Catarina Reis
Catarina Reis
06 Nov, 2018 - 12:12
Salários em Portugal

Salários em Portugal: conheça o panorama nacional

Catarina Reis

Conheça a realidade verificada atualmente em relação ao panorama dos salários em Portugal. Apresentamos os índices de crescimento e alguns exemplos.

O artigo continua após o anúncio

Os salários em Portugal têm sido aumentados de uma forma gradual, resultado de vivermos agora numa fase económica mais desafogada em relação à crise financeira atravessada até 2013. A tabela salarial foi revista recentemente, devido ao anunciado aumento do salário mínimo, que agora se situa nos 600 euros.

QUAL O PANORAMA DOS SALÁRIOS EM PORTUGAL?

Como tem evoluído o salário mínimo?

Numa altura em que se fala na possibilidade de voltar a subir o valor do salário mínimo em 2020 de modo a alcançar possivelmente o valor de 750 em 2023, recordemos a sua evolução recente:

  • O salário mínimo mensal foi aumentado em janeiro de 2016, de 505 euros, para 530 euros;
  • Aumentou novamente para 557 euros em janeiro de 2017;
  • Voltou a aumentar para 580 euros em janeiro de 2018;
  • Por fim, saltou para os 600 euros em janeiro de 2019.

Embora se possa falar de “crescimento” e “retoma económica”, a média dos salários em Portugal apresenta um crescimento lento, com apenas 1% de crescimento médio no ano passado.

As razões apontadas para essa evolução ténue baseiam-se no facto de, em termos gerais, a economia portuguesa se continuar a centrar em atividades que revelam pouca produtividade.

O regime de subsídios de desemprego também apresenta culpas no cartório, ao tornar-se mais limitado, o que obriga a que se aceitem frequentemente salários precários.

calcular salário

Rendimento médio líquido em subida

O rendimento médio líquido auferido pelos trabalhadores por conta de outrem em Portugal terá sido de 888 euros no ano passado, um aumento de 3,7%, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. A confirmar a tendência de crescimento, este ano esse valor situa-se nos 943 euros, como refere o site do PORDATA.

Esta situação explica-se fundamentalmente pelos seguintes fatores:

  • A economia está mais fortalecida;
  • Redução da taxa de desemprego;
  • Foram operadas mudanças nos escalões de IRS, devido à adaptação parcial das taxas de retenção;
  • Foram operadas mudanças na função pública, como é o exemplo do início do processo de descongelamento das progressões de carreira.

Valores salariais em Portugal são metade da média dos salários na União Europeia

O salário médio bruto registado em Portugal em 2017 foi de 1.017 euros, enquanto o valor verificado em média na União Europeia foi de cerca de 2.000 euros.

O artigo continua após o anúncio

Isto significa uma subida média do salário médio de 49 euros entre 2016 e 2018. O salário médio em Portugal era 50% da média salarial europeia em 2016, tendo aumentado para 50,85% em 2017.

Em 2019, e mesmo apesar de um novo aumento do salário mínimo, o salário médio auferido em Portugal encontra-se ainda a meio da tabela, sendo o 11.º salário mínimo mais elevado entre 22 países.

Por outras palavras, os portugueses ganham em média metade do que ganham os concidadãos da União Europeia.

O contexto europeu

No contexto dos países da UE, a média dos salários em Portugal é uma das mais baixas, juntamente com países como Estónia, Letónia, Lituânia, Polónia, Hungria ou a República Checa. A Lituânia, Roménia e Bulgária são os países da UE que se situam abaixo de Portugal no que diz respeito à média de salários praticada.

No topo da lista está a Dinamarca, com uma média de salário a situar-se nos 3.800 euros, quase o dobro da média europeia por si só. Apenas o Luxemburgo chega lá perto, com valores de salário médio a registar 2.700 euros.

Setores que mostram crescimento ao nível dos números do emprego

Ainda assim, há que apontar os fatores positivos. O setor da construção é um dos que tem tido mais responsabilidade pela subida do emprego no nosso país, mas não é o único. O turismo ou as Tecnologias de Informação são os outros dois grande catalisadores da economia portuguesa atualmente.

Destaque para as Tecnologias de Informação

Mas prestemos também agora atenção a áreas como as Tecnologias de Informação – com especial incidência nos profissionais da programação – ou da engenharia, onde os salários têm tendência para superar a média nacional. Sendo assim, as profissões mais bem pagas e mais procuradas atualmente situam-se nas áreas de:

  • Tecnologia;
  • Direito;
  • Marketing;
  • Medicina.

Área tecnológica

Como já mencionamos, esta área está neste momento muito forte a nível de empregabilidade e oferta de salários. Um diretor de sistemas de informação com nível vocacional médio poderá auferir até 1.689 euros mensais.

O artigo continua após o anúncio

Área financeira

Funções relacionadas com contabilidade, tesouraria ou direção financeira têm registado um aumento gradual a nível de salários, em Portugal. A título de exemplo, um profissional de contabilidade receberá em média 1.251 euros atualmente, podendo esse valor ascender aos 1.860 euros.

Área jurídica

Atualmente, os advogados recentemente graduados ou com experiência inferior à dos séniores (até cinco/seis anos), têm sido mais requisitados no setor. A título de exemplo, os advogados em Portugal recebem em média 1.845 euros brutos por mês, mas muitos poderão auferir até aos 2.647 euros mensais.

Gestão de Recursos Humanos

Nos últimos 5 anos, em Portugal, esta área tem sido alvo de expansão e profissionalização. Os diretores de recursos humanos auferem em média 1.179 euros por mês, podendo em muitos casos ir até a um tecto de 1.642 euros.

Marketing

Este setor tem sofrido várias mutações ao longo dos últimos anos, com uma evolução das funções inerentes a estas profissões. Um especialista em marketing poderá receber até 1.664 euros mensais líquidos.

Profissões emergentes em Portugal

Atualmente, estas são algumas das profissões que se encontram em expansão no nosso país, e consequentemente, com mais procura e boas perspectivas de crescimento salarial.

  • Comerciais;
  • Engenheiros;
  • Comunicação;
  • Consultores;
  • Administrativos;
  • Financeiros;
  • Logística;
  • Apoio ao cliente;
  • Consultores;
  • Recursos Humanos.
Veja também