Helena Peixoto
Helena Peixoto
01 Jul, 2019 - 09:29
Saiba como avaliar um imóvel de forma precisa

Saiba como avaliar um imóvel de forma precisa

Helena Peixoto

Saber como avaliar um imóvel de forma eficaz é algo que depende de vários fatores fundamentais: contamos-lhe o que deve ter sempre em conta.

O artigo continua após o anúncio

A localização e o estado de conservação do imóvel, por exemplo, são questões fundamentais a considerar na altura da compra e que podem alterar (e muito) o seu valor final. Saber como avaliar um imóvel, ainda que não seja profissional da área, pode ser motivo de vantagem para conseguir um negócio mais vantajoso para o seu lado!

O mercado imobiliário tem vindo a sofrer fortes alterações nos últimos anos. Hoje, avaliar um imóvel é um pouco diferente do que era há uma década. Mas, ainda assim, na altura de saber como avaliar uma casa, existem fatores fundamentais que são transversais a qualquer imóvel, seja de que segmento for. Saiba o que considerar.

Como avaliar um imóvel: 10 elementos fundamentais

Quero arrendar o meu apartamento, e agora?

1. Tipologia da casa

A tipologia é um dos elementos base na avaliação de uma casa. E, claro que, quanto mais assoalhadas tiver o imóvel, maior será o seu valor de compra/venda.

Este costuma ser, desde logo, um ponto de partida para determinar o valor mínimo, e, em termos de assoalhadas, falamos desde o T0 a T5 ou mais.

2. Área total

Além da tipologia, é preciso avaliar a área da casa. Até porque podemos estar a falar de um T2 com uma área por vezes inferior a um bom T1! A área de uma casa é muito importante para saber como avaliar um imóvel com precisão.

Se a casa tiver boas áreas, ainda que com poucas divisões, haverá de imediato uma valorização do preço final no mercado.

3. Localização

A localização é, sem dúvida, um dos fatores mais importantes na altura de avaliar uma casa e aquele que ainda tem um peso substancial no preço da mesma. O tipo de quarteirão onde se insere, a proximidade ou não de transportes públicos, de serviços, de escolas, entre outros, são fatores que em muito influenciam o preço por metro quadrado. A localização também terá que ver com o tipo de vizinhança, os barulhos inerentes, entre outras questões relacionadas.

4. Idade do imóvel

O tempo que tem o edifício também entra nas contas da avaliação da casa. O ano de construção pode ditar muita coisa, como o tipo de materiais utilizados na época, o tipo de construção, estado das canalizações, sistema elétrico, entre outros.

O artigo continua após o anúncio

Mas o facto de ser um imóvel mais antigo não significa que valha menos, até porque podemos estar a falar de uma casa feita com materiais super resistentes e já remodelado por dentro, o que a vai transformar numa casa muito bem cotada.

5. Estado de conservação

Em que estado se encontra o imóvel? Muita vezes, o ano de construção pode ser antigo, mas já terem sido feitas obras de requalificação e muitas das coisas já estarem recuperadas. Se for novo, é avaliado de uma forma, se for antigo mas estiver recuperado, de outra.

Se por acaso estiver em mau estado, a localização ou a tipologia vão pesar menos nestas contas, uma vez que o valor de umas obras totais pode interferir, e muito, na avaliação de uma casa.

6. Acabamentos

homem a pintar a cozinha

Que tipo de acabamentos tem a casa em questão: de 1ª ou de 2ª categoria? É relativamente fácil perceber estas questões – a começar pelos materiais e loiças utilizadas e a terminar nas juntas dos azulejos, por exemplo.

E sim, tudo isto tem influência no valor final! Quanto mais perfeito o trabalho, mais valorizada sai a casa.

7. Extras

A casa em questão possui “extras” associados? Algum tipo de equipamento ou tecnologia de domótica, por exemplo? Persianas ou blackouts elétricos? Sistema inteligente de iluminação? Em caso afirmativo, temos uma boa notícia para si – estes itens são muito valorizados na hora de saber como avaliar um imóvel.

8. Exposição solar

A exposição solar de um imóvel nem sempre é valorizada, mas a verdade é que, no dia a dia, é uma questão muito importante e vai fazer a diferença, por exemplo, na fatura final da energia.

Quanto mais sol entrar ao longo do dia, menos vai ter de despender do aquecimento e a casa fica valorizada por acréscimo, já para não falar da luz natural que é sempre mais agradável.

O artigo continua após o anúncio

9. Eficiência energética

Existe uma escala protocolada de eficiência energética, que começa no A+ (mais eficiente) e pode ir até ao E (menos eficiente). Quanto mais eficiente for o imóvel, mais valorizado fica.

Para saber a escala do seu, deve consultar o certificado energético, obrigatório atualmente para qualquer casa antes de ser vendida / comprada.

10. Área exterior

Finalmente, um elemento que deve, claro, ser considerado. Em comparação, uma casa ou apartamento com varanda ou terraço vai valer mais do que um sem qualquer área exterior. Se falarmos de um pequeno jardim, mais ainda!

Dicas extra para saber como avaliar um imóvel antes de comprar

Na hora de comprar uma casa, não tenha problemas em fazer mais do que uma visita e levar ajuda profissional, se assim achar conveniente.

Não estamos a falar da compra de um par de sapatos ou calças e tudo deve ser observado ao pormenor: tetos e paredes, estado da canalização, do sistema elétrico, acabamentos, estado das madeiras… Se assim o desejar, pode até pedir para ver o estado do telhado se se tratar de uma casa térrea. Lembre-se: é melhor ser “picuinhas” nesta fase do que no final ter uma surpresa desagradável.

Agora que já tem umas luzes de como avaliar um imóvel, evite ser “apanhado na curva”!

Veja também