Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Pereira
Inês Pereira
28 Nov, 2018 - 14:28

Tudo sobre a conjuntivite nos gatos

Inês Pereira

Facilmente detetável mas extremamente incómoda, a conjuntivite nos gatos é um problema muito comum. Fique agora a conhecer esta doença de A a Z.

Tudo sobre a conjuntivite nos gatos

Quem tem um gato ou pondera adicionar um felino à família tem de se informar e perceber que este novo membro obriga, obviamente, a algumas preocupações. Um bom exemplo é a panóplia de doenças que podem ver no seu amigo de 4 patas a vítima perfeita, como é o caso da tão incómoda conjuntivite nos gatos. Esta doença oftalmológica é apenas uma de muitas e, infelizmente, pode ser causada por diversos fatores que nem sempre são facilmente evitáveis.

Embora seja mais comum em gatos ainda bebés, este problema pode afetar qualquer felino. Por este motivo deve estar sempre atento ao seu animal de estimação, já que sintomas como olhos lacrimejantes ou avermelhados podem ser sinal de alerta.

Neste sentido, assim que suspeite que o gato está com um problema oftalmológico deve dirigir-se ao veterinário para que o seu companheiro seja diagnosticado.

Conjuntivite nos gatos: o que é, causas e sintomas

saiba tudo sobre a conjuntivite nos gatos

Tipicamente associada à lista de doenças oftalmológicas humanas, a conjuntivite pode também vitimar os felinos. E, embora não seja um problema grave, a verdade é que se torna uma dor de cabeça quando não é tratada da forma mais correta: não só é um incómodo como pode reaparecer.

A conjuntivite nos gatos pode caracterizar-se como uma inflamação da membrana ocular, isto é, a membrana que cobre o olho. O seu diagnóstico é relativamente fácil, uma vez que os sintomas são bastante típicos e claros. O que pode não saber é que, em alguns casos, a conjuntivite não é um problema por si só, mas sim sinal de outra doença – o que evidencia a importância de consultar um veterinário.

A origem da conjuntivite nos gatos é, regra geral, uma infeção. Contudo, não deve ser excluída a hipótese de uma reação a um corpo estranho, sendo necessária a observação do olho do animal. Em determinadas situações, a conjuntivite pode também ser alérgica, embora esta seja mais rara do que as alternativas.

No que se refere aos felinos domésticos e bem cuidados, com pouco ou nenhum contacto com o exterior, esta condição costuma verificar-se apenas nos animais ainda bebés e, por isso, menos resistentes. Isto porque falamos de uma doença que pode ter na sua origem múltiplas causas, das quais, geralmente, o gato doméstico está protegido.

Importa referir que existem 3 tipos distintos de conjuntivite nos gatos:

  • Serosa: pouco grave, fácil de tratar e com sintomas leves, podendo ser indicação de uma doença respiratória;
  • Folicular: costuma surgir devido a uma alergia ou a uma infeção, apresentando sintomas mais graves e incómodos do que a conjuntivite serosa;
  • Bacteriana: trata-se de uma evolução da conjuntivite serosa, que piorou devido a uma infeção ou à presença de uma bactéria, tornando-se mais preocupante do que o primeiro cenário.

Causas

Infelizmente, esta doença felina pode ter diversas causas na sua origem, o que dificulta a tarefa de proteger o animal e afastá-lo do perigo. Neste sentido, é importante que conheça todos os aspetos em relação aos quais deve redobrar cuidados, de modo a evitar a este problema de saúde:

  • infeção ocular;
  • doenças respiratórias;
  • problemas genéticos que facilitem o aparecimento da conjuntivite;
  • excesso de frio e vento;
  • poeira ou qualquer agente que possa estar em contacto com o olho;
  • alergia;
  • cancro;
  • traumatismos oculares;
  • doenças infeciosas.

Todas as doenças que tenham entre a sua lista de sintomas a conjuntivite felina são, de forma geral, altamente contagiosas, pelo que é necessário compreender que nenhum gato está totalmente a salvo deste problema. Esta é uma doença que pode mesmo ser prejudicial para a saúde do animal se não for diagnosticada corretamente e tratada de forma célere, já que as sequelas oculares podem ser permanentes.

Sintomas

Felizmente, falamos de uma doença ocular facilmente detetável, graças aos seus sintomas tão característicos e diferenciadores. Assim, basta que esteja atento aos olhos do seu companheiro de 4 patas e detete sinais específico:

  • vermelhidão dos olhos e das pálpebras;
  • lacrimejar constante e excessivo;
  • olhos inchados;
  • secreção ocular abundante e espessa;
  • dificuldade em abrir os olhos (especialmente em gatos jovens);
  • mudanças na cor ou na forma da íris;
  • comichão nos olhos (o animal tem tendência a levar muito as patas aos olhos);
  • opacidade da córnea (em casos avançados).

Tratamento

saiba como tratar a conjuntivite nos gatos

Após a avaliação do caso, o veterinário receitará, ou não, a medicação mais adequada para curar a doença. No entanto, é importante que tenha os devidos cuidados, como impedir que o gato “esfregue” os olhos ou levar o animal para locais com pó ou muito vento.

Já em casa, poderá limpar os olhos do animal com soro fisiológico – evite utilizar algodão ou objeto de limpeza que possa deixar vestígios na zona ocular. Por outro lado, pode também dirigir-se a uma loja de animais e optar por um produto específico para limpar a visão de um gato.

Por fim, garanta que o seu companheiro está bem alimentado e hidratado, de modo a fortalecer ao máximo o seu sistema imunitário.

Veja também: