Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
29 Ago, 2022 - 12:03

Yamaha RZ 50: a motorizada clássica que marcou uma era

Valdemar Jorge

A Yamaha faz desde instrumentos a motos de alta performance e tem um know-how fora de série. Visitamos a clássica Yamaha RZ 50.

Yamaha RZ 50

A Yamaha é uma marca eclética. Ao contrário do que se poderá pensar, a linha de motos da marca japonesa não foi o seu primeiro negócio, nem a RZ 50 o seu primeiro sucesso. Tudo começou na música (1887) e só após a Segunda Guerra Mundial a mecânica e as motos começaram a ter lugar no negócio da empresa.

A Yamaha Motor Co. Ltd foi fundada em 1955, no Japão, e a estrear a produção esteve o motorizada YA1 de 125 cc. Uma monocilíndrica a dois tempos, fabricada com peças de aviões utilizados durante a guerra.

Daí aos dias de hoje a marca criou, e lançou, uma panóplia de motos. Nesse universo destacam-se modelos como a DT e XT, dos mais conhecidos a par da RZ 50. Uma motorizada enquadrada na pequena cilindrada – 50 cc – que atualmente é uma clássica e que conquistou muitos fãs.

Yamaha RZ 50: Um estilo diferente

Numa época em que as pequenas motorizadas tiveram um boom de vendas – anos 80 e 90 do século XX – e numa altura em que qualquer adolescente se sentia emancipado por receber de prenda dos pais uma 50 cc – as cinquentinhas – à época, chegou à Europa a Yamaha RZ 50.

Atualmente, e numa busca em qualquer browser na Internet, podemos encontrar dezenas de Yamaha RZ 50 à venda ou, como em muitos outros casos, proprietários que estão a proceder ao restauro de modelos e procuram por peças e conselhos, no que toca à recuperação das mecânicas. Sublinhe-se que os preços variam muito, principalmente devido ao estado de conservação dos modelos.

Mesmo a página oficial da Yamaha dedica um espaço a colecionistas e pormenoriza um modelo RZ 50 de 1998 como uma moto desportiva de 50cc com design retro, “muito popular no mercado japonês na época”. Esta Yamaha estava equipada com motor “mono cilindro equipado com um radiador fino e leve e partida elétrica montado em um recém-desenvolvido quadro de berço semi-duplo”, explica a marca nipónica.

O modelo estava ainda equipado com garfo dianteiro com tubos internos de 27 mm de diâmetro; amortecedor traseiro Bilstein e travão de disco dianteiro. O conjunto tem um peso de 80 kg e potência de 7.2 cv.

Motorizada Yamaha RZ 50
A mítica RZ 50, que fez grande sucesso entre a geração dos anos 1980 e 1990

Modelo japonês terá inspirado Casal RZ 50

Com as marcas a diversificarem o mercado das 50cc e, com a chegada da Yamaha RZ 50 ao mercado nacional e, ao mais abrangente europeu, não raras vezes notavam-se evidentes traços similares entre modelos.

Cada caso é um caso. Mas, para a história dos modelos de duas rodas ficou patente as semelhanças da Casal RZ 50 com a Yamaha RZ 50. Ainda que tenham origens bem distintas a apetência do mercado pelas motos de pequena cilindrada estava naqueles anos ao rubro e as semelhanças em termos de design são muitas. No entanto, uma e outra fizeram o seu percurso comercial e conquistaram o seu público – ou fãs, como queiram.

Com a Yamaha RZ 50 a entrar comercialmente pelos anos 2000, a evolução de que foi alvo levou a atualização mecânica que passou a debitar 7.10 cv às 10.000 rpm, mantendo a estrutura da mota um peso total de 80 kg. Mantendo motor de um cilindro, a dois tempos desenvolvia binário máximo de 5.90 Nm às 8.000 rpm. O motor recebia caixa de 6 velocidades.

O modelo de 2006 da Yamaha RZ 50 tinha como principais caraterísticas de chassis a agradabilidade de condução pela agilidade e conforto que transmitia ao condutor.

A suspensão frontal era de garfo telescópico hidráulico e na traseira, estava equipada com Swingarm com batente duplo. Quanto a travões a Yamaha RZ 50 recebia disco único tanto na roda da frente como, na traseira.

Yamaha: tudo começou na música

Torakusu Yamaha fundou a Nippon Gakki Co., Ltd. em Hamamatsu, Shizuoka no Japão, em 1887. Da unidade fabril saíam pianos e órgãos. A origem da empresa, como fabricante de instrumentos musicais reflete-se até hoje no logótipo do grupo empresarial: um trio de diapasões entrecruzados.

Após a Segunda Guerra Mundial, o então presidente da empresa Genichi Kawakami reutilizou as máquinas produzidas durante a guerra e o conhecimento adquirido em tecnologias metalúrgicas para com vista à construção de motocicletas.

A YA-1 foi o primeiro modelo que saiu da fábrica. Ao todo foram construídas 125 unidades (1954). Era uma 125 cc, de cilindro único. Em 1955, o sucesso da YA-1 resultou na fundação da Yamaha Motor Co., Ltd.

Por outro lado a Yamaha cresceu e tornou-se no maior fabricante do mundo de instrumentos musicais – pianos, percussão, guitarras, flautas, violinos, violas, violoncelos, e vibrafones.

Também é líder de mercado no que respeita à produção de semicondutores, audiovisual, produtos informáticos, desportivos, eletrodomésticos, máquinas de ferramentas e robot para o sector da indústria.

Em outubro de 1987, aquando da celebração do 90.° aniversário, o nome da empresa foi alterado para Yamaha Corporation.

Nos anos 70 deu início à produção de semicondutores e nos anos 80 começou a fabricar sintetizadores musicais. Em 1989, apresentou ao Mundo o primeiro gravador de CD.

Atualmente a Yamaha está igualmente presente no segmento automóvel e náutico.

Veja também