Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
26 Set, 2022 - 18:31

O que significa LGBTQIA+: o bê-á-bá da sigla

Catarina Milheiro

Apresentamos um glossário com os principais termos utilizados pela comunidade LGBTQIA+, para que se mantenha bem informado.

A comunidade LGBTQIA+ tem derrubado barreiras, conquistado espaço e assumido, muitas vezes, o papel de ser o centro de conversas e notícias – quer em Portugal, quer no mundo. Parecem-lhe muitas letras? Não sabe muito bem qual o seu significado e gostaria de saber mais sobre o tema?

Temos boas notícias: preparamos um artigo com toda a informação que precisa de saber para se manter devidamente informado. Afinal, e neste caso em especial, o desconhecimento é muitas vezes inimigo da igualdade.

O movimento LGBTQIA+ surgiu nos Estados Unidos da América, em Nova Iorque, no fim da década de 60 com os protestos de Stonewall, que alteraram os direitos de muitas pessoas na América do Norte – e não só.

Desde esse momento, que por todo o mundo se tem vindo a lutar pelos direitos das pessoas que integram a comunidade LGBTQIA+.

Apesar dos muitos passos à frente que demos enquanto sociedade (e outros tantos para trás, por vezes), ainda há um enorme trabalho a fazer na área da educação, para que também a sociedade consiga evoluir de uma forma mais igualitária, com uma base respeitadora relativamente às orientações e/ou características individuais de cada um.

Tudo sobre a sigla LGBTQIA+

Na década de 90, ativistas gay, lésbicas e bissexuais adotaram a sigla LGB para descreverem a sua comunidade. Um termo que se expandiu desde então de forma a ser cada vez mais inclusivo, conhecido agora por LGBTQIA+.

Ora, isto só se tornou possível devido ao trabalho de pessoas como os ativistas que participaram no desfile do Orgulho LGBT em 1975 em Boston. E se se pergunta por que motivo está a sigla a aumentar, nós respondemos.

A verdade é que, à medida que a sociedade aumenta a sua compreensão e se torna mais inclusiva sobre as diversas identidades sexuais e expressões de género, o mesmo acontece com a sigla utilizada para as descrever.

As letras que, por vezes, nos podem confundir representam uma evolução na inclusão. No fundo, são uma expansão da língua utilizada para representar um grupo de pessoas que várias vezes era chamada apenas de comunidade gay – algo bastante redutor, face à multiplicidade de características e perfis que existem.

Os tempos mudaram, assim como as atitudes, e foi exatamente por isso que a sigla mudou. Ou seja, à famosa sigla LGBT foi acrescentada as letras Q, I, A e o símbolo +. Vejamos os seus significados.

Significado da sigla

Para que não restem dúvidas relativamente ao significado da sigla LGBTQIA+, fomos pesquisar e tivemos por base a Associação ILGA Portugal – “a mais antiga associação de promoção e defesa dos Direitos Humanos das pessoas LGBTI+ e das suas famílias em Portugal”.

Confira o glossário.

L

Lésbica – a mulher que se sente atraída, romântica e afetivamente por pessoas do mesmo género.

G

Gay – o homem que se sente atraído, romântica e afetivamente, por pessoas do mesmo género. É sinónimo de homossexual.

B

Bissexual – pessoa que se sente atraída, romântica e afetivamente, por pessoas de dois ou mais géneros.

T

Trans – pessoa cuja identidade e/ou expressão de género não corresponde ao género que lhe foi atribuído à nascença. Antigamente conhecidos pelos termos transexual ou transgénero. Contudo, estes caíram em desuso. Também é frequente usar-se trans para abarcar outras identidades de género diverso.

Identidade de género é a experiência individual e íntima de género, pela qual todas as pessoas passam e que está relacionada com quem somos. A nossa identidade pode ou não corresponder ao género atribuído à nascença, à expressão de género adotada e à forma como sentimos o nosso corpo.

Q

Queer – Um termo identitário que pode ser utilizado como sinónimo da sigla LGBTI+ ou como uma reivindicação de identidade que não tem, ainda, nomenclatura específica. Em muitos contextos, tem como base algum ativismo político, inspirado na Teoria Queer e no pensamento de Judith Butler*.

Queer, que já foi um termo pejorativo para toda a comunidade ao longo de anos (significa algo como estranho, esquisito), hoje identifica pessoas de género fluido, terceiro género, que podem ser cis* ou transgénero. Pessoas que não seguem um padrão de género normativo ou convencional e que podem transitar entre as diversas possibilidades.

*Judith Butler é uma filósofa pós-estruturalista norte-americana, ativista política americana e uma das mais reconhecidas e destacadas feministas da atualidade.

*Cis ou cisgénero é a pessoa que tem a sua identidade de género compatível com o sexo que lhe foi atribuído à nascença.

I

Intersexo – as pessoas intersexo apresentam variações das características sexuais (como por exemplo órgãos genitais ou padrões hormonais) que são clinicamente referidas como masculinas e femininas ao mesmo tempo. Essas variações podem ser observáveis à nascença ou conhecidas ao longo da vida.

A

Assexual – a pessoa que não sente atração sexual por outras pessoas. Não obstante, as pessoas assexuais podem ter relações de intimidade com outras pessoas.

+

O símbolo + abriga todas as diversas possibilidades de orientação sexual e/ou de identidade de género que existam.

Outros termos com significados importantes para conhecer

Agora que já conhece o significado da sigla LGBTQIA+, existem ainda outros termos igualmente importantes – que estão abrangidos pelo símbolo +.

  • Pansexual: pessoa que se sente atraída, romântica e afetivamente, por outras pessoas independentemente da orientação sexual, identidade ou expressão de género.
  • Pessoa Não-binária: pessoa cuja identidade e/ou expressão de género vai para além do binómio masculino/feminino, podendo inclusivamente identificar-se com ambos ou com nenhum.

Existe uma diversidade de termos de igual importância. Para ter acesso ao dicionário completo consulte o site criado pela ILGA com toda a informação necessária.

Dois grupos de apoio à comunidade LGBTQIA+ em Portugal

1.

Associação ILGA Portugal

Conforme descrito no website, a Associação ILGA Portugal “tem por principal objetivo a integração social da população lésbica, gay, bissexual, trans e intersexo e das suas famílias em Portugal através:

  • De um programa alargado de apoio no âmbito social que garanta a melhoria da sua qualidade de vida;
  • Da luta contra a discriminação em função da orientação sexual, da expressão e identidade de género e das características sexuais;
  • Da promoção da cidadania, dos Direitos Humanos e da igualdade de género”.

Aqui encontrará diversos serviços disponíveis, respostas comunitárias, grupos de apoio e partilha e ainda grupos comunitários.

2.

Rede ex aequo

Trata-se de uma associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, trans, intersexo e apoiantes com idades entre os 16 e os 30 anos no nosso país.

Tem como principal objetivo trabalhar no apoio à juventude LGBTI e na informação social relativamente às questões da orientação sexual, identidade e expressão de género e características sexuais.

Através do site terá acessos a diversos recursos de apoio: desde contactos, glossário, núcleos locais LGBTI+, e muito mais.

Veja também