnita, mas deverão rondar os 30.000€ (a partir de). O que é certo é que irá contar com uma versão R.S Line, para os amantes de uma postura ainda mais desportiva.

Veja também