Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Pereira
Inês Pereira
10 Mai, 2018 - 11:00

Unha encravada: causas e tratamento

Inês Pereira

A unha encravada, conhecida como onicocriptose, caracteriza-se por dores bastantes incomodativas. Porém, existem formas de tratar este problema. Conheça-as.

Unha encravada: causas e tratamento

Um incómodo no dedo grande do pé que rapidamente se torna uma dor insuportável que parece não dar descanso. A onicocriptose, comumente conhecida como unha encravada, é uma inflamação causada pelo crescimento incorreto da extremidade lateral da unha em direção à pele, provocando uma lesão.

Apesar do cenário doloroso, temos boas notícias: a unha encravada pode ser tratada e pode ver-se livre do sofrimento. Conheça as causas e os possíveis tratamentos para ter pés sempre saudáveis e bonitos.

5 causas da unha encravada

unha-encravada

Este fenómeno ocorre porque a pele forma uma espécie de barreira contra o crescimento da unha, que, por sua vez, não cessa de crescer e acaba por perfurar e lesionar aquela camada da epiderme e derme. O surgimento de unhas encravadas é muito raro nas mãos e, pelo contrário, bastante comum no dedo grande do pé.

Posto isto, importa distinguir os dois tipos de onicocriptose: unilateral e bilateral. No caso da primeira, apenas um dos cantos da unha perfura a pele e cria a inflamação. Já na segunda situação, verifica-se o problema em ambos os lados da unha. Existem, porém, diversas razões para o aparecimento deste incómodo.

1. Calçado inadequado

A escolha de calçado é fundamental no que se refere à unha encravada. A utilização de sapatos apertados e inadequados (no caso de certas atividades) podem fazer com que os dedos dos pés fiquem “espremidos”, o que, consequentemente, poderá alterar a direção do crescimento da unha.

2. Higiene

O excesso de transpiração e a má higiene dos pés deixam a pele mais húmida e mais quente do que o normal, o que pode originar onicocriptose ou, até mesmo, algumas doenças dos pés. Por isso mesmo, a higienização dos pés é muito importante.

3. Corte errado das unhas

Contrariamente ao que poderá pensar, não deve evitar os cantos afiados das unhas. A verdade é que o corte arredondado facilita o incorreto crescimento da unha, fazendo com que as laterais se direcionem para a pele.

Deve também evitar retirar as cutículas, já que estas atuam como uma camada protetora que impede que a unha cresça com um formato errado e maléfico para a pele.

4. Genética

Algumas pessoas têm unhas naturalmente arredondadas ou curvadas, por motivos genéticos. Nestes casos, é normal que as suas unhas sejam mais propícias a encravar, mesmo que siga à risca todos os conselhos anteriores.

5. Lesões

Como seria de esperar, a unha encravada também pode ser causada por lesões prévias, como batidas, tropeções ou a queda de objetos pesados em cima do dedo. Por isso mesmo, é necessário algum cuidado redobrado no que se refere a atividades que possam provocar lesões repetitivas.

Como tratar uma unha encravada

unha-encravada

Em primeiro lugar, é muito importante que consulte um podologista para receber o aconselhamento mais adequado ao seu problema. De facto, em algumas situações pode ser necessário corrigir a unha de forma cirúrgica, pelo que a observação por parte de um especialista é fundamental.

Em casos menos graves, pode desencravar a unha de forma bastante simples e acessível. Basta colocar o pé de molho em água morna durante cerca de 20 minutos para, depois, levantar o canto da unha que está encravado e colocar um pedaço de gaze ou algodão para que fique elevado.

Este processo deve ser repetido todos os dias, até que esteja totalmente curado e pode ser acompanhado por um produto cicatrizante.

No caso da dor ser demasiado forte e a lesão estar inflamada, pode ser necessário recorrer a um anti-inflamatório ou um analgésico para concluir o tratamento.

Veja também: