Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Gonçalves
Catarina Gonçalves
27 Jan, 2020 - 13:45

Como poupar com taxas de juro negativas? Conheça algumas opções

Catarina Gonçalves

No momento presente vivenciamos um cenário anormal, mas não desespere. Ainda é possível poupar com taxas de juro negativas. Descubra como.

saiba como poupar com taxas de juro negativas

O atual contexto económico é conhecido. E para quem tem de pagar um crédito habitação até pode ser vantajoso. Mas e quando o objetivo é o aforro? Será que ainda é possível poupar com taxas de juro negativas?

Desde 2014 que as taxas de juro do Banco Central Europeu (BCE) para depósitos estão abaixo de zero. Desceram várias vezes e atualmente encontram-se em -0,50%.

Na prática, isto significa que quando os os bancos comerciais depositam dinheiro no BCE têm de pagar por isso. Ora esta realidade reflete-se, necessariamente, no dinheiro que os bancos pagam aos seus depositantes, um valor que atualmente está muito próximo de zero.

Neste contexto, fazer o seu dinheiro render torna-se assim um exercício mais complicado, mas não impossível. Basta que saiba onde e como aplicá-lo.

Como poupar com taxas de juro negativas? 5 opções

O Banco de Portugal proibiu os bancos de cobrar aos seus clientes por depositarem dinheiro, mas é baixíssima a margem para pagar algo de positivo pelos depósitos. O reverso da medalha é o facilitismo da concessão de crédito.

No entanto, e por pouco atrativo que possa parecer, não nos podemos demitir da tarefa de poupar. Por isso, se está a pensar em formas de fazer o seu dinheiro crescer, mesmo com taxas de juro negativas, aqui ficam algumas alternativas de poupança e investimento.

grafico financeiro
1

Clássicos I: Certificados de aforro

Já são velhinhos, mas nem por isso fora de moda. Os certificados de aforro são títulos de dívida pública, ou seja, quando investe nestes títulos está a emprestar dinheiro ao Estado.

Atualmente está em comercialização a série E que lhe oferece uma taxa de juro igual à Euribor (a três meses) mais 1% e ainda um prémio de permanência de 0,5% no 5.º ano e 1,0% do início do 6.º ano ao final do 10º ano.

Pode ser uma boa alternativa para ganhar um pouco mais do aquilo que a generalidade dos depósitos a prazo lhe oferece. E há uma vantagem adicional: não tem quaisquer custos associados.

2

Clássicos II: Obrigações do tesouro

Outro clássico sem risco que deve considerar são as obrigações do tesouro. Está na mesma a emprestar dinheiro ao Estado, por isso é considerado um investimento (quase) sem risco.

Têm várias maturidades desde 1 a 10 anos e taxas de juro um pouco mais convidativas que os depósitos a prazo. Tem o inconveniente de ter que pagar, pelo menos, comissões de custódia de títulos.

3

Ações: assuma alguns riscos e invista a mais longo prazo

Está preparado para assumir alguns riscos? Se respondeu afirmativamente e se está disposto a investir num horizonte de tempo mais alargado, as ações podem ser uma boa opção.

Embora possam existir crises financeiras que afetem os mercados acionistas, estes tendem a ser rentáveis no longo prazo. Exemplo disso é o índice S&P 500, que desde o fim da Segunda Guerra Mundial teve retornos anuais negativos apenas 15 vezes.

4

Depósitos a prazo: faça o trabalho de casa

Sim. Ainda é possível ganhar dinheiro com os depósitos a prazo. Mas para isso precisa de fazer algum trabalho de pesquisa e análise do mercado.

Neste particular, a opção que deve manter debaixo de olho são os depósitos promocionais. Alguns bancos e, em especial os bancos online, podem proporcionar-lhe um rendimento para estes depósitos um pouco mais vantajoso, tal como os bancos mais recentes que pretendem expandir a sua quota de mercado.

Algumas possibilidades

O Banco BiG, o Banco CTT ou o Banco BNI Europa apresentam boas alternativas promocionais.

Lembre-se, no entanto, que embora as taxas de juro dos depósitos promocionais sejam mais atrativas, têm prazos mais curtos. Também deve estar consciente que alguns depósitos com taxas de juro mais elevadas podem implicar a subscrição de outros produtos ou o pagamento de comissões.

4

Empréstimos peer to peer: emprestar sem intermediários financeiros

Outra sugestão que lhe pode trazer mais retorno é emprestar dinheiro diretamente a quem dele precisa, sem passar pelo banco.

As fintech facilitam esse processo e existem várias plataformas online que lhe permitem financiar projetos e empresas diretamente. Esses empréstimos chamam-se peer to peer (ou seja, de pessoa para pessoa) e são um mecanismo de financiamento e investimento alternativo.

Porque pode ter uma taxa de juro superior?

Nestes empréstimos retira-se o intermediário e é o investidor que acaba por capturar a comissão do intermediário e assim obter níveis acrescidos de retorno no seu investimento.

Como escolher a melhor opção de poupança?

Retorno vs Risco

Os instrumentos de investimento e de poupança dependem da sua aversão ao risco. Em função do risco que quer correr deve escolher a melhor combinação risco/retorno para aplicar o seu dinheiro.

Esta é a regra de ouro para decidir se aplica as suas poupanças em obrigações ou ações. Também existem outros parâmetros que deve ponderar como o horizonte temporal e o dinheiro que tem disponível.

Diversifique

Embora esteja disposto a correr riscos, não pôr os ovos todos no mesmo cesto é um conselho prudente.

Ou seja, não deve investir todo o seu dinheiro em ações ou em outros ativos com risco. Deve, portanto, diversificar os investimentos. E mesmo os depósitos a prazo ou outras aplicações que não remunerem tão bem o seu dinheiro não devem ser completamente postos de lado.

Vale a pena poupar mesmo com taxas de juro negativas?

A existência de taxas de juro negativas torna o dinheiro mais barato.

Isto significa que é mais fácil contrair um empréstimo, por exemplo, uma vez que o que custo que tem com juros é menor, mas também que quando aplica o seu dinheiro, o banco lhe vai pagar menos (muito menos) por isso.

Uma das consequências das taxas de juro negativas é, desta forma, o aumento do endividamento e um emagrecimento das poupanças. Ainda assim, ou precisamente por estes motivos, poupar torna-se algo crucial.

Razões para poupar

  • Criar uma almofada financeira;
  • Evitar encargos com dívidas;
  • Comprar casa e pagar os impostos associados a esse investimento;
  • Investir em educação dos filhos;
  • Ter capital para abrir um negócio ou para não perder uma boa oportunidade de gerar mais dinheiro.

Fazer as escolhas certas

De acordo com os dados do Banco de Portugal as taxas de juro negativas vieram para ficar.

E se não podemos mudar a conjuntura, podemos mudar a nossa atitude perante esta nova realidade. A pergunta que devemos fazer é: que instrumentos financeiros podemos utilizar para não perder dinheiro?

Em função do risco que quer correr e do retorno que quer obter há, como viu, mais do que uma alternativa para aplicar o seu dinheiro. O segredo está em saber analisar as várias opções e decidir-se por aquela ou aquelas que mais se adequam à sua situação e objetivos (lembre-se que diversificar é uma das regras).

Se fizer as escolhas certas, verá como é possível poupar, mesmo com taxas de juro negativas.

Veja também