Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
02 Fev, 2024 - 10:37

Zoe acaba e dá lugar ao novo Renault 5 elétrico já este ano

Valdemar Jorge

A Renault confirmou o fim da produção do Zoe, já este ano. Para o seu lugar, chega o novíssimo Renault 5 elétrico.

Renault zoe

O primeiro carro 100% elétrico da Renault, o popular e pioneiro Zoe, já tem a data de final de produção agendada: 30 de março de 2024.

A notícia foi, recentemente, avançada pelo sindicato Force Ouvrière, através de comunicado distribuído na unidade fabril da marca francesa, em Flins.

A notícia foi mais tarde confirmada pela própria Renault que, deste modo, anunciou o fim da produção do Zoe após 12 anos e mais de 420 mil unidades produzidas.

O modelo não terá nova geração. Antes será substituído pelo Renault 5 elétrico que será produzido na fábrica que a marca detém em Douai (França) e apresentado oficialmente no final deste mês de fevereiro, no Salão Automóvel de Genebra.

Renault Zoe: 12 anos de bons serviços

O Renault Zoe foi um dos primeiros veículos elétricos acessíveis disponíveis no mercado. O preço justo e custo de manutenção atraente constituíram fatores para atrair, em toda a Europa, consumidores ávidos em possuir veículos elétricos.

O modelo de cinco lugares, lançado em 2012 (foi apresentado como Renault Zoe City Car, no Salão Automóvel de Genebra de 2005, na versão de 3 lugares), destacou-se, desde logo, pelo design atraente.

Entretanto a marca continuou a desenvolver o projeto e em 2009 surge no Salão Automóvel de Frankfurt o Zoe Z.E. Concept com a promessa de autonomia de 160 km, entre recargas da bateria.

No ano seguinte, o projeto recebe nova evolução com a apresentação, no Paris Motor Show, do Zoe Preview (2010), uma versão muito próxima do que seria o Zoe, veículo 100% elétrico, o pioneiro dentro da oferta de mobilidade sustentável da Renault e do ensejo de produzir automóveis amigos do ambiente.

A evolução em 12 anos levou a que, atualmente, o Zoe seja comercializado com bateria de 52 kWh e uma autonomia de 395 km, entre recargas de bateria.

Incentivos fiscais ajudaram o Zoe

Campanhas de marketing eficazes e os incentivos governamentais à compra de automóveis elétricos estiveram na base do sucesso do Zoe, por 12 anos, em vários países da Europa.

Se o pequeno automóvel que democratizou a mobilidade era bem aceite pelo design exterior, o habitáculo constituía outro fator de atração. Desde logo por ter sido concebido para ser funcional e confortável.

Dependendo do nível de acabamento e das opções que a marca francesa coloca à disposição dos clientes, o Zoe recebe competentes sistemas de infoentretenimento com ecrã sensível ao toque, integração com smartphone e sistemas avançados de assistência à condução.

Os materiais utilizados seguiam o tema do ecologicamente correto ao serem sustentáveis ou feitos de materiais reciclados, promovendo, deste modo, a responsabilidade ambiental.

Um dos fatores que sublinha o conforto do pequeno citadino elétrico da Renault é o silêncio que se vive a bordo, criando uma experiência de condução tranquila e agradável.

O carregamento do Zoe é compatível com carregamento rápido, permitindo que a bateria seja carregada em estações de carregamento rápido. Além disso, pode ser carregado em tomadas domésticas (velocidade de carregamento mais lenta).

Renault 5 com custos de produção inferiores

O anúncio do fim de ciclo para o Renault Zoe deixa no ar algumas pistas sobre o que se seguirá, nomeadamente como será o novo Renault 5 100% elétrico.

Este substituirá o Zoe e adotará a plataforma CMF-B EV da marca francesa, que permite maior eficiência e custos de produção mais contidos (cerca de 33% menos), valor que se refletirá no preço final do automóvel. Pelo menos, em 2021 era esse o desejo da marca francesa.

Da pouca informação que se conhece sobre o novo modelo é previsível que a autonomia elétrica seja generosa – cerca de 400 km entre recargas –, o que possibilitará que o Renault 5 elétrico se aventure em percursos muito para além do que está definido para um citadino.

O novo elétrico francês deverá receber versões de motor com potências de 125cv e 150cv, a tração será dianteira e o seu formato definitivo deverá ser conhecido ainda este ano, enquanto a comercialização deverá arrancar em 2024.

Sabe-se ainda que o motor elétrico integrará inversor, carregador e unidade de controlo, num conjunto que poupará 20 kg em relação ao Renault Zoe.

Estão ainda previstas duas capacidades para as baterias: 42kWh e 52 kWh. Para otimizar o conforto o novo automóvel deverá estar equipado na traseira com sistema de suspensão independente multibraços.

Aquando da apresentação da estratégia eWays (plano da marca francesa para a eletrificação do grupo, apresentado em junho de 2021), Luca de Meo, CEO do Grupo Renault, anunciava que: “dez novos modelos elétricos serão concebidos e até um milhão de veículos elétricos serão fabricados até 2030, desde veículos urbanos de baixo custo até carros desportivos de ponta. Além da eficiência, apostamos em designs icónicos como o amado R5 para trazer o toque da Renault à eletrificação: popularizar os carros elétricos”.

O Renault 5 elétrico é um desses modelos e fará, com certeza, as delícias dos fãs, já este ano.

Sobre o novo Renault 5 elétrico pode esperar-se modelo irreverente, à semelhança do primeiro 5 apresentado em 1972, que rapidamente marcou o panorama citadino por essa Europa fora.

Veja também

Artigos Relacionados