ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Catarina Reis
Catarina Reis
08 Jan, 2021 - 10:21

Salários em Portugal: conheça o panorama

Catarina Reis

Conheça a realidade verificada atualmente em relação aos salários em Portugal. Apresentamos os índices de crescimento e alguns exemplos.

pessoa a calcular a evolução dos salários em portugal

Os salários em Portugal têm sido aumentados de uma forma gradual, resultado de termos vivido até 2020 numa fase económica mais desafogada em relação à crise financeira atravessada até 2013.

A tabela salarial foi revista recentemente, devido ao anunciado aumento do salário mínimo, que agora, desde o dia 1 de janeiro de 2021, se fixa nos 665 euros.

O panorama dos salários em Portugal

Como tem evoluído o salário mínimo

Este ano verificou-se um aumento de 30 euros face ao valor do salário mínimo estipulado em 2020. O objetivo do Governo é alcançar, em 2023, os 750 euros. Neste sentido, recordemos a evolução recente deste valor:

  • O salário mínimo mensal foi aumentado em janeiro de 2016, de 505 euros, para 530 euros;
  • Aumentou novamente para 557 euros em janeiro de 2017;
  • Voltou a aumentar para 580 euros em janeiro de 2018;
  • Saltou para os 600 euros em janeiro de 2019;
  • Foi realizado um aumento de 35€ em 2020, perfazendo atualmente 635 euros;
  • O salário mínimo aumenta para os 665 euros em 2021.

Em termos de salário mensal médio, este crescimento do valor do salário mínimo representa um aumento de quase 26% face ao primeiro ano de governação do atual governo, há cinco anos. 

Embora se possa falar de “crescimento” e “retoma económica”, a média dos salários em Portugal apresenta uma evolução lenta.

As razões apontadas para essa evolução ténue baseiam-se no facto de, em termos gerais, a economia portuguesa se continuar a centrar em atividades que revelam pouca produtividade.

O regime de subsídios de desemprego também apresenta culpas no cartório, ao tornar-se mais limitado, o que obriga a que se aceitem frequentemente salários precários.

Rendimento bruto médio mensal em subida

O rendimento bruto médio mensal cresceu 3,6% em 2020, relativamente a 2019. É o que nos diz o estudo recente realizado pelo INE.

O rendimento médio mensal auferido pelos trabalhadores em Portugal aumentou 3,6% no terceiro trimestre de 2020 para 1266 euros, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística

Esta situação explica-se fundamentalmente pelo facto de o impacto do regime simplificado do layoff nas empresas ter dimunuído bastante.

No terceiro trimestre de 2020 apenas 3,2% do total de empresas tinha trabalhadores em regime de “layoff” simplificado, contra 26,7% no segundo trimestre.

calcular salário

Valores salariais em Portugal são metade da média dos salários na União Europeia

O salário médio bruto registado em Portugal em 2017 foi de 1.017 euros, enquanto o valor verificado em média na União Europeia foi de cerca de 2.000 euros.

Isto significa uma subida média do salário médio de 49 euros entre 2016 e 2018. O salário médio em Portugal era 50% da média salarial europeia em 2016, tendo aumentado para 50,85% em 2017.

Em 2019, e mesmo apesar de um novo aumento do salário mínimo, o salário médio auferido em Portugal encontrava-se ainda a meio da tabela, sendo o 11.º salário mínimo mais elevado entre 22 países.

Já em 2020, Portugal continuou a meio da tabela dos salários da UE, mais concretamente na posição 11ª. Apesar da subida de salários, à nossa frente está Malta, com salário mínimo médio de 777,10 euros, atrás está a Grécia, com 758,33 euros.

A boa notícia é que, com a subida o salário de 30 euros em 2021, o número de trabalhadores a auferir abaixo do rendimento médio tornar-se-á o mais baixo da UE.

O contexto europeu

No contexto dos países da UE, a média dos salários em Portugal é uma das mais baixas, juntamente com países como Estónia, Letónia, Lituânia, Polónia, Hungria ou a República Checa. A Lituânia, Roménia e Bulgária são os países da UE que se situam abaixo de Portugal no que diz respeito à média de salários praticada.

Salário em Portugal nos setores público e privado 

O setor institucional das administrações públicas foi um exemplo de crescimento de remuneração, registando uma subida de 2,1%. Isto traduziu-se, na prática, por uma subida de 1635 euros em setembro de 2019 para 1669 euros em setembro de 2020.

Já no setor privado, a remuneração total teve um crescimento superior (3,7%). Objetivamente, saltou dos 1.140 euros em setembro de 2019 para 1.182 euros em setembro de 2020.

Assim, há a registar que em setembro de 2020 a remuneração total não ultrapassou o mínimo de 825 euros. Os setores em causa são os de atividades de agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca.

Por outro lado, os salários não ultrapassaram o máximo de 2714 euros em setores de atividade como atividades da eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio.

Estudos recentes apontam para uma relação direta entre nível de educação e salário

Segundo este estudo do Eurostat, ficamos a saber que quanto mais baixo o nível de educação de um trabalhador, menor é normalmente o seu salário. 

27,1% é a percentagem dos trabalhadores da UE com baixo nível de escolaridade que recebem salários baixos, enquanto que a percentagem total de trabalhadores da UE com salários abaixo da média é de 15%.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].