André Brito
André Brito
15 Nov, 2019 - 15:01
Vista de Figueira de Castelo Rodrigo

12 aldeias históricas de Portugal que tem de conhecer

André Brito

Testemunhas impressionantes das nossas raízes e emancipação cultural, estas aldeias históricas de Portugal levam-no a descobrir as origens do nosso país.

O artigo continua após o anúncio

Estas 12 aldeias históricas de Portugal, fundadas antes da própria nação, encontram-se na Beira Alta, ao largo da fronteira leste do centro do nosso país. São consideradas por muitos como a última fuga ao barulho e agitação da exasperante vida nas grandes cidades.

Cada uma delas goza de uma personalidade própria e de uma riqueza única, capaz de lhe garantir umas férias ou um fim-de-semana prolongado para mais tarde recordar. Faça-se à estrada e parta à descoberta de mais este pedaço esquecido de Portugal.

Roteiro das 12 aldeias históricas de Portugal

vista da aldeia histórica de castelo mendo

1. Almeida

Almeida é uma das primeiras 12 aldeias históricas de Portugal e o seu ano de fundação remonta ao período paleolítico, época de domínio dos povos Lusitanos que ocuparam uma parcela significativa da região oeste da Península Ibérica, muitos séculos antes da edificação da nação.

Situada no distrito da Guarda, junto à fronteira com a vizinha Espanha, esta vila medieval continua vedada por uma muralha hexagonal erguida no século XVII que preserva algumas das maiores peças da arquitectura militar do nosso país.

2. Belmonte

Terra natal do navegador Pedro Álvares Cabral, a aldeia de Belmonte está situada em pleno centro da Cova da Beira e, para além do seu espantoso espólio medieval, possibilita-lhe uma vista privilegiada sobre a Serra da Estrela.

Reza a lenda que o nome Belmonte provém da sua fundação estratégica sobre uma bela colina soalheira.

Uma vez aqui, não poderá deixar de visitar o castelo, a Torre de Centum Cellas, as Igrejas de São Tiago e de Santa Maria, bem como a herança cultural deixada pelos judeus expulsos de Espanha no século XV.

3. Castelo Mendo

Castelo Mendo, a mais pequena das 12 aldeias históricas de Portugal, conta actualmente com menos de 90 habitantes, conferindo uma maior autenticidade a este museu a céu aberto.

O artigo continua após o anúncio

Uma aldeia medieval, dividida pelas muralhas da Cidadela e da Barbacã. A Cidadela oval representa a cidade velha erguida depois de uma carta do Rei D. Sancho II, enquanto que a cidade nova, ou o Arrabalde de S. Pedro, é protegida por uma muralha dionisíaca que outrora ostentava oito torres parcialmente destruídas no terramoto de 1755.

Não deixe de visitar as ruínas da Igreja de Santa Maria do Castelo, a Igreja de São Vicente nem de contemplar toda a arquitectura ancestral desta aldeia.

4. Castelo Novo

Construída no topo de uma colina exposta às rochas da Serra da Gardunha, a aldeia de Castelo Novo está directamente ligada aos primeiros anos da independência portuguesa.

Em 1208, durante o reinado do Rei D. Sancho I, Pedro Guterres entregou esta terra, que lhe pertencia, em sua vontade aos Cavaleiros Templários, altura em que o castelo já estava a ser construído.

Poucas décadas depois, D. Dinis ordenou a renovação da sua estrutura e foi por isso que a fortaleza de Castelo Novo ganhou o seu estilo gótico que ainda hoje pode ser observado.

Ao caminhar ao longo das ruas sinuosas desta aldeia, vai encontrar pedaços arquitectónicos e pequenas marcas que contam a história das suas origens.

aldeia histórica de figueira de castelo rodrigo

5. Castelo Rodrigo

Reza a lenda que São Francisco de Assis pernoitou na pitoresca aldeia de Castelo Rodrigo para recarregar energias para regressar à estrada e completar a peregrinação até ao santuário de Santiago de Compostela.

E nós não duvidamos nem um bocadinho desta história, pois, como em todas as restantes aldeias históricas de Portugal, esta espantosa colecção de casas, cafés, hotéis e bares, para além dos restos do seu castelo, continua a ser um exemplo perfeito de encanto, paz e tranquilidade para quem a visita e procura desligar-se do barulho do quotidiano.

O artigo continua após o anúncio

6. Idanha-a-Velha

Graças ao seu notável conjunto de ruínas, esta aldeia ocupa um lugar de destaque no top dos locais arqueológicos do nosso país. Considerada uma das aldeias mais antigas de Portugal, Idanha-a-Velha foi construída sobre um antigo assentamento conhecido como Egitânia.

O seu maravilhoso património arquitectónico guarda e reflecte influências celtas, romanas, visigóticas, árabes e manuelinas.

A Capela de Nossa Senhora de Fátima, inaugurada no Verão de 2017, foi recentemente distinguida com os prémios do júri e do público na categoria “Cultura – Edifícios Religiosos e Memoriais” e na categoria “Arquitetura em Madeira” pela prestigiada Architizer A+ Awards.

Couto Misto: o país independente entre Portugal e Espanha
Não perca Couto Misto: o país independente entre Portugal e Espanha

7. Linhares da Beira

A aldeia histórica de Linhares da Beira, uma aldeia medieval fundada no século XII, conserva uma arquitectura com uma riqueza única, envolta por paisagens deslumbrantes.

A sua principal atracção é o Castelo, estrategicamente erguido ao longo da fronteira com vista para o rio Mondego. Na praça principal, os poucos estabelecimentos comerciais continuam a ser geridos pela linhagem dos primeiros proprietários e a roupa suja levada nos certos das senhoras até às margens do rio.

À semelhança do Portugal rural, esta aldeia ancestral parece perpetuar algumas das mais antigas tradições e costumes das suas gentes. Visitar Linhares da Beira também é reviver a infância dos nossos avós.

aldeia histórica de marialva

8. Marialva

Esta encantadora aldeia histórica de Portugal conserva a sua herança e atmosfera medieval. Uma aldeia e um castelo da Idade Média justamente restaurados preservam a história do seu passado invicto como a maior fortaleza defensiva da região.

Pequenas casas antigas e lojinhas com fachadas góticas alinham-se ao longo de ruas planadas por paralelepípedo. Uma praça igualmente pequena presenteia quem por lá passa com um pelourinho do século XV, uma antiga prisão e um tribunal.

O artigo continua após o anúncio

9. Monsanto

Esta pequena aldeia fortificada é, desde em 1938, mais conhecida como a “aldeia mais portuguesa de Portugal”.

As casas e as ruas de Monsanto foram esculpidas a partir das falésias rochosas e das pedras de granito que rodeiam a civilização. No século II a.C., a aldeia resistiu a um cerco pelos romanos e essa vitória é ainda hoje relembrada e celebrada pelos locais no Festival das Cruzes, realizado a cada 3 de Maio.

Visite o castelo e deixe-se contagiar pela soberba vista panorâmica para as planícies e montanhas próximas da Serra da Estrela.

10. Piódão

Piódão, uma aldeia construída nas encostas íngremes da Serra do Açor, tem como principal elemento atractivo um dos mais vastos conjuntos de habitações em xisto do nosso país.

As pequenas casas categoricamente distribuídas ao longo da montanha a lembrar o presépio dos nossos avós, fazem desta aldeia um lugar único para os amantes da fotografia.

Uma óptima forma para actualizar a sua conta do instagram e fazer alguma inveja aos seus seguidores.

aldeia histórica do piódão

11. Sortelha

Para além de uma das mais antigas, Sortelha é uma das mais altas aldeias históricas de Portugal, erguida a mais de 760 metros acima do nível do mar. Esta aldeia tem mantido a sua fisionomia ao longo dos séculos e é considerada uma das mais bem preservadas do nosso país.

Uma visita às ruas e vielas, cercada por um círculo defensivo e vigiada pelas muralhas de um grandioso castelo do século XIII, convida-o a entrar numa espécie de máquina do tempo e a recuar a séculos passados para recordar alguns dos maiores túmulos medievais de toda a Península Ibérica.

12. Trancoso

Trancoso, a última das aldeias históricas de Portugal pela lógica alfabética, foi em tempos outra importante fortaleza na linha defensiva contra Espanha.

Uma aldeia idílica de ruas estreitas e pedras que contam outras tantas histórias milenares da região.

Situada em pleno coração da Beira Alta, Trancoso tem como principais atractivos da cidade o Castelo Medieval e as suas Muralhas, a Igreja da Misericórdia, projectada durante o reinado de D. Manuel I, o Palácio Ducal e a Fonte Nova, o maior vestígio da ocupação Filipina.

Veja também