Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
30 Out, 2020 - 16:59

Volvo criou volantes que deslizam

Afonso Aguiar

A marca sueca registou uma patente nos EUA, onde propõe um volante deslizante que permita conduzir tanto do lado esquerdo, como do lado direito.

Volvo XC40

Conhecida como uma das principais marcas a nível de segurança automóvel, a Volvo parece querer sobressair-se não só no conforto e proteção do condutor, mas também no âmbito da inovação automóvel.

A marca sueca registou no Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos da América os planos de conceção de volante deslizante.

Numa altura em que cada vez mais a temática da atualidade no mundo automóvel é a eletrificação e a condução autónoma dos carros, a Volvo decidiu, então, dar um passo em frente e pensar como se posicionará o volante nestas circunstâncias. Um inovação que começa a “dar que falar”, principalmente entre os “petrolheads”.

Volvo XC40
Veja também Ensaio Volvo XC40: o SUV premium de 2ª fila, com conforto de 1ª classe.

Novos volantes da Volvo: como funcionam?

Volvo XC40

A ligação do volante deslizante às rodas não é feita manualmente, mas antes por um sistema by-wire. Ou seja, sem coluna de direção física, mas sim um sistema comandado eletronicamente.

As grandes vantagens dos novos volantes da Volvo prendem-se em dois principais pontos. Primeiro, futuramente, a partir do momento que as ideias passem para a prática, o condutor de um automóvel autónomo, poderá desfrutar tranquilamente da viagem, sem ter que se sentir “estorvado” pelo volante à sua frente.

Ainda assim, poderá ser contra-argumentado que deixando de ser um estorvo para quem conduz, será para quem vai no lugar do passageiro. Já a pensar nessa eventualidade, a Volvo também incluiu no seu plano de projeto, a possibilidade de colocar o volante precisamente no meio, como se um carro de Fórmula 1 da McLaren se tratasse.

Além disso, esta técnica permite conduzir não só do lado esquerdo, como também do lado direito. Essa opção é extremamente interessante, principalmente para os condutores que, com alguma regularidade ou frequência, conduzem não só nos países em que o volante costuma estar situado do lado esquerdo, como Portugal, mas também nos países em que o mesmo como estar colocado do lado direito, como no Reino Unido.

Finalmente, apesar de não ser necessariamente uma vantagem, o facto de poder mudar o volante de um lado para o outro não deixa de ter uma vertente recreativa, desde que seja feito em segurança.

Painel de insrumentos e pedais

O grande entrave a um volante deslizante será, por ventura, a interligação com o painel de instrumentos e também como adaptar esta inovação à inserção dos pedais.

No primeiro caso, a Volvo propões duas inovações: um display, também ele, deslizante colocado por cima do volante mas sem prejudicar a visão do mesmo, assim como um ecrã digital ao longo do tabliê que transmite os dados de condução.

Quantos aos pedais, a marca sueca optou por projetar almofadas sensoriais no lugar dos mesmos. Estas só se ativam quando o volante estiver colocado nesse preciso lado.

Não é, no entanto, a primeira vez que uma marca tenta do género Em 2014, a Infiniti tentou incorporar no seu modelo Q50 algo idêntico. Ou seja, um sistema de controlo sem coluna de direção física.

Porém, na altura, por questões legais e de segurança, foram obrigados a colocar uma. Além disso, em 2016, houve a necessidade de um recall de todos os modelos vendidos, porque o sistema by-wire apresentava problemas após o arranque.

Falta saber se a Volvo conseguirá, efetivamente, colocar o seu projeto em prática e, se sim, se será antes ou depois da introdução/ aceitação da condução autónoma a nível comercial.

Veja também