ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
David Afonso
David Afonso
12 Abr, 2022 - 03:16

Chip de potência: o que é e como funciona

David Afonso

O chip de potência pode ser a resposta para aumentar a performance da sua viatura. Mas há regras a cumprir.

chip de potência

Os automóveis têm uma certa potência determinada pelo fabricante, mas muitos utilizadores querem tirar o máximo partido dela e aumentá-la através de sistemas eletrónicos. Um dos exemplos é o chamado chip de potência e a sua instalação permitir-lhe-á reprogramar o seu carro para tirar o melhor partido do seu motor.

Neste artigo abordamos tudo o que precisa saber sobre este componente “mágico”.

O que é um chip de potência?

Sumariamente, com características determinadamente técnicas, um chip de potência é basicamente uma solução para melhorar ou aumentar a capacidade de resposta do motor. Como o próprio nome indica, melhora a potência de determinado automóvel.

Na prática, é um sistema eletrónico que permite reprogramar o motor de um veículo automóvel para atingir a potência máxima. As possibilidades são muitas e pode obter resultados diferentes ao programar a unidade de controlo, conhecida como centralina, do seu veículo, instalando um destes dispositivos.

Antes de o instalar, confirme se é homologado. Isto porque a maioria dos automóveis tem um sistema de segurança concebido para assegurar que os automóveis respeitam os parâmetros estabelecidos em termos de velocidade, consumo e emissões poluentes.

Por esta razão, os dispositivos atualmente no mercado permitir-lhe-ão obter um aumento de potência entre 5 e 20%, dependendo do tipo de motor do seu carro.

Como funciona?

Um chip de potência instala-se na unidade de controlo (centralina) e permite modificar a sua programação.

Hoje em dia, são pouco utilizados, visto que, as centralinas modernas permitem a reprogramação. Se tiver um carro mais antigo e quiser aumentar a sua potência, pode instalar um destes chips. Dependendo do automóvel, um chip de potência pode custar entre 50 a 80 euros. É também um processo rápido – demora normalmente entre 10 a 15 minutos a instalar.

Chip de potência e potência do motor

O método utilizado é um aumento no consumo de ar e combustível pelo motor. Para obter mais ar, o turboalimentador do carro terá de aumentar a pressão, e para o conseguir, as rotações do motor aumentarão. Isto pode causar a avaria do carro porque o motor pode não conseguir lidar com esta pressão durante muito tempo.

Por outro lado, maior consumo de ar significa também maior consumo de combustível, valendo a pena ter sempre em mente, visto que afetará a sua carteira. No caso do gasóleo, o aumento do consumo de combustível significa que o tempo de injeção dos injetores instalados no veículo aumenta e com ele a temperatura do motor aumenta, o que pode levar ao sobreaquecimento.

Deve também ter em conta que o combustível que não é queimado entra no filtro de partículas. Se acontecer, a temperatura do filtro pode subir, provocando a sua queima.

No caso de carros a gasolina, o aumento do combustível e do ar irá aumentar a temperatura do conversor catalítico, fazendo com que se parta facilmente e deixe de funcionar.

Métodos para aumentar a potência do motor

Considerando como funcionam os chips de potência e como podem “modificar” motores, existem outros sistemas que podem ajudar. Estes não impedem danos na mecânica do seu carro e são caros, por isso, antes de instalar qualquer um deles, esteja ciente das consequências.

Centralina reprogramada

Consiste na instalação de uma nova unidade de controlo no seu veículo, com ela poderá introduzir uma nova programação no seu carro que lhe permitirá aumentar a potência com uma nova configuração. Embora sejam mais fiáveis, não pouparão o seu motor a danos, e são muito caros, custando entre 400 e 1.000 euros.

Centralina intercalada

A unidade de controlo interligada permite aumentar a potência do motor e é o método mais fácil e simples de instalar. É um sistema constituído por uma caixa, a partir da qual é montada uma série de conectores. De um lado à unidade de controlo e do outro ao sensor de temperatura do líquido de arrefecimento do seu carro.

Este dispositivo permite que os dados recebidos pela unidade de controlo sejam alterados, indicando que a temperatura do propulsor é inferior à temperatura real. Isto faz com que a centralina aumente os tempos de injeção do motor e o consumo de combustível.

Reprogramar a centralina
Veja também Reprogramar a centralina: sim ou não?

Problemas com a instalação de um chip de potência

Como a potência do motor é modificada por um dispositivo eletrónico, é possível que o desempenho do seu motor possa sofrer. Já mencionámos alguns dos danos que pode causar um chip de potência, mas para além do aumento do consumo de combustível e dos problemas de filtro de partículas, a utilização de chips de potência também pode afetar o volante do carro.

À medida que a potência é aumentada, as molas deste dispositivo podem partir-se, causando uma falha dispendiosa se o volante for completamente danificado.

Por outro lado, como a potência do motor é superior à normal, a transmissão e a embraiagem podem ser danificadas porque a potência que têm de suportar foi excedida.

No entanto, os chips de potência nem sempre causam danos nos veículos automóveis. Mas é necessário estar consciente dos riscos envolvidos antes de se aventurar em tal instalação no seu carro.

Veja também