Teresa Campos
Teresa Campos
23 Nov, 2021 - 00:27

Televisão no quarto das crianças? Saiba a opinião dos especialistas

Teresa Campos

A maior parte dos especialistas não aconselha a colocação de televisão no quarto das crianças. Saiba porquê.

menina com comando da TV na mão

Longe vão os tempos em que não havia televisões em casa ou havia apenas uma ou duas. Hoje em dia, é corrente e comum todas as divisões da casa terem televisão, com exceção do WC (salvo raras exceções, é claro!). Porém, será que ter televisão no quarto das crianças é algo benéfico para elas?

Esta não é uma questão nova e são muitos os especialistas que já veicularam a sua opinião em relação a este assunto, nomeadamente médicos, pediatras, psicólogos, pedo-psiquiatras, entre outros.

Apesar de poder não haver uma total unanimidade, a generalidade dos profissionais é desfavorável à colocação de uma televisão no quarto das crianças, independentemente da sua idade, e explica porquê. Fique a perceber.

Por que não deve colocar televisão no quarto das crianças

crianças a verem televisão

Há duas razões essenciais que os especialistas costumam invocar para os pais não colocarem televisão no quarto das crianças.

A primeira prende-se com o facto da televisão (ou outros aparelhos eletrónicos) terem um efeito prejudicial na qualidade do sono das pessoas (quer se tratem de crianças, quer se tratem de adultos).

A segunda tem a ver com o isolamento e com o individualismo que ter televisão no quarto das crianças promove, contribuindo para que elas passem mais tempo sozinhas e menos tempo em família. Perceba um pouco melhor estes argumentos.

Os aparelhos eletrónicos e o sono

Em muitos casos, aparelhos eletrónicos como a televisão, o computador ou o tablet podem ajudar a adormecer. O problema é que isso não significa que contribuam para uma boa qualidade de sono, que é o que se pretende, em qualquer idade. Assim, adormecer com um aparelho eletrónico não é uma boa rotina de sono, embora possa ser muito eficaz e prática para os pais.

É que os ecrãs dos aparelhos eletrónicos contribuem para a ocorrência de perturbações do sono e para a menor duração do mesmo, devido à menor secreção de melatonina, hormona que induz o sono.

A luz azul, emitida por estes ecrãs, é capaz de praticamente suprir a produção da melatonina, principalmente nas crianças. Quanto menor for a luminosidade presente no quarto, maior a produção da melatonina e melhor é a qualidade do sono.

Este é um aspeto a valorizar, uma vez que uma boa higiene de sono na infância diminui o risco de obesidade e melhora o bem-estar psicológico e o funcionamento cognitivo dos miúdos. Isto, porque ter televisão no quarto das crianças pode contribuir para que elas comecem a fazer as refeições na cama, além de poder favorecer o surgimento de outros problemas, nomeadamente de aprendizagem, concentração e agressividade.

Neste sentido, a Academia Americana de Pediatria (AAP) já aconselhou a ausência de aparelhos eletrónicos no quarto das crianças, como é o caso de televisões, tablets, consolas de jogos, telemóveis, computadores e afins.

Como praticar a parentalidade consciente?
Veja também Como praticar a parentalidade consciente?
jovem com televisão no quarto

Os aparelhos eletrónicos e o isolamento

É também sabido que os aparelhos eletrónicos tendem a contribuir para o isolamento das pessoas, reduzindo o diálogo frente a frente, entre os indivíduos. Consequentemente, colocar televisão no quarto das crianças serve ainda mais essa circunstância, pois a criança tenderá a estar mais no seu quarto, de modo a poder ver os seus programas favoritos.

Assim, deixa de existir um controlo parental tão grande sobre aquilo que a criança vê, assim como a criança não aprende o conceito de partilha, de tolerância e de cedência, ou seja, não passará pela experiência de estar a ver não exatamente aquilo que lhe interessa, mas antes aquilo que os pais ou a demais família deseja.

Coabitar na mesma divisão pode ser desafiante, mas um exercício essencial para o crescimento salutar da criança. Além disso, desta maneira, os pais também terão mais oportunidade de conviver com os filhos e até dar-lhes a conhecer outros conteúdos de interesse, além dos desenhos animados, e explicar-lhes por que é importante ver certos programas, por exemplo.

Veja também